Kay Lyra canta Carlos Lyra: Homenagem aos 90 anos do pai de Kay, Carlos Lyra e aos 65 anos da Bossa Nova, no Teatro Rival

Um dos papas da bossa nova, CARLINHOS LYRA completará 90 anos no próximo dia 11 de maio/2023 e ninguém melhor que sua (única) filha KAY LYRA para homenageá-lo nos palcos do pais.

E será exatamente isso que acontecerá, justamente nesta data, dia 11 de maio/2023, quinta feira, 19:30h no palco do Teatro Rival.

KAY LYRA aproveitará a oportunidade para homenagear os 90 anos de seu pai CARLINHOS LYRA e também os 65 anos da Bossa Nova.

No repertório, clássicos como ‘Você e Eu’, ‘Minha Namorada’, ‘O Negócio é Amar’, ‘Sabe Você’, ‘Marcha da Quarta Feira de Cinzas’, ‘influência do jazz’, composições de Carlos Lyra e também ‘O Barquinho’, ‘Aguas de Março’, ‘Chega de Saudade’ entre outras referências à bossa nova.

O show conta com a participação especial de Mauricio Maestro (voz, violão e direção musical), Alberto Chimelli (piano e teclados) e Erivelton Silva (bateria).

KAY LYRA e a música

A música sempre fez parte da minha vida e devo isso ao meu pai, Carlos Lyra, um dos fundadores do movimento na primeira geração da bossa nova juntamente com o letrista por excelência da bossa, o diplomata e poeta Vinícius de Moraes, e o compositor Antônio Carlos Jobim, o Tom Jobim.

Desde pequena, ainda com três anos de idade, papai deixava eu usar sua vitrola e mexer em todos os seus discos, e eu nunca arranhei sequer um deles! Assim eu ia ouvindo tudo aquilo que papai gostava, eram discos nacionais e internacionais, ainda com aquelas capas que pareciam para mim gigantescas, com artes gráficas lindas e instigantes que já anunciavam na minha imaginação de menina o som gratificante que eu iria ouvir.

     Durante estes idos anos morando em Los Angeles passei a ouvir não somente os discos da Walt Disney com canções como “Some Day My Prince Will Come”, mas também os boleros na voz de Lucho Gatica, o cool jazz de Chet Baker, as interpretações perfeitas de Ella Fitzgerald, os impressionistas Maurice Ravel e Claude Debussy, os russos Nikolai Rimsky        Korsakov, Stravinsky, Prokofiev, os discos dos musicais americanos com Fred Astaire e Gene Kelly, grupos vocais como Os Cariocas e Tamba Trio, a fantástica cantora Elis Regina,  a batida perfeita de João Gilberto, Garoto, o belga Jacques Brel,  as áreas de ópera… Enfim, tanta coisa naquele mundo mágico da vitrolinha do papai que adquirimos gostos bastante semelhantes quando o assunto é música.

O Legado de um Pai

Quando pensamos em homenagear um grande artista sentimos sempre, em primeiro lugar, a responsabilidade de representar aquele legado da melhor maneira possível. Mas além disso como filha, apesar de saber da importância da obra de papai e saber sobre o impacto que a bossa teve na música brasileira e no mundo,  em primeiro lugar eu desejo fazer uma homenagem com todo o amor que tenho pela obra de papai, a qual nunca deixei de cantar nesses meus trinta anos de carreira, mas quero também, de coração, que seja uma homenagem que o meu pai possa gostar. Pensei em tudo aquilo que ele me ensinou na música e na vida e tenho certeza de que ele irá gostar pois “isso é bossa nova, isso é muito natural”! Será um presente que quero dar ao meu pai e ao meu público, e porque não dizer a mim também.

O Show

Tenho trabalhado com o baixista, violonista, arranjador compositor e intérprete Mauricio Maestro. Sua grande escola musical foi autodidata, como a maioria da turma da bossa, mas bebeu diretamente da fonte dos grandes que frequentavam sua casa quando pequeno, como o pianista Luiz Carlos Vinhas, Oscar Castro Neves, Roberto Menescal e o próprio Carlos Lyra. Sua mãe, Lourdes Figueiredo, tocava  piano e compunha muito bem, assim como o pai de Mauricio, Geraldo Figueiredo, tendo eu gravado uma das músicas do casal, certa vez cobiçada pelo próprio João Gilberto, uma bossa nova chamada “Sim Deve Ser Amor”, para o mercado japonês. Mauricio Maestro, também o fundador do grupo Boca Livre, estará na direção musical do show. Ele é a pessoa ideal para homenagear o sogro pois além de grande admirador, ele tem o entendimento harmônico e rítmico da bossa nova, além de ter convivido com o próprio Carlos Lyra devido às reuniões musicais da sua infância e o casamento comigo, a filha do homem.

KAY LYRA Canta CARLOS LYRA:  Homenagem aos 90 anos do pai de Kay, Carlos Lyra e, aos 65 anos da Bossa Nova

Show musical com a cantora Kay Lyra e a participação especial de Mauricio Maestro (voz, violão e direção musical) e dos músicos Alberto Chimelli (piano e teclados) e Erivelton Silva (bateria).

Produção e Assessoria de Imprensa: João Luiz Azevedo

Teatro Rival

Rua Álvaro Alvim 33 – Cinelândia

Dia 11 de maio/2023

Quinta Feira – 19:30h

Os ingressos, a partir de R$ 50,00 podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou pelo site da SYMPLA por aqui:

https://bileto.sympla.com.br/event/82310

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui