João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão cercado sempre pelos melhores da sua área

Hoje eu tenho a honra que apresentar a vocês, um cara que está completando 30 anos de profissão. Um cara que durante esse período trabalhou com os mais diferentes artistas e apresentou shows, peças teatrais por todo país, além de ter participado da reabertura de um dos principais teatros do RJ, quiçá do pais. E um detalhe que considero importante, sempre sem nenhum tipo de patrocínio. Todos os shows e espetáculos teatrais que ele montou, foi sempre sem patrocínios ou leis de incentivos. Sempre na garra. Sempre contando somente com a bilheteria.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você é um empreendedor, produtor cultural, apresentador de rádio e autor da biografia da Berta Loran. Qual dessas atividades você mais gosta de fazer?

Primeiramente Jorge, obrigado pelo espaço para falarmos sobre o nosso trabalho… na verdade não tem essa de “o que eu mais gosto de fazer”, é mais ou menos, de qual filho você gosta mais? Eu gosto igualmente dos meus 2 filhos, do Luix e do Pedro. Eu gosto de teatro, aprendi a gostar de apresentar programa de rádio, que faço há 2 anos e meio e adorei escrever a biografia da minha querida amiga Berta Loran, na passagem dos seus 90 anos.  Escrever uma biografia não é fácil, mesmo tendo a colaboração de várias outras pessoas queridas, não foi fácil e nunca será e, certamente, foi o primeiro e último livro que escrevi. Por enquanto, pelo menos! Como produtor teatral tive o privilégio de iniciar na carreira por onde poucos alcançam. Comecei produzindo e empresariando a Berta Loran e os comediantes Costinha e Dercy Gonçalves. Certamente 3 dos maiores nomes do humor de todos os tempos, no pais.

Como você começou a trabalhar como produtor cultural?

Como disse acima, iniciei a trabalhar como produtor teatral com a Berta Loran. Fui convidada por ela a produzir seu show “Divirta-se Com Berta Loran”, pelo país. Isso em maio 1993. Ela me convidou para produzir seu show e disse a ela que não sabia por onde começar e ela respondeu; “Me ajude que eu te ensino!” E ela me ensina até os dias de hoje.

João Luiz Azevedo:30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você apresenta o PROGRAMÃO do JOÃO todas as sextas-feiras. O que os ouvintes podem esperar desse programa?

No PROGRAMÃO DO JOÃO eu tento mostrar um pouco do que sou e do que eu gosto. Levo informações sobre a programação cultural da nossa cidade e bato papo com gente que eu gosto; atores, diretores, jornalistas, circenses, cantores, compositores e muito mais… No meu PROGRAMÃO eu toco o que considero o melhor, de Paulinho da Viola à Barry White. De Sinatra à Lupicínio Rodrigues. De Raimundo Fagner e Alceu Valença à Noel Rosa… e, semanalmente trago os comentários de Milton Cunha (comentarista de Carnaval da Rede Globo), Hilton Abi-Rihan (radialista com longa carreira de sucesso nas principais emissoras do pais), Sergio Ricardo (jornalista, humorista que trabalhou nas Rádios Globo e Tupi), o ‘rei das Marchinhas’ João Roberto Kelly, a jornalista turismologa Sonia Monte e muita gente bacana. Por essas e outras que eu costumo dizer, ao vivo, que o nosso PROGRAMÃO DO JOÃO é o melhor programa da rádio brasileira… e não deixa de ser… pelo menos na minha opinião.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você escreveu a biografia da atriz Berta Loran. O que te inspirou a escrever sobre ela?

Puro agradecimento! Essa biografia foi um ‘Muito Obrigado, Berta!’, por isso o subtítulo do livro: “BERTA LORAN: 90 ANOS DE HUMOR – Uma Homenagem ao Talento de Berta Loran por João Luiz Azevedo”. Eu precisava agradecer a ela tudo que me ensinou. Se estou aqui hoje falando com você, foi porque ela, Berta Loran, me deu a primeira oportunidade profissional, 30 anos atrás. Depois disso, foi fácil. Ou menos difícil? Gratidão é para poucos.

Quais são os seus projetos atuais como produtor cultural?Encerrei a temporada do musical em homenagem aos 100 anos da cantora e atriz Marlene no Teatro Candido Mendes. No último dia 21/04 apresentei o show ‘Odara’ com o Duo Rosa Amarela com o Teatro Rival super Lotado. Ontem, dia 28/04 apresentei o show da Banda Certas Canções tocando o melhor do Clube da Esquina no bar Cariocando no Catete e amanhã, domingo, dia 30/04 apresentarei o show do cantor Wladimir Cabanas cantando sucessos de Tom Jobim & Frank Sinatra no Beco das Garrafas que já está com todos os lugares reservados e vendidos!

Você produziu musicais em homenagem ao Gonzaguinha e ao Belchior. Como foi trabalhar nesses projetos?

Em agosto/2018, em um bate papo rápido com o diretor do Teatro João Caetano Marcos Edom surgiu a ideia de fazermos uma temporada tapa-buraco-de-pauta, daí a 2 semanas, com o musical em homenagem ao Gonzaguinha. O que era para ter sido apenas durante o mês de setembro/2018, devido o sucesso e as Lotações Esgotadas, voltamos em outubro e novembro/2018 e janeiro e fevereiro/2019. Logo depois, em março/2019, trouxe de São Luís do Maranhão a comédia ‘Pão Com Ovo’ com os queridíssimos Cesar Boaes e Adeilson Santos e, em abril/2019, estreei o musical sobre o Belchior, um projeto com a direção do meu filho Pedro Cadore com roteiro dele e de sua mãe Claudia Gonçalves Pinto. Durante esse período no Teatro João Caetano, de setembro/2018 a abril/2019 criei o projeto 15 PRAS 7 que eu comento abaixo.

Em 2018/2019 você criou o projeto 15 PRAS 7 no Teatro João Caetano. Como foi a experiência de apresentar shows de artistas como Raimundo Fagner e Elymar Santos?

Sensacional! Mais uma vez tive a oportunidade de trabalhar com quem eu sou fã. Fagner e Elymar não faziam shows no palco do João Caetano há muitas décadas e tiveram a oportunidade de voltarem ao palco de início de carreira dos 2 grandes artistas. Na data do show do Raimundo Fagner, fizemos também o lançamento de sua biografia. Foi um dia inesquecível. Fora esses 2 grandes artistas, apresentei também neste período, de setembro/2018 a abril/2019, no mesmo projeto 15 PRAS 7, shows com Angela RoRo, João Roberto Kelly, Neguinho da Beija Flor, Sandra de Sá, Agnaldo Timóteo, os Golden Boys, a banda do Sindico, os Fevers, Wagner Tiso, show em homenagem aos 100 anos da cantora Dalva de Oliveira com Agnaldo Timóteo, Eliana Pittman, Ellen de Lima, Luciene Franco e Marcio Gomes … e muitos outros shows.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Conte um pouco sobre seus mais de 100 shows na Sala Municipal Baden Powell?

Exatamente, 108 shows entre 2018 e 2019. Nesse período apresentei shows com Ângela Maria, Agnaldo Timóteo, João Roberto Kelly, Milton Cunha, Rogerio Skylab, Joanna, Claudinha Telles, Berta Loran & Jane Di Castro, Moyséis Marques Cantando Chico Buarque, Wanderley Cardoso, Carlos Colla, Arthur Moreira Lima, Maria Alcina, Claudette Soares, Eliana Pittman, Airton Montarroyos, Cida Moreira, José Alexandre (que ganhou o The Voice +), Tributo ao Ray Conniff (diretamente de SP) , Luciano Bahia, Sylvinho BlauBlau, Avellar Love (do grupo ‘João Penca’), Dr Silvana & Cia e muitos outros …

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissãoQual foi o seu maior sucesso?

Acredito que no meio de tantos projetos incríveis que já participei, o de maior sucesso, de crítica e de público, foi a montagem do espetáculo infantil “Os Dálmatas: O Musical” que ficou por 9 anos, ininterruptamente em cartaz e foi apresentado em várias capitais do pais; como Belo Horizonte (em 3 temporadas) em Vitória e Vila Velha (ES), em Salvador (BA), em Florianópolis (SC) e todo interior do RJ. Estreamos no dia 18 de outubro/1998, no Teatro Ginástico Português da Rua Graça Aranha, tendo a atriz Berta Loran como a protagonista ‘Cruela Cruel’. A temporada que seria até o fim daquele ano, devido ao sucesso, se estendeu até o Carnaval, em fevereiro/1999. Em abril/1999 reestreamos no Teatro Leblon (na Sala Marilia Pera) onde ficamos por 14 meses interruptamente. Tínhamos como protagonista a atriz Lady Francisco interpretando a ‘Cruela Cruel’. Eram 14 bailarinas que representavam os filhotes de dálmatas e + 09 atores e a terrível Cruela. Muito sucesso!  Paramos em 2006 e até hoje as pessoas ainda me perguntam por que não volto com a produção e a resposta é sempre a mesma: Sem a Lady Francisco jamais! Quem viveu aquela época sente saudades, quem não viveu, não viverá…

Você participou da reabertura do Teatro Oi Casa Grande. Conte um pouco sobre esses 10 anos a frente de um dos principais teatros do país.

