Beco do Rato promove festival de samba em comemoração aos 20 anos 

Jorge Aragão
Jorge Aragão - Foto: Yves Lohan

A comemoração dos 20 anos do tradicional bar e casa de samba Beco do Rato vai marcar a agenda cultural da cidade e dar ainda mais visibilidade à cultura do gênero. Serão 15 horas ininterruptas de samba, das 13h às 4h, em dois palcos com diversas atrações, no complexo multicultural NAU Cidades (Porto Maravilha), no sábado, dia 20 de abril. 

O festival vai reunir os artistas e bandas que tocam no Beco, exaltando as rodas da cidade, além de outros grandes artistas consagrados do samba, mostrando toda a sua pluralidade. Na área gastronômica, cerveja, drinques e petiscos de importantes bares do Rio.

“A ideia é ser um marco para a cidade. Vamos oferecer um evento com nomes importantes do samba, contribuindo para a efetiva democratização do acesso à cultura e preservação do mais brasileiro dos ritmos. Estamos muito felizes e orgulhosos por somar e contribuir tantos anos com a cultura brasileira e, principalmente, carioca”, conta Lúcio Pacheco, sócio e filho do fundador do Beco do Rato.

São várias atrações para ninguém ficar parado. A extensa programação conta com o baluarte Jorge Aragão, mestre do samba em plena atividade; um dos mais importantes compositores da música popular brasileira, Marquinho Sathan; o mineiro Toninho Geraes, compositor de grandes sucessos que conquistaram públicos além daqueles assíduos das tradicionais rodas, como ‘Mais Feliz’ e ‘Se a Fila Andar’; os consagrados Arlindinho, Moyseis Marques, grupo Casuarina; além de importantes representantes da nova geração: Marina Íris, João Martins, Marcelle Motta, Vinny Santa Fé, Gabrielzinho do Irajá, Cozinha Arrumada, Samba do Xoxó, Encontro Casuais – com Mosquito e Inácio Rios, Nossa Roda, Banda Beco do Rato, Grupo Entre Elas, Grupo Arruda, Galocantô, Aos Novos Compositores e Nó na Madeira. Nos intervalos, DJ Bieta e Dj Cris Pantoja comandam as carrapetas.

“A minha raiz está fincada no samba. Então, o samba é minha identidade… e poder proporcionar momentos marcantes para o povo, através da minha arte, e no aniversário desse lugar tão especial como o Beco do Rato, que é um dos mais conhecidos redutos do samba no Rio de Janeiro, é a melhor coisa da vida. Me sinto muito honrado e feliz, principalmente por se tratar de uma comemoração desse local tão importante para a cultura do nosso samba. E em um evento que traz também a nova geração, que é quem vai continuar perpetuando todo o nosso legado”, diz Jorge Aragão.

Gastronomia

Beco do Rato - Sanduíche de Pernil
Beco do Rato – Sanduíche de Pernil – Foto: Fabio Rossi

Como ninguém vive só de música, o evento terá também um espaço com oito bares clássicos e renomados do Rio. Além do próprio Beco – é claro –, Bar da Portuguesa, Pescados na Brasa, Brewteco, ⁠Baixela, Bar da Frente, Suru Bar, Boteko do Cadico e Santo Remédio participam da festa com pratos e petiscos deliciosos. Bolinho de bacalhau da Portuguesa (R$ 12), pastel com massa de tambaqui e queijo coalho do Pescados (R$ 35, 2 un.), porquinho de quimono do Bar da Frente (R$ 22, 2 un.), buraco quente do Brewteco (R$ 35), pau carnudo do Baixela (R$ 20) e pão de queijo frito do Suru Bar (R$ 27, 6 un.) são alguns dos petiscos que vão brilhar no evento.

“Convidamos bares emblemáticos do Rio para celebrar com a gente esse momento tão especial. É uma honra poder contar com tantas casas importantes para a nossa cultura boêmia e gastronômica”, completa Lúcio.

