Início » “O Homem que queria ser Rita Cadillac” no Cine Joia, Copacabana

“O Homem que queria ser Rita Cadillac” no Cine Joia, Copacabana

Com texto de Márcio Américo, direção de Fábio Guará e supervisão artística de Ricardo Blat, peça comemora 10 anos de montagem

por Redação
Foto: Carlos de Moraes

O programa de televisão Cassino do Chacrinha foi, com certeza, um marco para os anos 80. Além das apresentações musicais e dos shows de calouros, a atração ficou conhecida também pelas belas assistentes de palco: as famosas chacretes. E, entre as mais de 500 mulheres que passaram pelo programa, estava a irreverente Rita Cadillac, inspiração da peça “O homem que queria ser Rita Cadillac”.

Em comemoração aos 15 anos da Tartufaria, a comédia de Márcio Américo, direção de Fábio Guará e supervisão artística de Ricardo Blat retorna aos palcos cariocas no sábado, 12 de fevereiro, às 20 horas no Cine Joia, em Copacabana, onde cumpre temporada até o dia 26 do mesmo mês.

A Tartufaria de Atores surgiu de um grupo de jovens atores que sonhava estar em cartaz no Rio de Janeiro, a Cia. sempre escolheu textos cujos nomes causam certo estranhamento como “O Homem que Queria ser Rita Cadillac”, a primeira montagem do grupo.

Sobem ao palco atores experientes e considerados promessas do humor nacional como:  Celso Jardim, Daniel Bouzas, Andrey Lopes, Fábio Guará,  Patryk Moura e Eduardo Cravo, que contam com a participação especial de Carol Zanqui.

A trama se desenvolve a partir da história de Clovão, um pobre brasileiro morador do subúrbio carioca e que alimenta um amor platônico por Rita Cadillac. E exatamente por causa desse sentimento, Clovão decide desbravar o mundo do crime. O objetivo: se tornar rico e dar à Rita uma vida de luxo. Para isso, ele e seu amigo Ricardinho resolvem assaltar um banco, porém, o plano falha e Clovão vai preso. Na cadeia, ele conhece Jotalhão, um matador romântico dos anos 70 que deixa a história ainda mais inusitada e, claro, engraçada.

Recheada de situações cômicas absurdas, a peça está em cartaz desde 2011 e já circulou por diversas cidades brasileiras. O espetáculo tem pitadas de humor político e trilha sonora especial.

O autor

Márcio Américo é dramaturgo, humorista, periodista, roteirista, escritor de esquetes para TV, rádio e stand up comedies.  Entre as suas principais obras está “Meninos de Kichute” (2000). Ele nasceu em Londrina, Paraná, mas mora em São Paulo desde 2000, quando passou a atuar como redator humorístico na TV Gazeta, Bandeirantes e Rede TV.

SINOPSE
No espetáculo dirigido pelo ator Fábio Guará, Clovão é um homem que alimenta, há tempos, o desejo de conquistar Rita Cadillac, de quem é fã. Ao lado de um comparsa, o amigo Ricardinho, Clovão acaba metendo os pés pelas mãos. É trapaceado e acaba preso. Na cadeia, conhece Jotalhão, um matador que passa a ajudá-lo na elaboração de um plano de fuga inspirado em programa sensacionalista da TV.

FICHA TÉCNICA / SERVIÇO:
Texto: Márcio Américo
Direção: Fábio Guará
Elenco: Celso Jardim, Daniel Bouzas, Andrey Lopes, Fábio Guará, Patryk Moura, Eduardo Cravo. Participação especial:  Carol Zanqui
Supervisão artística: Ricardo Blat
Local: Cine Joia – Av. Nossa Sra. de Copacabana, 680 – Copacabana
Temporada: Sábados – de 12 a 26 fevereiro, 20 horas
Capacidade: 84 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos
Preço: R$ 40,00 inteira, R$ 20,00 meia
Obrigatório apresentar comprovante de vacinação.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via