“A Carioca do Fado”, Ananda Botelho Mendes, apresenta o show ‘Fado Mulher’, no Centro da Música Carioca Artur da Távola

Ananda Botelho Mendes

A carioca Ananda Botelho Mendes traz a delicadeza do gênero português, sendo conhecida como “A Carioca do Fado”, e uma das raras brasileiras especializadas na canção lisboeta. Em show único no dia 22 de março, a fadista carioca apresenta clássicos da música portuguesa que marcaram época nas vozes de grandes intérpretes como Amália Rodrigues, Ângela Maria e Francisco José.

Numa viagem musical sensível e divertida, que transporta ao universo feminino, Ananda traz canções e marchas que ajudam a contar a história do fado, com suas narrativas pitorescas e personagens surpreendentemente familiares. A cantora também apresenta, em primeiríssima mão, dois fados brasileiros de Agenor de Oliveira (compositor e parceiro dos saudosos Nelson Sargento e Délcio Carvalho), um deles com letra de Mariozinho Lago, que enriquecem e renovam o intercâmbio musical entre Rio e Lisboa.

Acompanhada pelos conceituados músicos Rafa Prista (guitarra portuguesa) e Ramon Araújo (viola de fado), já consagrados no meio musical carioca, a fadista conta com a participação especialíssima do próprio Agenor de Oliveira e da cantora portuguesa Inês Carreira, lisboeta radicada no Rio.

‘Fado Mulher’ acontece no Centro da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca, no dia 22 (sexta), às 19h, enriquecendo o que deverá ser uma experiência musical inesquecível com a talentosa Ananda Botelho Mendes.

Ananda Botelho Mendes

Uma das raríssimas brasileiras atuantes como fadista e única mulher ativa na guitarra portuguesa no Brasil, é conhecida como “A Carioca do Fado”. A cantora e compositora, que já havia transitado por diversos gêneros musicais desde que começou a estudar canto aos 11 anos de idade, encontrou na canção portuguesa mais do que uma identidade artística: um universo de pesquisa.

Sua trajetória artística se iniciou com a dança, ainda na primeira infância. Ao longo da adolescência estudou uma variedade de estilos como o contemporâneo, o afro, o sapateado americano e o hip hop, além de estudar teatro e trabalhar como modelo fotográfico. Não tardou até que sua paixão pela estética moura/ibérica a impulsionasse para o flamenco, estilo que absorveu com afinco antes de se profissionalizar na Dança do Ventre Tribal, em 2019. Em paralelo à dança, aprendeu violão, guitarra elétrica e integrou uma infinidade de bandas de rock e pop-rock durante sua juventude, além de grupos artísticos polivalentes como o Anima. Nesses projetos desenvolveu habilidades de produção musical, arranjo, edição de áudio e importantes noções de direção de palco e interpretação, que compartilha hoje com seus alunos de canto. Atua como professora e diretora vocal autônoma desde 2011. Terapeuta de práticas integrativas e complementares (PICS), desenvolveu entre 2017-2020 diversos workshops e atendimentos de arteterapia com dança e música voltados para a mulher. Desenhista e aquarelista, Ananda também estudou Belas Artes na UFRJ e hoje cursa Música na UNIRIO.

Anos depois de co-produzir e lançar seu primeiro álbum como cantora solo, Força da Natureza (de MPB autoral e totalmente independente), Ananda fundou o Iberia, grupo musical de fado e flamenco. Em dezembro de 2020 foi uma das 12 finalistas dentre 563 inscritos no Festival da Música de Fortaleza defendendo o fado Eterna Espiral, escrito pelos brasileiros Aroldo Galindo e Paulo Guimarães. Em 2021 gravou o fado “Navegante” junto a grandes talentos do choro carioca, tornando-se vencedora do 2º lugar no Festival da Canção de Mariana.

Primeira artista convidada ao intercâmbio cultural da casa de fados Maria Lisboa, em Porto Alegre, Ananda lotou o espaço em sua primeira visita à cidade, em maio de 2022. Em agosto do mesmo ano fez sua primeira visita a Portugal, 100% custeada pelo seu público através de um financiamento coletivo pelo site Catarse. Nos dias que passou em Lisboa, Ananda atuou nas mais emblemáticas casas de fado – onde foi calorosamente ovacionada pelo público – como a Tasca do Chico, a Mesa de Frades, o Café Luso e o Faia, cantando ao lado de grandes nomes do fado como Lenita Gentil, Pedro Moutinho, Matilde Cid e o mestre António Rocha.

De volta ao Brasil, foi para São Paulo a convite do famoso guitarrista Wallace Oliveira, para protagonizar o evento Casa de Fado. Em sua turnê pela região, Ananda cantou na Casa de Portugal de São Paulo, no Clube da Portuguesa e no SESC Santo Amaro, além de se apresentar em Santos e em São Roque com aclamação total do público. De volta ao Rio de Janeiro, a fadista foi intérprete do Hino Nacional Brasileiro na abertura da XIV Festlip – Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa em homenagem a Ruy Guerra, no Teatro Firjan. Nutrida pela vivência em Lisboa, Ananda Botelho Mendes segue contando ao público carioca, através do imaginário fadista e de seus arquétipos, uma história muito íntima à alma brasileira.

Redes

Instagram: www.instagram.com/anandabotelhomendes

YouTube: https://www.youtube.com/AnandaBotelhoMendes

Link do Spotify para a canção “Navegante”, de Aroldo Galindo, gravada em primeira mão e 2º lugar no Festival da Canção de Mariana – MG em 2021.

Disponível em todas as plataformas digitais https://open.spotify.com/intlpt/track0XVXRW6OmkTeeQEhnCnbDD

Serviço

Show: FADO MULHER
Artista: Ananda Botelho Mendes
Local: Centro da Música Carioca Artur da Távola
Rua Conde de Bonfim, 824 – Tijuca
Data/Hora: 22 de março de 2024, às 19h
Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem
Ingressos: Inteira R$40,00 | Meia: R$20,00
À venda em: https://bit.ly/49byJC9
Mais informações: (21) 99316-1476

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui