Início » José Castello revisita Graciliano Ramos no encerramento do Clube de Leitura CCBB 2022

José Castello revisita Graciliano Ramos no encerramento do Clube de Leitura CCBB 2022

por Redação
José Castello

O décimo e último encontro do Clube de Leitura CCBB 2022 homenageará o romancista, cronista, contista, jornalista e político Graciliano Ramos (1892-1953) e, para tal, convidou o escritor José Castello a fim de conversar com a curadora Suzana Vargas. O papo vai girar em torno de “Vidas Secas”, romance de 1938 escolhido entre três títulos pelo público, através do Twitter do CCBB RJ. Luís Antônio de Assis Brasil, um dos grandes ficcionistas contemporâneos, fará uma participação virtual no encontro, marcado para esta quarta-feira, dia 14 de dezembro, às 16h, no salão de leitura da Biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro. O patrocínio é do Banco do Brasil.

“Graciliano Ramos é nossa grande referência quando falamos da literatura de cunho regional e abordagem universal . Toda a sua obra nos mostra um Brasil de início do século, nordestino e feudal. Seus personagens inesquecíveis devem ser sempre lembrados – e esse é o objetivo do nosso Clube de Leitura que encerra o ano de 2022. Para abordar ‘Vidas Secas’, título mais votado pelo Twitter, convidamos José Castello, um grande leitor para além do crítico literário e do ficcionista que ele é. Vamos revisitar um Nordeste que infelizmente ainda sofre com os mandos e desmandos da política agrária e com a falta d’água. E rememorar os dramas existenciais e de sobrevivência de Fabiano e Sinhá Vitória, bem como da Baleia, esse animal afogado pela seca do sertão nordestino”, contextualiza Suzana Vargas.

“Vidas Secas” é um romance fundamental, sucesso de crítica e de público. Best-seller, figura entre os livros mais importantes e influentes da literatura brasileira, tendo ganhado, em 1962, o prêmio da Fundação William Falkner (EUA) como livro representativo da Literatura Brasileira Contemporânea. Também conquistou um enorme número de leitores, tendo vendido mais de um milhão e meio de exemplares, enquanto é leitura obrigatória em escolas, concursos e em vestibulares das melhores universidades do Brasil.

O vídeo desta leitura coletiva com José Castello sobre as “Vidas Secas” de Graciliano Ramos estará disponível no canal do BB no YouTube (www.youtube.com/c/bancodobrasil) a partir de 14 de novembro.

Assista aos vídeos de alguns encontros anteriores:

Júlio Verne: www.youtube.com/watch?v=FRQlw0JYLbs

Fabrício Carpinejar: www.youtube.com/watch?v=dnVD1b0s1egw

José Saramago: www.youtube.com/watch?v=scfo6ZnT46U

Alexandre Dumas: www.youtube.com/watch?v=bmq3wIeNlo4

Chimamanda Ngozi Adichie: www.youtube.com/watch?v=WlK7zmFyydg

O Clube de Leitura CCBB 2022 é composto por três segmentos: ‘Escritores ao Vivo’, com autores que participaram dos encontros para prosear sobre a própria obra; ‘Modernos & Contemporâneos’, no qual são lidos textos e autores sob essa classificação, como é o caso do livro de Chimamanda escolhido para o encontro de novembro; e ‘Obras Primas da Literatura Universal’, que trata de autores importantes dos séculos XX e XXI.

Este será o derradeiro dos dez encontros presenciais, um por mês, realizados entre março e dezembro, com 1h30 de duração. Sempre oferecendo uma boa oportunidade para quem gosta de ler e conversar sobre as tramas, os personagens e saber até mesmo curiosidades sobre os escritores. O microfone será aberto para a plateia nos 30 minutos finais dos encontros. A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço. Excepcionalmente neste dia, os ingressos serão distribuídos apenas na bilheteria física do CCBB RJ, uma hora antes do evento.

