“Auto da Compadecida, a Ópera” encanta moradores de várias cidades

Depois de encantar e emocionar o público em 2022, ‘Auto da Compadecida, a Ópera’, criada pela Orquestra Ouro Preto a partir de um dos textos mais emblemáticos de Ariano Suassuna, está de volta em 2023, quando chegará a quatro capitais do país. Chicó e João Grilo, personagens centrais desta obra-prima que fizeram sucesso por mais de seis décadas no teatro e no cinema, ressurgem no palco de uma maneira diferente, agora diante de uma ópera-bufa.

Com música original de Tim Rescala, que assina o libreto com o Maestro Rodrigo Toffolo, também responsável pela concepção e direção musical do espetáculo, a turnê de “Auto da Compadecida, a Ópera” estreia em Belém no dia 23 de maio, no Theatro da Paz, com apresentação também no dia 24. Em junho o espetáculo volta a Belo Horizonte, quando se apresenta nos dias 13 e 14, no Palácio das Artes. Nos dias 24 e 25/06, a ópera chega pela primeira vez a Manaus, com apresentações no Teatro Amazonas.

Já em julho, dia 15, em um feito inédito, a Orquestra Ouro Preto apresentará o espetáculo em plena Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, considerado um dos cartões postais mais famosos do mundo. Na ocasião, o público terá acesso gratuito a uma das principais atrações da formação mineira para a atual temporada.

Com 23 anos de trajetória, essa é a terceira incursão da OOP no universo operístico e a primeira grande produção neste formato, como conta Toffolo: “A ópera é uma arte máxima em que música, teatro, figurino, cenário e iluminação se encontram. Era um sonho antigo da orquestra começar a realizar produções de óperas. Já fizemos duas, ambas em português, ‘O Basculho de Chaminé’ e ‘O Grande Governador da Ilha dos Lagartos’, projetos pioneiros que nos deram sustentação para caminhar para um desafio ainda mais inovador, mais audacioso e de grande fôlego. ‘Auto da Compadecida’ é a nossa primeira grande ópera, totalmente original”.

 Para a nova turnê, o maestro espera repetir o sucesso do ano anterior: “Estreamos em 2022 e o resultado foi extremamente positivo. Agora iremos apresentá-la em outras regiões do país e vamos encerrar a turnê com uma apresentação gratuita, em um espaço público da cidade do Rio de Janeiro, para que a obra alcance um público ainda maior”.

A MONTAGEM

O diálogo direto com o público, um dos pilares da produção da Orquestra, está garantido nessa ópera que traz a comédia como elemento principal de sua linguagem. Para cumprir essa missão, formou-se um grande elenco em cena e nos bastidores da montagem. No palco, grandes nomes do canto lírico brasileiro – Fernando Portari, Marília Vargas, Marcelo Coutinho, Carla Rizzi, Jabez Lima e Rafael Siano, além de uma trupe de atores escolhidos para dar voz e corpo ao clássico da literatura brasileira – Glicério do Rosário, Léo Quintão, Claudio Dias, Marcelo Veronez e Maurício Tizumba. A direção de cena é assinada por Chico Pelúcio.

Para abrilhantar ainda mais a produção, trazendo para o palco as raízes da obra de Ariano, o espetáculo conta com figurinos desenhados por Manuel Dantas Suassuna, artista plástico de renome e filho do escritor. Essa parceria traz ainda um maior enraizamento à montagem, agregando o olhar e a criação de quem nasceu, viveu, conhece e reconhece este universo como poucos.

A ideia de trabalhar o texto, escrito em 1955 por Suassuna, surgiu do desejo do maestro de ver em cena uma ópera bufa brasileira capaz de fazer rir e emocionar. “As grandes óperas brasileiras geralmente são cantadas em italiano, então existia essa nossa vontade de ter uma ópera na nossa língua materna”, explica. “A partir daí a gente foi buscar na literatura o que seria esse texto e o encontro com o Auto da Compadecida foi quase que imediato. É uma obra-prima da dramaturgia brasileira, extremamente teatral e operística”, acrescenta.

No entanto, avançar com este projeto significou adaptar um clássico da dramaturgia já consolidado no imaginário popular brasileiro, o que é em si um desafio que impõe riscos. Neste sentido, Tim Rescala diz que “é preciso sempre respeitar a espinha dorsal da obra original”. O compositor revelou que, para alcançar o resultado desejado, a ideia foi criar uma obra derivada, “digamos assim, uma nova obra, porque a linguagem é completamente diferente. E nesse caso, trata-se de cantar uma história, não simplesmente de contá-la, e sobretudo num ritmo diferente que é o ritmo musical. Quando se canta uma cena, ela tem uma duração e um ritmo interno totalmente diferentes de um texto falado. Então o desafio inicial é esse e, evidentemente, o outro é criar uma coisa nova, mas ao mesmo tempo respeitando a espinha dorsal. E eu acho que a gente conseguiu isso com o Auto da Compadecida”, avalia o arranjador.

