Planet Hemp estreia videoclipe de “Jardineiro” com mensagem contundente sobre a legalização da maconha

Data:

“Alô, Alô população / Planeta Terra / Veja quem lucra com a proibição / E você vai descobrir / Quem sustenta essa guerra”. Logo nos primeiros versos e cenas de “JARDINEIRO”, o Planet Hemp dá uma pista de que jornada contestadora da banda está prestes a ganhar um novo capítulo.  Em 22 de maio, 4ª feira, às 20h, a banda lança o videoclipe da faixa que integra o aclamado álbum “JARDINEIROS”, vencedor de dois prêmios no Latin GRAMMY 2023, no canal oficial do YouTube da banda

O clipe foi capturado na Fazenda Sofia Langenbach, o primeiro local no Rio de Janeiro autorizado a cultivar maconha legalmente para fins medicinais. Operando sob uma decisão judicial favorável, a fazenda é também sede da APEPI (Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal), cuja produção de medicamentos beneficia anualmente mais de 10 mil famílias. Nas cenas, Marcelo D2, BNegão, Pedro Garcia, Formigão e Nobru, integrantes do banda, são partes do processo de cultivo, mostrando toda a etapa produtiva, ao lado dos trabalhadores da fazenda.

“Gravar na Fazenda Sofia Langenbach foi uma experiência reveladora para todos nós. Estar em um lugar que simboliza a luta e a vitória da cannabis no Brasil deu um significado ainda maior para o clipe. Queremos que as pessoas vejam o vídeo e reflitam sobre quem realmente está ganhando com a proibição e quem é prejudicado por ela. A discussão sobre a maconha não deve ser apenas sobre o uso recreativo, é uma conversa sobre direitos, saúde e justiça social”, afirma Marcelo D2, vocalista da banda.

O Planet Hemp sempre foi uma voz ativa na luta pela descriminalização da maconha, e isso se reflete em toda sua trajetória, desde o lançamento de “Usuário”, primeiro álbum da banda, em 1995. Com uma abordagem enfática e reflexiva, em “JARDINEIRO” a banda apresenta uma nova maneira para apontar o modo anacrônico e hipócrita de como o assunto é tratado no Brasil. O videoclipe da faixa amplia esse discurso, combinando letra e melodia com uma linguagem visual ao mesmo tempo vibrante e psicodélica, que captura a essência contestadora da canção e do DNA da banda.

O lançamento marca o quarto videoclipe do álbum “JARDINEIROS”, seguindo os sucessos anteriores de “DISTOPIA”, “TACA FOGO” e “MEU BARRIO”. Cada obra reafirma o compromisso da banda na luta por justiça social, liberdade e a descriminalização da cannabis, enfatizando a importância de seu uso medicinal e do impacto social positivo que sua cadeia produtiva pode gerar. Com “JARDINEIRO”, o Planet Hemp continua a usar sua plataforma para desafiar estigmas, interesses escusos e, sobretudo, promover uma discussão urgente sobre políticas de drogas no país.


FICHA TÉCNICA – clipe Jardineiros


Direção – Rapha Erichsen
Direção de Fotografia – Rodrigo Braga
Assistente de Direção – Bárbara Poerner
Operação de Câmera – Caroline Pires
Coordenação – Mayra Ceolin
Segunda Unidade de Câmera – Vinícius Cole
Assistentes de Câmera – Marina Gurgel e Victor Hugo Alves
Edição – Mauro Tracco
Colour Grading – Marcelo Cosme / The Hue
Produção – Impossível
Produção Executiva – Luiza Machado
Figurino – Adriane França
Maquiagem – Marianna Myszkowski
Fotografia Still – Rodrigo Braga
Técnico de Som – Elton Bozza
Roadie – Pedro Schroeter
Motorista – Juarez Sampaio
Making of – Luisa Fosco
Marketing: Moving
Assessoria de comunicação Lupa Comunicação
Realização: Pupila Dilatada, Elemess e Som Livre

Planet Hemp

Surgida na cena underground do Rio de Janeiro em 1993, o Planet Hemp é uma banda de ‘raprocknrollpsicodeliahardcoreragga’. Em 1995 foi lançado seu primeiro disco, “Usuário”, eternizando hits como “Legalize Já”, “Mantenha o Respeito” e “Dig Dig Dig”,  que reforçam uma das principais bandeiras do grupo, a legalização da maconha. Com 150 mil cópias vendidas, o sucesso abriu portas para o segundo álbum de estúdio, “Os Cães Ladram mas a Caravana Não Pára”, que apresentou o sucesso “Queimando Tudo”. O novo projeto rendeu ao Planet Hemp momentos marcantes, como o Disco de Platina e a prisão da banda em 1997, que passou a enfrentar a resistência de setores mais conservadores da sociedade. O terceiro disco autoral –  “A Invasão do Sagaz Homem Fumaça” – viria no ano 2000, com destaque para a track “Ex-Quadrilha da Fumaça” e “Contexto”. Consagrando todo o sucesso e reconhecimento do grupo na cena musical, posicionando o Planet Hemp como uma banda de origem underground que habita o mainstream,  em 2001 foi lançado o disco “MTV ao Vivo: Planet Hemp”. 

Ao longo dos anos, o Planet Hemp contou ainda com outros integrantes como Black Alien, Apollo 9, Negalê, Daniel Ganjaman, Seu Jorge, Zé Gonzales, Speed e Jacksom. Em julho de 2022 – tendo em sua formação atual Marcelo D2, BNegão, Formigão, Pedro Garcia, Daniel Ganjaman, Nobru e Venom- o grupo assinou com a gravadora Som Livre para o lançamento de seu quarto álbum de inéditas. O primeiro single lançado foi “Distopia”, no mês de setembro, em feat com o rapper Criolo MC. Em outubro, o Planet Hemp lançou o álbum “Jardineiros”, com participações de nomes como Black Alien, Trueno,  Tropkillaz, MC Carol de Niterói (“Onda Forte”) e Tantão e Os Fita. O projeto teve produção assinada por Mario Caldato, Nave e Zegon, além da própria banda. O álbum foi vencedor de duas categorias no Latin GRAMMYs 2023.

Siga o Planet Hemp nas redes sociais:

Instagram
Facebook
Twitter
YouTube

Últimas notícias

Leia também

Talvez você goste
Relacionada

Rock in Rio Lisboa começa hoje com edição especial que celebra os 20 anos de história

Faltam poucas horas para o início da histórica edição...

Vivo na Praia de volta a Ipanema

O projeto Vivo na Praia, promovido pela Vivo, está de...
Compartilhe
Send this to a friend