CCBB quer incentivar a leitura

Sueli Voltarelli, gerente geral do Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro, acredita que esse projeto evidencia a Biblioteca do Banco do Brasil, criada algumas décadas antes do Centro Cultural, como uma das bases de sua fundação:

“Antes deste prédio abrigar o CCBB como conhecemos, a biblioteca já estava por aqui. Desde 1931 era a biblioteca do Banco do Brasil, com um acervo técnico nas áreas de Administração, Finanças e Economia. A partir de 1989, com a instalação do Centro Cultural, o acervo foi ampliado para as áreas de Artes, Literatura e Ciências Sociais e hoje possui cerca de 150 mil exemplares, com espaços para ler e sala infanto-juvenil. Com o Clube de Leitura, o espaço ganha mais visibilidade para o público que visita as nossas atividades culturais e muitas vezes não conhece nossa biblioteca no 5º andar, além de incentivar a leitura como forma de acesso à cultura”, conta a gerente geral.

José Castello nasceu no Rio de Janeiro, em 1951. Biógrafo de Pelé, Vinicius de Moraes e João Cabral de Mello Neto, crítico literário, cronista, romancista e jornalista, mestre em comunicação pela UFRJ, inicia sua carreira jornalística na década de 1970. Na segunda metade da década de 1980, afirma-se como produtor de críticas, reportagens e resenhas literárias para o Jornal do Brasil e para O Estado de S. Paulo. Publica “Inventário das sombras” (Record, 1999) com entrevistas com vários escritores, como José Saramago, Clarice Lispector e Nelson Rodrigues, além de relatos dos encontros com o artista plástico Arthur Bispo do Rosário. Em 2001, aventura-se na ficção em “Fantasma” (Record), uma ficção de suspense ambientada na capital paranaense, onde Castello reside desde 1994. Em 2007, publica “A literatura na poltrona” (Record), resultado de suas experiências com oficinas literárias e de jornalismo cultural. Em 2010, pela editora Bertrand Brasil, publica “Ribamar”, vencedor do prêmio Jabuti (CBL) de romance, em 2011. Em 2012, lançou “As feridas de um leitor”, também pela Bertrand Brasil, e é um seguidor de Graciliano Ramos em suas investidas literárias.

Já Suzana Vargas é gaúcha, poeta, ensaísta, escritora e professora e mestre em Teoria Literária pela UFRJ. Publicou 16 livros, entre os quais “Caderno de Outono”, finalista do prêmio Jabuti. Tem poemas traduzidos em países como Itália, EUA, Espanha, Alemanha e França. Fez a curadoria de importantes projetos literários para feiras e eventos nacionais e internacionais como as Bienais do Livro do Amazonas, do Rio de Janeiro e de São Paulo, a Primavera dos Livros, a campanha Paixão de Ler e os Encontros com a Literatura Latino-Americana do Centro Cultural do Banco do Brasil. Assina a coluna mensal “Escrever para Lembrar” no portal PublishNews – 2021. Há 26 anos criou e coordena o espaço de oficinas de criação literária Estação das Letras, único no país.

CCBB Rio

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de segunda a domingo, das 9h às 21h, no domingo, das 9h às 20h, e fecha às terças-feiras. Inaugurado em 12 de outubro de 1989, o CCBB está instalado em um edifício histórico, projetado pelo arquiteto do Império, Francisco Joaquim Bethencourt da Silva. Marco da revitalização do centro histórico do Rio de Janeiro, o Centro Cultural mantém uma programação plural, regular e acessível, nas áreas de artes visuais, cinema, teatro, dança, música e pensamento. O prédio dispõe de 3 teatros, 2 salas de cinema, cerca de 2 mil metros quadrados de espaços expositivos, auditórios, salas multiuso e biblioteca com mais de 200 mil exemplares. Os visitantes contam ainda com restaurantes e cafeterias e loja, e serviços com descontos exclusivos para clientes BB.

CLUBE DE LEITURA CCBB 2022

José Castello conversa sobre “Vidas Secas”,  de Graciliano Ramos

QUANDO: Quarta, dia 14 de dezembro de 2022, às 16h
ONDE: CCBB Rio de Janeiro – Rua Primeiro de Março, 66 /  5º andar | salão de leitura da Biblioteca

QUANTO: Grátis, mediante ingresso retirado na bilheteria física do CCBB uma hora antes do evento

MAIS INFORMAÇÕES: (21) 3808.2020 | ccbbrio@bb.com.br

Confira a programação completa no site e siga o CCBB nas redes sociais:

bb.com.br/cultura | twitter.com/ccbb_rj | facebook.com/ccbb.rj | instagram.com/ccbbrj

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via