Início » Feira Rio Antigo: Jazz e Choro na Rua

Feira Rio Antigo: Jazz e Choro na Rua

Dia Nacional do Choro é celebrado com roda do Coletivo Choro na Rua, às 16h. No Jazz na Feira, o grupo AC Jazz Quartet se apresenta às 14h

por Redação
Feira Rio Antigo: Jazz e Choro na Rua

A programação da tradicional Feira Rio Antigo, realizada todos os sábados na Rua do Lavradio, Patrimônio Imaterial Cultural do Estado do Rio, está especial neste dia 23! Além das belezas arquitetônicas da rua, da gastronomia e das centenas de barracas com produtos artesanais diversos, a feira terá duas atrações musicais. Para celebrar o Dia Nacional do Choro, e em comemoração aos 125 anos do mestre Pixinguinha, o Coletivo Choro na Rua se apresenta na esquina das ruas do Lavradio e Senado, na Praça Emilinha Borba, às 16h. E para dar continuidade à 4° temporada do Jazz na Feira, o AC Jazz Quartet se apresenta mais cedo, às 14h, excepcionalmente nesta edição.

O Choro é a mais rica tradição instrumental de nossa música popular, nascida no Rio de Janeiro há 150 anos. Ao longo de todo esse tempo, o Choro tem se reinventado através da roda de choro e esse espírito de constante renovação é materializado pelo Coletivo Choro na Rua. Depois de dois anos sem se apresentar na cidade, o grupo liderado pelo compositor e trompetista Silvério Pontes retorna ao Centro do Rio para comemorar o Dia Nacional do Choro e o aniversário de 125 anos de Pixinguinha. Participam da roda músicos como Dudu Oliveira, Rogério, Caetano, Henrique Cazes, Charles da Costa, Netinho Albuquerque e Beto Cazes.

A proposta do Choro na Rua é levar a magia dessa música para um público maior, fazendo balançar e sorrir, ocupando os espaços urbanos e fortalecendo esse riquíssimo traço de nossa identidade cultural. “O choro começou na rua, na serenata. Daí foi para a confeitaria, bares, cabarés, gafieiras, rádios, estúdios de gravação e até salas de concerto. Agora é a hora do choro voltar pra rua, enriquecido por toda essa experiência”, explica o trompetista Silvério Pontes.

Jazz na Feira

Neste sábado, dia 23 de abril, o evento começa mais cedo, às 14h, com o AC Jazz Quartet, que apresenta releituras do repertório de Chick Corea, tanto na versão acústica, como na sua vertente elétrica. O grupo é liderado por AC, saxofonista, professor da UFRJ e muito atuante na música instrumental, principalmente aquela oriunda das influências do jazz. Na bateria, Kleberson Caetano, com vasta presença no jazz carioca; Alexandre Berreldi, no baixo, participante e produtor do Jazz da Gamboa; e o jovem Renan Francioni, pianista formado na UFRJ.

Já no dia 30 de abril, o Jazz na Feira recebe Guta Menezes Trio com o projeto Bossa Instrumental, em homenagem às mulheres. A Bossa Instrumental é um projeto que abre maio para a Bossa Nova no Jazz na Feira, com artistas como Marvio Ciribelli, Lena Pablo, Yumi Park e Rosana Sabença. Um mês inteiro voltado ao gênero genuíno carioca. Guta Menezes Trio tem a participação do Bruce Lemos, no teclado, e Bruno Repsold, no baixo.

Além do Jazz, que tem levado ao espaço nomes da nova geração do jazz e da MPB, com a participação de personalidades ilustres do gênero, a feira recebe, todo primeiro sábado do mês, o evento Lavradio Literário.

A Feira Rio Antigo vai das 10h às 19h, com barracas que oferecem produtos diversos, de móveis a roupas e acessórios até objetos de decoração. E o clima fica ainda mais descontraído com a exposição dos lojistas, antiquários, expositores e dos bares e restaurantes locais – onde o público pode aproveitar para tomar uma caipirinha, petiscar ou almoçar –, que colocam mesas e cadeiras ao ar livre. Vale ressaltar, em tempo de pandemia, que todos estão obedecendo as Regras de Ouro da Prefeitura do Rio.

A feira acontecia todo primeiro sábado de cada mês, enchendo as ruas da Lapa de turistas, moradores e passantes para aproveitar o dia no local, passeando pelas barracas e bares. Devido a pandemia, e com o intuito de seguir as medidas protetivas de combate à covid, a associação responsável conseguiu junto à Prefeitura a autorização para realizar a feira semanalmente. Agora, todos os sábados a Rua do Lavradio recebe a Feira Rio Antigo, com o intuito de espaçar o público e diminuir o número de expositores. A rua centenária, que abriga casarões históricos, bares, antiquários e casas de shows, oferece uma programação descontraída para quem quer conhecer a história da cidade e se divertir sem gastar nada.

Serviço:

Feira Rio Antigo
Rua do Lavradio

Todos os sábados, das 10h às 19h
Tel.: 98207-0222

Programação completa: 

PROJETO JAZZ NA FEIRA

4ª Temporada 2022

23/04, às 14h: AC Jazz Quartet. Com AC (saxofone tenor), Renan Francioni (teclado), Alexandre Berreldi (baixo) e Kleberson Caetano (bateria).

30/04, às 16h: Bossa Instrumental com Guta Menezes Trio. Com Guta Menezes, Bruce Lemos, no teclado, e Bruno Repsold, no baixo.

Projeto Jazz na Feira

O festival Jazz na Feira é uma saída para levar boa música e fomentar a cultura no Centro do Rio, tão abalada pela crise atual. O projeto é uma parceria entre Mônica Silva, CEO do Palcos do Rio e sócia do Pub Panqss, e Plinio Froés, diretor do Polo Novo Rio Antigo e produtor cultural, à frente de casas como Rio Scenarium e Mangue Seco. O Palcos do Rio é uma rede cultural de apoio aos pequenos e médios palcos na cidade. “Nos unimos para levar arte, música e economia criativa para o Centro do Rio, atraindo o público e tornar o local aprazível para as famílias e turistas brasileiros e estrangeiros. A ideia é tornamos o festival com calendário anual fomentando as boas-vindas a nossa cidade e dando trabalho aos músicos e toda cadeia produtiva que foi tão afetada por conta da Covid-19”, Mônica Silva. O evento chegou para garantir a retomada das atividades musicais da cena carioca, através do fomento à arte, ao lazer e à economia criativa na região.

Coletivo Choro na Rua

Reunindo músicos que privilegiam a fluência, a comunicação com o público, o coletivo “Choro na Rua” nasceu espontaneamente em 2016 no lançamento do livro sobre a dupla Zé da Velha & Silvério Pontes, quando uma roda armada na rua, em frente a livraria, causou frisson ao vivo e obteve mais um milhão de visualizações nas redes sociais, em menos de 1 mês. Daí o coletivo repetiu a experiência em diferentes espaços, conseguindo atingir um público que vai desde aficionados do choro até o simples passante, da terceira idade até a criançada.

Apresentando uma formação flexível, capaz de acomodar as agendas de seus solicitados músicos participantes, “Choro na Rua” coloca em prática o lema da roda de choro, parafraseado por Henrique Cazes do velho lema positivista: liberdade por princípio, compartilhamento por base e alegria por fim.

Feira do Lavradio

A Feira Rio Antigo é um evento turístico/cultural tradicional da Rua do Lavradio, que há 25 anos prima pela requalificação sociocultural do Rio Antigo, organizado pela Associação Polo Novo Rio Antigo, e tem a diversidade como sua principal característica. Ela se firmou no cenário cultural da cidade, encantando os visitantes com um belo passeio ao passado. A Rua do Lavradio, a primeira rua residencial da cidade, aberta em 1771 pelo Vice-Rei Marquês do Lavradio, abraça este evento.

Artigos relacionados

1 comentário

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via