Início » 60 a Festa de Arromba nos Tempos da Jovem Guarda” com o cantor Pádua & Banda no Teatro Rival Refit

60 a Festa de Arromba nos Tempos da Jovem Guarda” com o cantor Pádua & Banda no Teatro Rival Refit

por Redação

O cantor Pádua apresentará no próximo dia 18 de maio/2022, o show ’60 a Festa de Arromba nos Tempos da Jovem Guarda’ no Teatro Rival Refit (Rua Álvaro Alvim 33 – Cinelândia) em homenagem aos artistas deste grande movimento cultural brasileiro, surgido em meados da década de 1960, que mesclava música, comportamento e moda, tendo como ícones, grandes artistas como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa…

A ideia do show surgiu do cantor e compositor Pádua que desde criança se apaixonou pelos ídolos da jovem guarda.

Após lançar alguns discos como ‘Brastoque’ (1978), ‘Chegue-se Mais’ (1979), ‘E agora Adeus’ (1980), ‘É Tempo de Acordar’ (1981) e ‘Te Amo’ (1982) passou a trabalhar também como produtor musical e teatral.

Depois de um longo período resolveu investir num show dos seus sonhos, onde pudesse falar, cantar e emocionar uma plateia que vivenciou este movimento e dar a oportunidade a uma nova geração que já ouviu falar do maior movimento jovem acontecido no Brasil.

Com direção musical de Pádua e Sergio Sampaio, Pádua apresenta o show com vários pout pourris de músicas da jovem guarda com o objetivo de relembrar o máximo de sucessos da época, o que não seria possível se fosse apresentar todas as canções na íntegra. Pádua conta com uma banda ao vivo, todos caracterizados na moda da época, com muitas surpresas, junto com a plateia que canta emocionada os grandes sucessos eternos.

No repertório, canções inesquecíveis dos ídolos Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderléa, Ronnie Von, Lenno e Lilian, Agnaldo Timóteo, Jerry Adriani, Wanderley Cardoso, Paulo Sérgio, Vanusa, Bob de Carlo, Golden Boys, Renato e Seus Blue Caps, Os Vips, Marlene Cavalcante, The Fevers, George Freedman, Katia Cilene, Edson Wander,  Os canibais dentre outros.

Com esse show que estreou no Rio de Janeiro, em Dezembro de 2019 na Sala Baden Powell em Copacabana com um público de quase 500 pessoas e interrompido pela pandemia, volta agora para única apresentação no Teatro Rival Refit, no próximo dia 18 de maio/2022 e, em seguida, pretende seguir em turnê por todo Brasil.

O cantor PÁDUA

Antônio de Pádua Andrade, conhecido como ”PADUA” cantor, compositor, e produtor de shows, iniciou sua carreira artística profissional aos sete anos de idade quando ganhou como o melhor calouro no programa “A Festa do Bolinha” que era exibido pela TV Rio canal 13, e tinha no comando o apresentador Jair de Taumaturgo.

Permaneceu na emissora por um ano e logo em seguida, foi convidado para estrear em um programa televisivo que teria o elenco formado por crianças, um programa infantil com a direção de um dos maiores produtores da TV brasileira, Wilton Franco, o programa era intitulado “Essa Gente Inocente”, onde fez parte da  primeira edição, que fez tanto sucesso que ganhou o prêmio de melhor programa infanto-juvenil no festival de Monte Carlo (http://www.infantv.com.br/essagente.htm).

Antônio Carlos foi o primeiro nome artístico escolhido por “Tio Wilton” para Pádua, assim chamado pelas crianças do elenco.

Ele foi o cantor mirim de maior sucesso e junto com os demais destaques tratados como “ídolos mirins”. Essa Gente Inocente contava também com a consagrada atriz Elisângela no elenco.

Logo após o término do programa, “Antônio Carlos” se apresentou em vários programas de TV, como “Eliana Super Bacana” (Programa apresentado pela Cantora e Apresentadoras Eliana Pittman) e o destacado “Alô Brasil, Aquele Abraço” convidado pela cantora Wanderléa, na TV Globo. Depois de muitas batalhas, agora como Pádua, o mesmo conseguiu finalmente lançar o seu primeiro disco pela gravadora Tape Car. O Compacto Simples, possuía no lado A, o destacado rock chamado “Brastoque”, de sua autoria, e a outra faixa era chamada de ‘Me Mande Dizer Qualquer Novidade’ de Zé Rodrix e Renato Correa (Golden Boys), arranjos e regências do Cleberson Horsth, tecladista da banda, as bases vocais do grupo Os Funk’s, atual Roupa Nova.  ‘Brastoque’ (chegou ao terceiro lugar das canções nacionais mais executadas), que significa: toque brasileiro, um novo nome para a música jovem e principalmente as que eram denominadas rock brasileiro que na opinião do cantor, já que eram feitas no Brasil e com nossas influências, no qual teriam que ter um nome nacional, pois possuíam elementos riquíssimos para isso. O compacto foi lançado em 1978, atingindo bons resultados na parada de sucesso.

Pádua começava a viajar pelo Brasil fazendo shows.

Ganhou o troféu a Buzina de Ouro, destaque do ano de 78 e outros. Logo depois lançou mais um compacto pela mesma gravadora, e desta vez, apadrinhado por Carlos Imperial que queria Pádua no movimento musical que estava nascendo e destacando-se em todo o mundo, o chamado Disco Music, no qual destacava-se cenário musical brasileiro, além de Pádua, personalidades como:  Gretchen, Lady Zu, Dudu França, Super Bacana, Miss Lane, Rosana, Rita Lee, Banda Black Rio, Tim Maia e outros.