Sim, participei da equipe de reestruturação deste teatro. Iniciamos as obras em 16 de janeiro/2008 e reabrimos o teatro no dia 20 de maio do mesmo ano com a estreia do musical ‘A Noviça Rebelde’ de Charles Moeller & Claudio Botelho.  Foi manchete em todos os jornais do país e destaque no Jornal Nacional da Tv Globo que dizia, mais ou menos assim: Hoje, está sendo reaberto um dos palcos mais importantes do país! Orgulho máximo, fazer parte da história deste teatro que frequentei nos anos 80 e 90, antes do incêndio que abalou suas estruturas! Foram 10 anos apresentando os melhores musicais do pais.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você já trabalhou com muitos artistas famosos como Ângela Maria e Agnaldo Timóteo. Qual foi o artista mais interessante com quem você já trabalhou?

Trabalho com artistas famosos e vitoriosos desde o meu início de carreira que está completando 30 anos neste mês de maio/2023. Muita gente bacana passou nestes 30 anos de carreira. De Marilia Pera à Bibi Ferreira. De Dias Gomes à Miguel Falabella. De Gugu Olimecha (um cara fantástico, mas pouco lembrado e reconhecido) ao Bemvindo Sequeira que atualmente mora em Portugal mas trabalhamos muito aqui no RJ. Em “Roque Santeiro – O Musical” com Sidney Magal, Nicette Bruno, Agildo Ribeiro, Rogéria e tantos outras feras. Pretendo escrever um livro com histórias de cada um deles. Será uma homenagem a esses artistas incríveis que me possibilitaram chegar até aqui. Tenho historias ótimas, como no dia que, depois de uma apresentação, levei a cantora Ângela Maria para jantar na cantina Donanna em Copacabana, fui falar a ela que ouvia o seu nome desde que nasci, pois, meu pai conheceu minha mãe, em um show dela no Clube Social Ramos Clube, nos anos 50/60 e ela, de imediato respondeu. “Pode ter sido, mas eu era bem criancinha…” todos gargalharam, é claro!  Muita história pra contar, mesmo porque, quem não tem dinheiro pra contar, conta histórias… rsrsrssrs

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você tem algum show ou evento planejado para o futuro próximo?

Muitos, sempre!  Em maio estreio no Teatro Candido Mendes em Ipanema 4 shows em homenagem ao aniversário de 52 anos do cantor Wladimir Cabanas – tenor do Theatro Municipal do RJ – em 4 quartas-feiras consecutivas. Dia 10/05, o Show  ‘Encontro com Johnny Mathis’ com a participação especial do cantor Thiago Rodriguez e as cantoras  Cissa Ferraz e Thania Machado;  Dia 17/05, o Show ‘Por Ella: Homenagem ao Julio Iglesias’ com a participação especial do cantor Luiz Cesar Mendes e a cantora Clarice Prieto; Dia 24/05, o Show ‘02 Astros da Canção Americana: Frank Sinatra & Tony Bennett’ com a participação especial do cantor Otávio Almeida e a cantora Celia Jones e Dia 31/05, o Show ‘Um Hino ao Amor: Homenagem a Maysa e Altemar Dutra com a participação do cantor Orlandinho e a cantora Malu Garcez. No teatro Rival Refit, tenho 5 shows já agendados:  Dia 11 de maio farei o show da cantora Kay Lyra em homenagem aos 90 anos de seu pai Carlos Lyra; dia 26 de maio apresentarei o “Tributo ao Emilio Santiago” com o cantor Valdeir Valença e o grupo Bate Papo; Dia 10 de junho apresentarei o Tributo ao Wilson Simonal com o Zeca do Trombone e banda;  no dia 07 de julho farei o 1º Encontro de Mantras/2023 e no dia 06 de outubro faremos o show em Homenagem aos 78 anos do Taiguara com o cantor Rubens Kurim e o pianista Leandro Braga entre outros. No dia 25 de maio a grande Rogéria faria 80 anos e, em homenagem a ela, apresentarei no dia 26/05 na Sala Baden Powell e no dia 27/06 no Centro Carioca da Música Artur da Távola o show ‘Rogéria: 80 Anos’ e no dia 19 de maio, apresentarei o show “O Amor não Cabe em Si” em homenagem ao Djavan, com o cantor Adalto Bastos, no Cariocando do Catete.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Vi que você apresentará 04 shows em Curitiba em maio. Como é isso, agora, além de produzir no RJ você também produz na capital paranaense?

