Espetáculo Ininterrupto na Arena Pavuna

Ininterrupto
Ininterrupto - foto: Renato Mangolin

Quais são as peças da engrenagem que detém o controle sobre os corpos e sobre a vida em nossa sociedade atualmente?

O corpo, tal qual uma máquina, é cada vez mais exigido, porém, se antes o controle se exercia de forma externa em uma sociedade disciplinar, agora, ele cede cada vez mais a pressões internas. A pressão por desempenho, a pressão por produção, parecem ser os novos elos da corrente que nos une a todos e nos transforma em agressores e vítimas, tudo ao mesmo tempo.
Que mecanismo é esse que decide o caminho da maioria e age como uma cela escura que te contém por dentro, borrando a visão e fazendo desaparecer a alteridade e a estranheza?

Parar, resistir, permanecer para depois seguir. Inevitável é desfazer o equívoco desta “liberdade coercitiva” diagnosticada pelo filósofo Byung-Chul Han, na qual o sujeito é juiz e algoz de sua própria condição, numa sociedade caracterizada pelo excesso de estímulos, informações e impulsos.

In(in)terrupto é a segunda parte da trilogia sobre o tempo, composta pelas obras Non Stop (2015) e Contrafluxo (2019). A peça propõe uma discussão sobre poder, controle e a noção de corpo enquanto mercadoria.

Serviço:
19 de maio – sexta-feira – 19h –   Arena Carioca  Jovelina Pérola Negra – Praça Ênio, s/n – Pavuna
Classificação: livre

Duração: 50 minutos
Ingressos: R$ 1,00 – um real / espetáculo
GRÁTIS – Oficina de Iniciação às Danças Urbanas – 17h

Mais  informações: @ciahibrida

Ficha Técnica:
Direção geral e concepção: Renato Cruz
Assistente de direção: Aline Teixeira
Direção de produção: Steffi Vigio
Intérpretes criadores:  CIA HÍBRIDA – Jefte Francisco, Luciana Monnerat, Fábio de Andrade, Yuri Braga, Josh Antonio, Rayan Sarmento, Maju Freitas.
Assessoria de imprensa: Claudia Bueno

Cia Hibrida

Criada em 2007 e dirigida por Renato Cruz, a Híbrida é hoje uma das mais atuantes do Brasil. Recebeu diversos prêmios, como Funarte de Dança Klauss Vianna, Fundo de Apoio à Dança, Fomento à Cultura Carioca, O Boticário na Dança, etc. A Cia já dançou em diversos festivais, mostras e temporadas por todo o Brasil e apresentou suas obras em vários países. Em 2017 e 2018 A Híbrida foi cia residente em Le CentQuatre, Centro Cultural situado em Paris. Em 2018 a Híbrida estreou Ininterrupto, através do Prêmio Iberescena, e recebeu o prêmio Cesgranrio de Melhor Espetáculo em 2019. Ainda em 2019, realizou importante residência de criação em Parc de La Villette (Paris) para criação de seu novo espetáculo, Contenção, considerado um dos melhores do ano pelo Jornal O Globo. Em 2022 teve suas duas estreias, Antiflow e Dança Frágil realizadas através do prêmio FUNARJ de Dança. Por seis anos consecutivos, a Cia. Híbrida teve suas obras figurando entre os Melhores da Dança do Jornal O Globo (2014 – Olho Nu, 2015 – Non Stop, 2016 – Espaço Tempo Movimento, 2017 – Toque, 2018 – Ininterrupto, 2019 – Contenção).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui