Início » “Julius Caesar – Vidas Paralelas”, da Cia. dos Atores

“Julius Caesar – Vidas Paralelas”, da Cia. dos Atores

por Redação
Julius Caesar – Vidas Paralelas

Criado a partir do clássico “Júlio César”, de William Shakespeare, espetáculo da companhia estreia em 12 de janeiro no Oi Futuro 

Com dramaturgia e direção de Gustavo Gasparani, peça marca os 35 anos de atividade do grupo carioca 

Comemorando 35 anos de trajetória em 2023, a Cia. dos Atores estreia seu novo trabalho, “Julius Caesar – Vidas Paralelas”, em 12 de janeiro, no teatro do Oi Futuro, no Rio de Janeiro. Com dramaturgia e direção de Gustavo Gasparani, a montagem parte da tragédia “Júlio César”, de William Shakespeare, para abordar as intrincadas relações de poder que perpassam a trama original, mas aqui inseridas em um novo contexto: os ensaios de uma companhia teatral que prepara justamente uma montagem da peça sobre o famoso imperador romano. O elenco é formado por Cesar Augusto (um dos fundadores e integrante da Cia. dos Atores), Isio Ghelman, Gabriel Manita, Gilberto Gawronski, Suzana Nascimento e Tiago Herz. O espetáculo fica em cartaz até 12 de fevereiro, com sessões de quinta a domingo. 

Publicada originalmente em 1599, a peça de natureza histórico-política escrita por Shakespeare recria a conspiração que levou ao assassinato do grande ditador romano Júlio César, bem como os seus desdobramentos. Passados mais de 400 anos, a contemporaneidade do texto é surpreendente, com personagens envolvidos em disputas de poder, intrigas, manipulações e traições. Em “Julius Caesar – Vidas Paralelas”, a dramaturgia propõe uma reflexão pertinente sobre questões sociais e políticas, entrecruzando a trama original de Shakespeare e as relações encontradas nos bastidores do processo criativo de uma companhia teatral fictícia com mais de três décadas de trajetória.   

“O que me chamou atenção na peça é que a macropolítica do poder romano não tem diferença alguma para a micropolítica do dia a dia. Nós vemos isso na sala de aula, no condomínio ou numa relação de casal. Esse jogo de poder está presente no nosso cotidiano”, diz Gasparani, fundador e integrante da Cia. dos Atores, que dirige pela primeira vez um espetáculo do grupo. 

O aposto “Vidas Paralelas” faz referência às analogias estabelecidas entre os personagens da obra de Shakespeare e os integrantes da companhia teatral da trama criada por Gasparani. “A peça propõe um espelhamento entre essas figuras”, diz Gasparani. Além disso, “Vidas Paralelas” é o nome do livro do filósofo e historiador grego Plutarco no qual Shakespeare se inspirou para escrever “Júlio César”. 

Em cena, uma companhia teatral está ensaiando a famosa peça sobre o imperador romano. Todas as questões de um grupo de teatro que convive há décadas, bem como assuntos mais amplos da classe artística, vão se revelando no decorrer da trama – cruzando-se com a história original de Shakespeare, que vai se desenhando ao longo dos ensaios. Nas duas situações, vêm à tona dilemas da humanidade. “Estou interessado no que vai dentro do ser humano. O que faz as pessoas agirem de determinada forma? O que faz alguém quebrar um camarim? O que motiva outro a trair o seu melhor amigo em Roma? É inveja? É medo? Quais são as questões internas de cada personagem?”, indaga Gasparani. 

A trama de Shakespeare é ambientada em Roma, 44 anos antes de Cristo. O povo romano quer entronizar Júlio César como imperador. Antes apoiadores do governo, Cássio e Casca convencem Brutus – amigo de César, mas ainda mais leal a Roma – a organizarem um complô para assassinar o líder. No Senado, os conspiradores apunhalam César, sendo Brutus o último a golpeá-lo. A famosa cena eternizou uma das mais conhecidas frases da dramaturgia de Shakespeare, quando César, estupefato, pergunta: “Até tu, Brutus?”. 

Fundador e integrante da Cia. dos Atores, o ator Marcelo Olinto criou os figurinos de quase todas as produções da companhia. Para “Julius Caesar – Vidas Paralelas”, ele investiu no realismo contemporâneo por meio de roupas frequentemente usadas numa sala de ensaio, como moletons e camisetas. “Fiz um trabalho de tingimento manualmente, usando uma cartela de cores com tons de cinza, azul, vinho e verde”, diz. “Na transição para a peça de Shakespeare que os personagens estão ensaiando, usamos o moletom com capuz que, amarrado de diferentes maneiras, vai ganhando novas identidades.” 

A montagem de “Julius Caesar – Vidas Paralelas” celebra reencontros com parceiros recorrentes nos 35 anos de companhia. Nesta peça, está de volta a diretora de produção Claudia Marques, que esteve presente em diversos projetos do grupo. Gilberto Gawronski, desta vez no elenco, foi o primeiro diretor convidado da Cia. dos Atores, com o espetáculo “Meu Destino é Pecar (2002).    A atriz Suzana Nascimento esteve em cena em “Autopeças 2 – Peças de Encaixar” (2011). Já a cenógrafa Beli Araújo é outra parceria de longa data do grupo, tendo participado de “Insetos” (2018) e a “A Morta” (1992). 

 “O espetáculo Julius Cesar foi escolhido para abrir a programação de Oi Futuro de 2023 por ter total convergência com o que acreditamos quanto ao poder transformador da arte e à busca pelo que é novo, uma obra artística traz para o primeiro plano questões contemporâneas e comunica com o nosso tempo”, diz Victor D’Almeida, gerente executivo de Cultura do Oi Futuro.

 “Julius Caesar – Vidas Paralelas” tem patrocínio da Oi, do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado Cultura e Economia Criativa através da Lei de Incentivo à Cultura e correalização Oi Futuro e Cia dos Atores.

CIA. DOS ATORES

Formada pelos atores Cesar Augusto, Gustavo Gasparani, Marcelo Olinto, Marcelo Valle, Susana Ribeiro e Bel Garcia (in memorian), a Cia. dos Atores (@ciadosatores) comemora 35 anos de atividade ininterrupta em 2023, se tornando um dos grupos de maior tempo de trabalho no Rio de Janeiro. Já recebeu os principais prêmios do teatro brasileiro. Seu repertório inclui mais de uma dezena de espetáculos, entre eles, “Melodrama”, “A Morta”, “O Rei da Vela”, “A Bao A Qu (Um Lance de Dados)” e “Conselho de Classe”, primeira parceria com Jô Bilac. Em 2018, estrearam “Insetos”, espetáculo que marcou os 30 anos de criação da companhia. Em 2020, a Cia. dos Atores lançou um novo canal do grupo no YouTube (youtube.com/ciadosatores).

Mantendo sempre o mesmo núcleo de atores, esse grupo carioca, além de ter representado em festivais nacionais e internacionais, foi responsável pela direção artística de dois teatros da rede municipal da prefeitura do Rio de Janeiro: Teatro Ziembinski e Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto. Localizada na escadaria do Selarón, na Lapa, a sede da Cia. dos Atores (@sedeciadosatores) foi inaugurada em 2006. De lá para cá, a companhia já promoveu ali uma série de atividades: ensaios, treinamentos, mostras de dramaturgia contemporânea, apresentações, oficinas gratuitas e parcerias institucionais.

FICHA TÉCNICA 

“Julius Caesar – Vidas Paralelas” 

Dramaturgia e direção:  Gustavo Gasparani

Direção de produção: Claudia Marques – Fábrica de Eventos

Elenco:  Cesar Augusto, Isio Ghelman, Gabriel Manita, Gilberto Gawronski, Suzana Nascimento e Tiago Herz.

Equipe Artística: 

Cenografia: Beli Araújo

Figurinos: Marcelo Olinto 

Iluminação: Ana Luzia De Simoni

Projeções e Vídeos: Batman Zavareze

Direção musical: Gabriel Manita

Assistente de direção: Menelick de Carvalho

Comunicação:

Assessoria de Imprensa: Paula Catunda

Redes Sociais: Rafael Teixeira

Captação de conteúdo e clipes para redes sociais: Daniel Barboza

Design Gráfico: Felipe Braga

Fotografia: Nil Caniné

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via