Início » CEFTEM, um fomento à cultura no Rio de Janeiro

CEFTEM, um fomento à cultura no Rio de Janeiro

Escola mostra a sua força após a pandemia, levando cultura, diversidade e mostrando novos talentos em todo o estado do Rio

por Redação
Cena de Cazuza

Após um período de incertezas e com um hiato muito silencioso, a cultura está de volta aos palcos, e um dos responsáveis é o Centro de Estudos e Formação em Teatro Musical (CEFTEM). Fundada e dirigida por Reiner Tenente, com o objetivo de fazer arte para todos, a escola cumpre um papel fundamental neste cenário pós pandêmico ao trazer arte de volta ao teatro. Em sete anos de existências, o CEFTEM já levou aos palcos 42 espetáculos teatrais produzidos, 11 deles obras originais.

– É importante praticarmos esse fomento a cultura. A pandemia mostrou como a cultura tem um papel importante na sociedade, não apenas no lazer, mas na nossa construção como indivíduo – afirma Reiner.

Mais do que uma escola de teatro, o CEFTEM se tornou uma produtora de teatro musical. Desde o retorno as atividades, no final de 2021, foram realizadas setes produções: “Cartas para Gonzaguinha”, “Cazuza – O musical”, “Evoé – O musical”, “Hairspray – O musical”, “Les Miserables – School Edition”, “O beijo no Asfalto – O musical” e “Tudo por um Popstar”. Somadas as peças, cerca de 170 atores mostraram ao mundo sua voz, conquistando o público e a crítica.

– O mais importante foi reconectar o público com o teatro. Foram mais de 10 mil pessoas na plateia, num momento que ainda existia uma insegurança – ressalta.

Um dos pontos chaves do CEFTEM nessa jornada foi trazer uma diversidade geográfica, levando a cultura a diferentes bairros do Rio de Janeiro. Entre 2021 e 2022, a escola levou cultura ao Teatro Imperator, no Méier, e para o Cesgranrio, no Rio Comprido, ambos na zona norte carioca.

– Ainda existe uma elitização da cultura, com a maioria dos teatros na zona sul, então a gente precisa trazer essa democratização, de levar a cultura a todos os lugares, tornar o espaço artístico mais inclusivo – detalha.

E inclusão é a principal característica do Centro. Além do CEFTEM Solidário, que é um projeto que leva números musicais aos hospitais, a escola também possui um curso gratuito, específico para jovens de baixa renda, que busca incluir diversidade em suas produções, trazendo pessoas pretas, além da comunidade LGBTQIA+.

– Não existe arte sem diversidade. É importante essa pluralidade, porque o teatro é sobre sentimentos, que transcendem características como cor, gênero ou sexo – acrescenta.

Nos próximos meses, serão pelo menos três novos espetáculos, incluindo “Rent – O musical” e o original “Tons de Rosa”, que conta a história de uma menina preta criada por duas mães, em uma obra leve e divertida.

– É uma história incrível, com um elenco infantil bem forte. Lembra um pouco de Matilda, mas trazendo pra nossa realidade, abordando questões séries, só que de um jeito leve e divertido – finaliza Tenente.

Mais informações sobre cursos e novos espetáculos do CEFTEM pelo https://www.ceftem.com.br/

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via