Ao encontro da excelência que conduziu Toffolo e Rescala a uma grande ópera, foi também a visão do diretor de arte Luiz Abreu, que se viu diante de novos desafios, mesmo após tantos anos trabalhando com grandes espetáculos. “Uma ópera é concebida como uma ‘arte completa’. Em palco, a justaposição de figurinos, cenários, dramaturgia, iluminação, engenharia de som e outros tantos itens devem elevar a música à quintessência. E essa composição, para ser feita com excelência, exige um alto nível de dedicação e atenção”, conta Abreu, que também é diretor de marca da Ouro Preto.

SERVIÇO – TURNÊ ‘AUTO DA COMPADECIDA, A ÓPERA’

Belém

  • Datas: 23 e 24 de maio (terça e quarta-feira)
  • Horário: 20h30
  • Local: Theatro da Paz | Praça da República | Rua da Paz, s/n, Centro | Belém – PA
  • Ingressos

Belo Horizonte

  • Datas: 13 e 14 de junho (terça e quarta-feira)
  • Horário: 20h30
  • Local: Grande Teatro Cemig Palácio das Artes | Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – Belo Horizonte/MG
  • Ingressos

Manaus

  • Datas: 24 e 25 de junho (sábado e domingo)
  • Horário: 20h30
  • Local: Teatro Amazonas | Largo de São Sebastião – Centro – Manaus – AM
  • Ingressos

Rio de Janeiro

  • Data: 15 de julho (sábado)
  • Horário: 17h30
  • Local: Praia de Copacabana (na altura do Posto 2)
  • Entrada gratuita

Orquestra formada por jovens de baixa renda se apresenta no Teatro dos Grandes Atores

Orquestra Novo Coro
Orquestra Novo Coro

A Orquestra e Coro Nova Sinfonia (OCNS) vai se apresentar no próximo domingo, dia 21, às 11h, no Teatro dos Grandes Atores, na Barra da Tijuca. O grupo é formado por 41 alunos que se destacaram no projeto social Escola de Música e Cidadania, criado pela Agência do Bem para promover a inclusão social de crianças e jovens de baixa renda por meio da música.

Para o primeiro concerto do ano, a orquestra escolheu o tema “Clássicos dos clássicos”. O repertório inclui músicas como Balaio, de Heitor Villa-Lobos, Jesus a Alegria dos Homens, de Bach, Ave Verum Corpus, de Mozart, e Valsa nº 2, de Dmitri Shostakovich. Segundo o maestro, Vitor Damiani, além do contato com os compositores clássicos, a participação dos jovens na OCNS desenvolve também a capacidade de trabalhar em equipe e de utilizar a música para se expressarem.

“A orquestra permite que eles aprimorem ainda mais as habilidades musicais para que, caso queiram, se tornem músicos profissionais. Certamente, a maior satisfação como maestro é poder ser colega de trabalho de ex-integrantes do grupo, de pessoas que se desenvolveram, se profissionalizaram e, hoje, vivem da música”, revela Damiani.

Para Maria Clara Lima, que integra o grupo desde o ano passado, começar a se apresentar no palco foi uma mudança repentina, mas agradável. “Hoje, eu me vejo mais independente e preparada para aprender músicas difíceis. Fico feliz por fazer parte de um projeto tão incrível”, conta.

Outra aluna que teve a vida transformada pela orquestra é Júlia Mendonça. Segundo ela, que se sente cada vez mais acolhida, o grupo se tornou “uma grande família”. “Eu era muito tímida, e a OCNS me ajudou a pedir ajuda quando precisasse para aprender as músicas. Também nunca tinha me apresentado em um palco e foi uma experiência incrível, me senti super segura com a ajuda de todos”, expressa Julia.

Para integrar a Orquestra e Coro Nova Sinfonia, os alunos da Escola de Música e Cidadania passam, anualmente, por um processo de audição. Os selecionados têm a oportunidade de se apresentarem em grandes palcos e em locais públicos renomados. O grupo tem em seu histórico de concertos apresentações em lugares como o Cristo Redentor, o L’Olympia Hall, em Paris, o Maracanã e o MASP. Além disso, cada jovem da orquestra passa a receber apoio financeiro mensal.

A Orquestra e Coro Nova Sinfonia também realizará uma segunda apresentação no dia 28 de maio, no mesmo local e horário. Os eventos são abertos ao público e tem entrada gratuita.

Serviço

Concerto da Orquestra e Coro Nova Sinfonia

  • Datas: 21 e 28 de maio
  • Local: Teatro dos Grandes Atores (Av. das Américas, 3555 – Barra da Tijuca)
  • Horário: 11h
  • Entrada gratuita

A Agência do Bem

A Agência do Bem é uma organização da sociedade civil de interesse público, sem fins lucrativos, que tem como missão promover o desenvolvimento humano, visando a cidadania plena de populações de baixa renda, por meio da educação, de forma transparente e sustentável. Iniciou suas atividades em 2005 na Comunidade de Vargem Grande, no Rio de Janeiro, atualmente possui 27 polos comunitários de atuações na região metropolitana do Rio de Janeiro e, em outros cinco estados do Brasil, além de apoiar iniciativas de 90 parceiros da Região Metropolitana do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Musical Os Saltibancos será encenado no Parque Garota de Ipanema

Saltimbancos
Saltimbancos

A trupe de teatro do projeto No Palco da Vida apresenta um dos maiores clássicos do teatro infantil: o espetáculo “Os Saltimbancos”. A adaptação de Chico Buarque ganha uma versão cheia de música, cores e alegria, com direção de Wal Schneider, e será apresentada no próximo domingo, 21 de maio, às 10:30h, dentro da programação do evento Dia das Boas Ações, que acontece no Parque Garota de Ipanema. 

Uma das expressivas obras de teatro musical dedicada ao público infantil “Os Saltimbancos” narra as aventuras de quatro bichos que, sentindo-se explorados por seus donos, resolvem fugir para a cidade e tentar a sorte como músicos.

A fábula musical foi traduzida e adaptada para o português por Chico Buarque de Hollanda, no final de 1976 da peça teatral de Sergio Bardotti e Luis Enríquez Bacalov, que por sua vez haviam feito uma adaptação do conto “Os Músicos de Bremen”, dos irmãos Grimm, como uma alegoria política, na qual a Galinha representaria a classe operária; o Jumento: trabalhadores do campo; o Cachorro, os militares e a Gata, os artistas. O barão, inimigo dos animais, seria a personificação da elite, ou dos “detentores do meio de produção”.

SERVIÇO:

  • Data: 21/05
  • Horário:10:30h
  • Local: Parque Garota de Ipanema, 
  • Endereço: Av. Francisco Bhering, 2-224 , Ipanema

Carol Hubner se junta a Eduardo Martini em comédia

Ladrão que rouba ladrão
Ladrão que rouba ladrão

A peça, que tem como ideia homenagear a todas grandes comédias “vaudeville”, chega ao teatro União Cultural repleto de muita risada, elenco afiadíssimo e cenas marcantes, sempre aos sábados às 21h e domingos, às 19h30. Ladrão que rouba ladrão tem texto e direção de Eduardo Martini, que ainda atua na montagem.

A história é clássica das comédias com muita confusão. Ricardo e Darcy são amigos. Um muito cheio de artimanhas para economizar dinheiro e o outro um ator, desempregado e honesto. Para economizar dinheiro, Ricardo declara ao imposto de renda que Darcy é sua mulher. A confusão se forma com a visita de um fiscal da receita federal à casa do casal. Darcy, forçado pelo amigo Ricardo, se faz passar por sua esposa e é ajudado por Carol, a verdadeira noiva de Ricardo.

Para piorar a divertida situação, Dona Alzira, mãe de Ricardo, chega de surpresa ao apartamento do filho para conhecer sua futura nora, Carol, mas se depara com aquela figura esquisita: Darcy. Estando à frente do Fiscal do IR, como negar que Ricardo e Darcy são um casal?

Podemos dizer que um grande sonho tem se realizado na vida da atriz Carol Hubner. Pela segunda vez, tem o privilégio de contracenar com seu grande amigo Eduardo Martini na comédia.

Carol Hubner interpreta sua xará Carol, noiva de Ricardo. Ao lado de Darcy, os dois ajudam a enganar o fiscal. A trama é muito bem estruturada, cheia de reviravoltas, confusões e diversas cenas hilariantes.

Permanece em cartaz por tempo indeterminado no Teatro União Cultural e é uma excelente opção de entretenimento para toda família.

