Música das 7

Wanda Sá, Gilson Peranzzetta e Mauro Senise (foto: Ana Luisa Marinho)
Wanda Sá, Gilson Peranzzetta e Mauro Senise (foto: Ana Luisa Marinho)

A cantora Wanda Sá, o maestro e pianista Gilson Peranzzetta, responsável pelos arranjos e pela direção musical do espetáculo, e o saxofonista e flautista Mauro Senise vão cruzar instrumentos para celebrar as seis décadas da bossa nova dentro do projeto ‘Música das 7’. Será no dia 14 de março, às 19h, no Teatro Riachuelo, Centro do Rio, onde funcionou por décadas o extinto Cine Palácio. Ingressos a R$ 60.

Nós três estamos muito felizes e honrados com a realização deste show em comemoração aos 60 anos da bossa nova, essa jovem senhora atualíssima, que continua encantando o mundo. Tom Jobim foi o nosso escolhido para esta homenagem e vamos apresentar algumas de suas mais emblemáticas composições em versões cantadas e instrumentais, com a colaboração de Adriano Giffoni no contrabaixo e João Cortez na bateria”, adianta Peranzzetta.

Que prazer participar desta celebração especial da bossa nova, que é uma das músicas mais lindas do mundo, ao lado desses queridos companheiros de som! Vamos tocar um repertório no qual predomina a música do mestre Jobim, o que é sempre um aprendizado para nós, músicos, e um bálsamo para o público, que está tão carente de melodias bonitas e de ricas harmonias”, aposta Senise. Ele e Peranzzetta mantém um duo atuante (e com álbuns novos, de tempos em tempos) há mais de 25 anos.

Wanda Sá tem total intimidade com essa obra. Como escreveu o jornalista Hugo Sukman: “Muita gente, no Brasil e no mundo, faz ou mesmo é bossa nova. Mas só Wanda Sá é bossa nova mesmo. Ou melhor, é bossa nova em todas as suas dimensões: fez parte do movimento, tendo lançado clássicos como ‘Inútil paisagem’, dado por Tom na ocasião que gravou seu primeiro disco e ‘Vagamente’. Além de ser protagonista da capa mais bossa nova que existe, a do LP ‘Wanda vagamente’ (1964), no qual caminha pela areia da praia arrastando seu violão, numa incrível imagem-síntese”.

O roteiro puxa a sardinha para a obra jobiniana com parceiros e inclui aqueles clássicos que navegaram nas águas tranquilas do gênero musical carioca, como “Wave” e ˜Vivo sonhando” (Tom Jobim), “Samba de uma nota só” (Tom e Newton Mendonça), “Janelas abertas”, “Só danço samba”, “Água de beber” e “Garota de Ipanema” (Tom e Vinicius de Moraes), uma das músicas brasileiras mais regravadas no planeta.

Faz um ano que caprichamos nessa parceria com o Teatro Riachuelo. É ótimo oferecer tantos shows de artistas que admiramos para o público do Centro após o expediente. O Riachuelo é um teatro novo, lindo e super bem equipado. Só alegrias!”, exulta o produtor Flávio Loureiro. Ele e Fernanda Santos são os responsáveis pelo projeto, em parceria com a direção da casa.

Com patrocínio do Opportunity e da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro através da Secretaria Municipal de Cultura pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca, o ‘Música das 7’ também é uma homenagem ao legendário ‘Projeto Seis e Meia’, que completou 40 anos em 2017.

Uma vez por mês, sempre terça ou quarta e, invariavelmente, às 19h, grandes nomes da MPB se apresentam na série, que está no seu segundo ano. Leila Pinheiro e Grupo Semente foram as atrações de janeiro e fevereiro e teremos Zé Renato lançando o álbum “Bebedouro” em abril e a dupla Jussara Silveira e Renato Braz em maio, a bordo do projeto Fruta Gogoia, uma homenagem à Gal Costa.

Wanda Sá, Gilson Pezanzzetta e Mauro Senise no ‘Música das 7’

https://www.facebook.com/events/1242444819189713/ 

QUANDO:14 de março, uma quarta-feira, às 19h
ONDE: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio, 38 / 40, Centro do Rio
QUANTO: Plateia a R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia entrada); balcão e balcão nobre a R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia entrada)

E MAIS: A casa dispõe de 1.000 lugares, a censura é livre e as vendas são efetuadas na bilheteria do teatro e nohttp://bit.ly/WandaGilsonEMauroNoTeatroRiachueloRio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here