Isso mesmo, estarei apresentando 03 shows no Teatro Fernanda Montenegro. No dia 12 de maio/2023 apresentarei o show “Taiguara, Teu Sonho Não Acabou…” com o cantor Rubens Kurin e o pianista Leandro Braga; no dia 18 de maio/2023 apresentarei o show que a cantora Kay Lyra fara em homenagem aos 90 anos do seu pai Carlos Lyra e no dia 28 de maio/2023, apresentarei o show “Os 3 Grandes Tenores da MPB: Agnaldo Timóteo, Agnaldo Rayol e Altemar Dutra” com o cantor Wladimir Cabanas e, no Teatro Paulo Autran (no mesmo shopping Batel, do Teatro Fernanda Montenegro) apresentarei nos dias 13 e 14 de maio, em homenagem ao Dia das Mães , o espetáculo “Eu Sempre Soube…” com texto e direção do meu querido amigo Marcio Azevedo com a atriz Rosane Goffman. Estou voltando a Curitiba depois de ter feito muito sucesso com o show “Odara” com o Duo Rosa Amarela em fevereiro/2023. Através desta apresentação, consegui boas parcerias em hotel, restaurante, jornais, sites e rádios locais e, por isso, fui convidado pela direção do teatro, a voltar com outros espetáculos e é isso que estou fazendo agora durante esse mês de maio/2023.

Como é trabalhar com Rosane Goffman nesse projeto?

Não sei dizer ainda, esse será o meu primeiro trabalho com ela. Até aqui estou adorando. Uma super profissional com muitos anos de sucesso no teatro e na tv. Se tudo der certo e eu espero que dê, continuaremos a parceria por outros teatros pelo pais.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Você tem algum conselho para quem quer seguir carreira na área cultural?

Acreditar sempre no seu ‘taco’ e estar sempre cercado por gente do bem. Muitas vezes é melhor andar sozinho do que mal acompanhado.

Com quem você gostaria de trabalhar, mas ainda não teve oportunidade?

Queria muito ter feito shows com Wilson Simonal, Taiguara e Emilio Santiago e, certamente diminuo o pesar, produzindo shows em homenagem a esses 3 grandes da nossa MPB. Sou fã de Paulinho da Viola e tenho a honra de produzir o show da sua filha Eliane Faria em homenagem aos seus 80 anos. Amo de paixão o Benito di Paula, quem sabe um dia?! E quem não gostaria de produzir o Rei Roberto Carlos? Fico satisfeito fazendo parceria com o ‘cover oficial’ dele, o meu amigo Carlos Evanney.

João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão
João Luiz Azevedo: 30 anos de profissão

Qual é a sua visão sobre a cena cultural atual na nossa cidade?

Uma pena perdermos um espaço tão importante para a cultura do carioca como o teatro Leblon para a igreja e hoje já soube que o Teatro Serrador está prestes a fechar de vez. Isso sem falar no fechamento do teatro Villa Lobos que sofreu um incêndio e nunca se pensou em revitalizá-lo. Por outro lado, temos notícias que a iniciativa privada irá transformar o antigo Cine Roxy em uma casa de shows voltada para turismo (certamente, como foram os antigos Scala e Plataforma) e reabrirá o antigo Canecão!!!

Um orgulho nestes 30 anos de profissão?

Ter trabalhando muito nesses 30 anos, sem um único patrocínio, sem uma lei de incentivo. Sempre produzi o que quis, como quis e com quem quis… Nunca desviei dos meus objetivos para agradar ninguém. Sempre direciono meus espetáculos para o público que compra os ingressos e com isso eu pago meus custos…

Que seja sempre assim !!!

1 COMENTÁRIO

  1. Que maravilhoso depoimento do seu trabalho. Quanta riqueza em cada participação e muita informação para nós. Parabéns