LADRÃO QUE ROUBA LADRÃO
Um espetáculo de Eduardo Martini

Texto e Direção: Eduardo Martini
Elenco: Eduardo Martini, Carol Hubner, Renato Scarpin, Ailton Guedes, Edna Ligieri, Viviane Alfano e Gustavo Gonçalo

  • Gênero: Comédia
  • Duração: 60 minutos
  • Recomendação: 10 anos
  • Temporada: sábados, às 21h, e domingos, às 19h, por tempo indeterminado.
  • Ingressos: R$ 70 inteira | R$ 35 meia
  • Bilheteria: abre 1h30 antes do espetáculo
  • Ingressos online: https://bileto.sympla.com.br/event/81927/d/189742/s/1282969

Teatro União Cultural – 269 lugares
Rua Mario Amaral, 209 – Paraiso
Estação Metrô Brigadeiro
Tel: (11) 3885-2242

Ficha Técnica

LADRÃO QUE ROUBA LADRÃO

  • Texto e Direção: Eduardo Martini
  • Elenco: Eduardo Martini, Carol Hubner, Renato Scarpin, Ailton Guedes, Edna Ligieri E Gustavo Gonçalo
  • Atriz Convidada Bárbara Bruno
  • Assistente de Direção: Viviane Alfano
  • Cenografia e figurinos:  Eduardo Martini
  • Design de Luz: Gustavo Gonçalo
  • Administração: Wanessa Santos  
  • Direção de produção: Viviane Alfano
  • Trilha sonora: Sérgio 
  • Produção: MARTINI PRODUÇÕES ARTISTICAS

“O Último Fantasma – In Concert” fará única apresentação em São Paulo

O Último Fantasma – In Concert

Um dos grandes clássicos do Teatro Musical, O Fantasma da Ópera, chegou a sua última apresentação na Broadway depois de 35 anos em cartaz. No dia 16 de abril, após quase 14.000 apresentações no Majestic Theatre, o musical se despediu do público deixando uma série de fãs saudosistas e impactados. A notícia realmente mexe com aqueles que acompanham o cenário musical afinal, “O Fantasma da Ópera” é uma grande marca dentro da história não somente pelo seu tempo em cartaz, mas por todo esplendor, pompa e circunstância de seus cenários grandiosos, figurinos luxuosos, músicas icônicas e efeitos especiais. Sem dúvidas, a obra é um elemento chave quando pensamos nos mega musicais que definiram o que conhecemos por musical Broadway nas últimas décadas.

No Brasil, a história também não é muito diferente. Em 2005, quando o musical desembarcou no então chamado Teatro Abril, o cenário do Teatro Musical Brasileiro estava sendo novamente reescrito com a chegada de novas produções importadas da Broadway e West End. Embora não tenha sido o primeiro, “O Fantasma da Ópera” certamente foi um marco para o mercado e a formação de público em São Paulo, lotando as sessões por quase 2 anos de temporada, encerrando suas sessões em 2007. Anos depois, o espetáculo retornou aos palcos brasileiros com uma nova temporada em 2018 no Teatro Renault. Novo elenco, teatro reformado, novo público, mas o mesmo sucesso: foram 18 meses em cartaz.

O Fantasma da Ópera nunca será esquecido e por isso a Dos Clássicos Produções preparou um show para reviver toda a magia e emoção da obra de Andrew Lloyd Weber. “O Último do Fantasma – In Concert” será uma apresentação única no Teatro Gazeta que reunirá atores-cantores que estiveram no elenco das montagens de 2005 e 2018. O maestro Di Angelo Mathias será o responsável pela reprodução do repertório de canções que o público ama ouvir como “Think of Me”, “Prima Donna”, “Masquerade”, “Music of the Night”, “All I Ask of You” e é claro, “The Phantom of the Opera” nas vozes de um elenco especial: Cleyton Pulzi (O Fantasma), Daruã Góes (Christine), Felipe Assis Brasil (Raoul), Simone Luiz (Carlotta), Fernando Palazza (Piangi), Diego Velloso (Monsieur André) e Caru Truzzi (Meg Giry). A direção é de Rodrigo Gomes.

A noite de 31 de maio será imperdível para os fãs do musical que querem matar a saudade. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro Gazeta ou pelo Sympla.com.

 SERVIÇO:

O Último do Fantasma – In Concert

  • Única Apresentação
  • Dia 31/05 às 21h
  • Teatro Gazeta (Av. Paulista, 900 – Bela Vista, São Paulo)
  • Estacionamento Multipark conveniado (Rua São Carlos do Pinhal, 303, subsolo)
  • Valores: Inteira R$ 120,00 / Meia Entrada R$ 60,00
  • Ingressos à venda na bilheteria do Teatro Gazeta (sem taxa) – Horário de Funcionamento da Bilheteria: Terça a Domingo das 14h às 20h ou até o horário do último espetáculo
  • Ingressos online: https://bileto.sympla.com.br/event/82556