Com a música ‘Chegue-se Mais’, produzido por Prentce, ( aqui em http://www.youtube.com/watch?v=G4Tm4y_Vmvo) e ‘Saí Pra Recordar’, ambas de sua autoria, com a participação nas bases do Roupa Nova e da Banda Black Rio. Esse disco possibilitou uma agenda intensa de Shows, com apresentações em vários programas na TV e uma excelente execução em emissoras de Rádio, rendendo-lhe muitas premiações.

O seu maior sucesso foi “E Agora Adeus”, música de estilo romântica, gravada pela K-Tel Music, de sua autoria e Marcio Ramos tornando-se sucesso em execução e vendas, embalando muitos corações apaixonados na década de 1980.

Nesta mesma década, Pádua lançou outros sucessos como “Tempo de Acordar” e “Madrugar”, compostas em parceria com Vanderlan, com a participação musical de Roupa Nova, no qual gravou os instrumentais e vocais. Em seguida, lançou um compacto simples independente, com selo Laser, duas canções chamadas “Te Amo” e “Rock Rolando no Espaço” (Participação de Leo Gandelman no Sax), ambas compostas pela dupla Pádua e Vanderlan e arranjadas por Cleberson Horsth.

Atualmente, com uma vasta experiência como Cantor e Produtor, Pádua investe juntamente com o seu Sócio, Flavio Junior, na produção de shows de outros artistas em lonas culturais, Arenas, Clubes e Teatros, tais como: Sylvinho Blau-blau, Dr. Silvana e Cia, Paulinho Gogó (Maurício Mafrinni), The Fevers, Bebeto, Renato e Seus Blue-Caps, Nizo Neto (Filho do Chico Anysio), Agnaldo Timóteo e BlackBird. Além desses, Pádua produziu outros artistas, tais como: Agildo Ribeiro, Cidia e Dan, André Rangel (comediante), Dianah (ex-mulher do Odair José), Biquini Cavadão, Forfun, Carlos Alberto “o rei do bolero”, a deusa Rosana, Adriana (música “te amar é tão bom”), André Leonno, Leone, Ricky Vallen, Os Canibais, Golden Boys, Tunay, Pery Ribeiro, Chico Anysio, DNA, Cristian Fernandes, Kátia, Fernando Borges e a Banda Good Times, Celebrare, Renato Prieto, Rodrigo Sant’Anna, Paulinho Serra, Sergio Mallandro, Alcione, Elson Forrogode, Lafayette e seu Conjunto, Violetas na Janela com Ana Rosa, The Pops e outros. Atualmente produz o comediante Pedro Manso (Jurado do quadro “É 10 ou 1000” do Programa do Ratinho) que faz grande sucesso em todo Brasil.

Ao longo dos anos, Pádua nunca parou de cantar, sempre convidado por esses maravilhosos artistas, a apresentar suas canções na abertura de cada espetáculo. Então dando-lhe a oportunidade de contato com um público distinto, permitindo uma renovação constante.

Como ator participou de espetáculos infantis no teatro (2008) e foi convidado para atuar em um filme de curta metragem em 2017.

Devido à cobrança do público, Pádua percebeu que estava no momento de produzir um novo álbum em sua nobre carreira. Essa nova produção chama-se: ”Passado, Presente no Futuro”, onde a preocupação era manter a essência do passado devido à identidade diferenciada dos anos de regressos. O álbum está em fase de conclusão e suas canções são totalmente inéditas, com algumas parcerias. Produzido por Pádua e Sergio Sampaio (Produtor, Arranjador, Instrumentista e participante na Vocalização) o álbum possui músicas bem ecléticas destacando-se a músicas “Fora da Lei (Pádua & Alek Lean)” e “Declaração de Amor a uma Rainha chamada Wanderléa (Pádua)”, no qual foi uma forma de homenagear uma das mais importantes cantoras da música brasileira. Assim, Pádua conseguiu reunir mais de 80 títulos de canções da Rainha e Diva da Jovem Guarda, e finalizou em uma linda e sonora canção. Aproveitando a obra, gravou também um vídeo, reverenciando a sua Musa. Cinco faixas deste projeto já estão disponíveis na internet como Web Album no YouTube veja o link abaixo: https://www.youtube.com/playlist?list=PLEvnBIZGPu8H5jURWO_qkcqI8ACgC7mm6

Além disso, Pádua está produzindo uma série de vídeos, no qual está obtendo uma excelente resposta do público através da Web, destacando-se o Vídeo Clipe da música “Fora da lei” (https://youtu.be/b19FC4-2eDM), que alcançou em 1 semana 17 mil visualizações no YouTube e “Eu Vou sair para buscar você / Meu Grito” (https://youtu.be/XlAClqG5Af4) com participação especial de Agnaldo Timóteo rendendo-lhe críticas positivas e um destacado número de visualizações pelo YouTube.

Show ’60 a Festa de Arromba nos Tempos da Jovem Guarda’ com o cantor Pádua e banda

  • Teatro Rival Refit
  • Rua Álvaro Ramos 33 – Cinelândia – Tel. 2240-4469
  • Dia 18 de maio/2022
  • Terça Feira 19:30h
  • Preço dos Ingressos: R$ 70,00 / 35,00 ( meia para estudantes ou jovens até 21 anos e acima de 60 anos )
  • Ingressos na bilheteria do Teatro ou pelo Sympla aqui: https://bileto.sympla.com.br/event/71952/d/129779

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via