Início » A poeta Maria Rezende comemora 20 anos de carreira com o espetáculo ‘Mulher Multidão’

A poeta Maria Rezende comemora 20 anos de carreira com o espetáculo ‘Mulher Multidão’

O espetáculo feminista reúne poemas autorais e obras de artistas novas e consagradas sobre as forças e fragilidades da mulher contemporânea

por Redação

Ao se aprofundar no movimento feminista, a poeta e performer Maria Rezende sentiu a urgência de criar um espetáculo que, com profundidade e humor, mostrasse as forças e fragilidades da mulher contemporânea. Assim nasceu “Mulher Multidão”, em que temas como autoamor, relacionamento abusivo, estupro e a relação com o próprio corpo são levados à cena em poemas autorais dos quatro livros da artista e obras de poetas novas e consagradas.

Ao idealizar “Mulher Multidão”, Maria Rezende, que tem um trabalho de 20 anos com a poesia falada, se cercou de referências. Além dos movimentos feministas contemporâneos e em notícias de jornal, a poeta se inspirou em livros como “The Beauty Myth”, de Naomi Wolf; “Mulheres que correm com lobos”, de Clarissa Pinkola Estés; “Os homens explicam tudo para mim”, de Rebecca Solnit; “Teoria King Kong”, de Virginie Despentes, e na poesia de Adélia Prado, Elisa Lucinda, Viviane Mosé, Mel Duarte, Marina Colasanti, entre outras artistas.

“Quero jogar luz sobre a constante pressão sofrida pelas mulheres, os ideais inatingíveis de beleza, a exigência da perfeição do corpo e da juventude, a inequidade salarial, a transformação do desejo de “poder ser tudo” na obrigação de “ter que ser tudo”, a violência física, sexual, moral, e também a força do feminino e a delicadeza dos afetos”, enumera Maria.

O projeto começou a ser idealizado após o encontro com a cantora espanhola Amparo Sanchéz, com quem criou a performance poética musical ‘Hermanas’, desdobrada em disco e livro no ano passado. A potência do trabalho, cujo fio condutor era a força feminina, motivou Maria a aprofundar seu mergulho artístico no tema.

“Depois que a Amparo foi embora, fiquei órfã. Queria continuar a falar sobre as questões feministas e não poderia depender da presença dela porque,

afinal, moramos muito longe. Então, resolvi criar um novo espetáculo, com outra seleção de poemas e conversas com a plateia entre as obras”, explica. “Eu descobri, há relativamente pouco tempo, que sou feminista. Eu achava que fosse um assunto resolvido, uma luta já ganha, porque a gente vota, faz sexo antes do casamento, se divorcia etc. Aí, comecei a ir a atos feministas e me identifiquei completamente. Eu acredito nessas batalhas porque, no final das contas, não chegamos onde queremos e ainda querem tirar direitos nossos. Tem muita batalha pela frente!”, conclui.

“Mulher Multidão” é um verso do poema “Pulso aberto”, escrito por Maria Rezende e dedicado ao uruguaio Eduardo Galeano, em que a poeta diz “Somos as que evitam o desastre / as que inventam a vida as que adiam o fim/ mulher, multidão”.

Maria Rezende

Maria Rezende é poeta, performer, montadora de cinema e televisão e celebrante de casamento. Publicou os livros “Substantivo Feminino” (2003), “Bendita Palavra” (2008), Carne do Umbigo (2015) e “Hermanas (2019). Por sua poesia, recebeu elogios de nomes como Manoel de Barros, Eduardo Galeano e Ferreira Gullar. “É poesia substantiva mesmo. A mulher inteira dentro das palavras. Poesia é fenômeno de linguagem do que de ideias. Isso você sabe. Sendo assim, você é poeta”, elogiou Manoel de Barros sobre seu livro de estreia.

Em seus vinte anos de vida literária, se apresentou por todo Brasil e também em Portugal. Seu trabalho encantou o escritor Marcelino Freire, que diz na orelha de Carne do Umbigo: “Tua poesia, mulher, me faz caminhar. Sem peso, sou depois dela, para a eternidade, um outro sujeito. Minha costela, meu esqueleto. Eu te mando meus ossos por completo. Toda vez que te ouço recitar teus versos. Eu fico bambo, bobo. Fico elétrico.”

Ficha técnica:

  • Concepção, idealização e atuação: Maria Rezende
  • Texto: poemas de Maria Rezende, Elisa Lucinda, Viviane Mosé, Mel Duarte, entre outras
  • Produção: Livian das Valias
  • Figurino: Estum
  • Design: David Lima 
  • Técnica Manouche: Pedro Moreno
  • Direção artistica e faz-tudo Manouche: Alessandra Debs

Serviço:
Mulher Multidão – um espetáculo de Maria Rezende 

Clube Manouche: Jardim Botânico , 983, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Dia e horário:  quarta-feira, às 20:30h abertura às 19:30 com cardápio de aperitivos e drinks da Casa Camolese
Ingressos: R$ 40 (meia) e R$ 40 (meia ingresso solidário- levando 1kilo de alimento ou livro que será doado a ONG Instituto da Criança) e  R$ 80 (inteira);

Lotação: 100 pessoas
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 14 anos
Ingressos: http://clubemanouche.com.br/

Obs:

Os ingressos são vendidos apenas pelo site de venda de ingressos ou na bilheteria, na hora do espetáculo, caso ainda haja ingressos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via