Sobre Beco do Rato

Num charmoso cantinho da Joaquim Silva, na Lapa, funciona desde 2004 o Beco do Rato, local de resistência cultural e tradicional reduto dos cariocas e turistas: lugar de música boa, cultura, muitos bambas, gente alto astral, cerveja gelada e ótimos petiscos.

Concorrido bar de samba, a casa conta com três ambientes interligados: área interna climatizada onde abriga a roda de samba e uma confortável área externa, totalmente cobertas, com bar de bebidas e mesas, ambas se conectam a um espaço a céu aberto.

Ao circular pelo Beco do Rato, os frequentadores podem apreciar painéis com desenhos e imagens que fazem alusão à cultura popular brasileira: retratam mestres do samba e reproduzem pontos do Rio de Janeiro, além de religiões de matriz africana.

A casa tem um rico roteiro de atrações, com opções musicais de segunda a domingo. Nomes importantes do ritmo estão sempre rodopiando por entre as mesas, que concentram bambas consagrados e novos talentos com programação variada. Fazem parte da programação fixa semanal rodas de samba com Arlindinho e o projeto Encontros Casuais, dos bambas Mosquito e Inácio Rios. Toninho Geraes, João Martins, Marina Íris e os consagrados grupos Arruda, Casuarina e Galocantô são atrações mensais obrigatórias.

O Beco já foi (e continua sendo) palco para o gogó de mestres como Jorge Aragão, Moacyr Luz, Tia Surica, Wanderley Monteiro, Iracema Monteiro, Zé Luiz do Império, Paulão Sete Cordas, os saudosos Walter Alfaiate, Luiz Melodia, Beth Carvalho, Ubirany, Wilson Moreira, entre muitos outros. Recentemente apareceram por lá nomes como Diogo Nogueira, Ana Carolina e Thiaguinho.

Festival Beco do Rato 20 anos

Cardápio Bares:

Bar da Portuguesa

  • pastel de polvo (R$ 15)
  • bolinho de bacalhau (R$ 12, unidade)
  • Sopa de Siri (R$ 15)    
  • Salada de Bacalhau (R$ 35)

Beco do Rato

  • Sanduíche de pernil
  • Pastel de camarão ou queijo

Brewteco

  • Buraco Quente: pão francês do Talho recheado com suculenta costela de boi desfiada, requeijão cremoso e coberto com mussarela maçaricada (R$ 35)
  • Burguer: pão, carne e queijo, simples e delicioso (R$ 39)
  • Pastel de Costela com queijo (R$ 15)
  • Batata Frita (R$ 25, acompanha aioli)                                                                                                                                                             

Baixela

  • pau carnudo (R$ 22)
  • frango a passarinho (R$ 35)
  • macarronese (R$ 27)

Bar da Frente

  • Porquinho de Quimono (R$ 22, 2 unidades)
  • Bolovo (R$ 14)
  • Polentinha com ragu de linguiça ou cogumelos (R$ 28)
  • Moela com farofa (R$ 28)
  • Cocada Mole (R$ 18)

Suru Bar

  • Pão de queijo frito com melaço picante: massa com queijo canastra e provolone. Acompanha melaço com infusão de dedo de moça, servido à parte (R$ 27, 6 unidades)
  • Sanduíche de cupim acebolado no pão francês (R$ 32)

Boteko do Cadico

  • Espetinhos: carne, frango, misto (carne, calabresa e frango), kafta ou frango (R$ 13, cada)                                                                          

Pescados na Brasa

  • Vatapá paraense (R$ 39)
  • Unha de caranguejo (R$ 18, unidade)
  • Espia Parente: pastel paraense feito com massa de tambaqui moído com queijo coalho e recheio de camarão e cebola caramelizada. Acompanha maionese de jambu e pimenta de tucupi (R$ 35, 2 un.)

Santo Remédio

  • Santo Cachorro Quente (R$ 18)
  • Batata Frita Krinkle com molho de queijo e crocante de calabresa (R$ 25)
  • Bolinho de baião de dois (R$ 13, unidade)
  • Caldinho de feijão (R$ 18)                                                                                                                                                                                                                                                                                              

Pipoca

Doce ou salgada (R$ 15)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui