Grande competição de natação dos Jogos Escolares do Rio de Janeiro reuniu atletas estudantis no Maracanã 

No último sábado (22), o Parque Aquático Júlio Delamare recebeu competições de natação, com a presença da ginasta e madrinha do evento, Daniele Hypólito

Um evento cheio de superação, desafios e emoção, marcou o último sábado (22) no Parque Aquático Júlio Delamare, no Complexo Esportivo do Maracanã, que recebeu alunos de escolas públicas e privadas para as pré-classificatórias de natação dos Jogos Escolares do Rio de Janeiro (JERJ), realizados pela Secretaria estadual de Esporte e Lazer. A disputa reuniu mais de 40 alunos em diferentes estilos de nado, como: livre, borboleta, medley, peito e costas. A etapa final será realizada no dia 20 de julho, no mesmo local, com partidas abertas ao público e entrada franca.

As competições, que aconteceram em um dos principais centros de prática de esportes aquáticos da América Latina, o recém-reformado Parque Aquático Júlio Delamare, contou com a presença da madrinha do evento e ginasta olímpica, Daniele Hypólito. Ela destacou a importância do JERJ na vida dos alunos como futuros esportistas profissionais: 

— O JERJ é de extrema importância, porque esporte e educação são dois pilares fortíssimos do nosso país e que têm que ser dado o devido valor. Quando envolvemos esses jovens, vemos a oportunidade que o JERJ está dando para cada um, para que esse seja o passo inicial de um campeão olímpico, de um campeão pan-americano, de um campeão mundial — afirmou a ginasta brasileira com mais participações em Jogos Olímpicos.

O JERJ é realizado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer em parceria com a Federação de Esportes Estudantis do Rio de Janeiro (Feerj). Ao todo, participam das atividades, 71 municípios do Rio de Janeiro, com cerca de 650 escolas públicas e privadas inscritas, e mais de 5 mil estudantes nas equipes. 

Luciana Oliveira é mãe de Miguel e Pedro Oliveira, alunos que demonstram força e determinação, superando suas diferenças por meio da prática esportiva. Para ela, o esporte foi fundamental para o desenvolvimento dos meninos: 

— O JERJ é muito bom para participar e é algo promovido pelo Estado. O Miguel, aos três anos de idade, sofreu um acidente e perdeu o polegar esquerdo, já o Pedro, ao longo do crescimento, percebemos uma dificuldade de coordenação motora. Ele tem uma lesão no cerebelo. Com essa questão motora, o que ajuda é o esporte. Atualmente, os dois são atletas da equipe da Federação de Triathlon do Estado do Rio de Janeiro e o Pedro faz parte do Comitê Brasileiro de Deficiência Intelectual —  revelou Luciana. 

A competição é destinada a jovens de 11 a 17 anos e abrange 20 modalidades esportivas, como atletismo, basquete, futsal, ginástica artística, natação e vôlei, entre outras. Com um calendário fixo de competições, as etapas pré-classificatórias percorrerão as cinco regiões administrativas do estado. 

Sobre os Jogos Escolares do Rio de Janeiro (JERJ):

Com o objetivo de fomentar a prática esportiva para crianças e adolescentes, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer criou o programa que oferece, de forma gratuita, todos os subsídios para os estudantes das redes pública e privada terem acesso às práticas esportivas, que são fortes potencializadores da transformação social. Em uma política pública estruturante, o programa inclui a oferta de: equipe técnica, locais de competição, uniformes, troféus e medalhas. Além disso, os classificados terão a oportunidade de representar o Rio de Janeiro em competições organizadas pela Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE) e pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em diversas partes do país. A iniciativa também prevê a inscrição dos alunos em torneios como os Jogos Escolares Brasileiros e os Jogos da Juventude. O programa é desenvolvido com recursos da Lei Pelé, totalizando aproximadamente R$12 milhões de reais investidos.

Confira mais informações sobre o programa e acompanhe os resultados de cada categoria no site: www.jerj.com.br