Prêmio EDP nas Escolas anuncia vencedores e vai entregar óculos 3D, tablets, notebooks e melhorias em instituições de ensino

Em parceria com o Instituto Mpumalanga, iniciativa da EDP estimula a mudança da prática pedagógica por meio do uso da tecnologia em sala de aula

por Redação

A EDP, empresa que atua em todas as áreas de negócios do setor elétrico brasileiro, anuncia os vencedores de mais uma edição do Prêmio EDP nas Escolas, competição que visa engajar o ambiente estudantil em temas relevantes para a sociedade e o meio ambiente. Em 2023, as instituições participantes foram desafiadas para a criação de conteúdos criativos com foco no tema Energias Renováveis.

Foram três categorias de premiação: escolas, estudantes e professores. Respectivamente, os vencedores de cada categoria vão receber melhorias na infraestrutura, óculos 3D e tablets, e notebooks. No total, 248 alunos e catorze professores foram premiados, e três escolas contempladas com melhorias nos estados do Amapá, Goiás, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins. Os trabalhos vencedores estão disponíveis em www.inclusão digital nas escolas.com.br.

A categoria Estudantes contou com a participação de seis mil alunos de 270 turmas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Com a orientação dos professores, eles usaram a criatividade para se expressar sobre as energias renováveis em vídeos de até dois minutos utilizando diversos formatos e narrativas. Os 270 trabalhos foram avaliados por profissionais de diferentes áreas. No final, foram 11 trabalhos vencedores envolvendo 248 alunos que vão receber óculos 3D – Google Cardboard. Os professores das turmas premiadas também serão contemplados com tablets.

Já a categoria Professores teve como objetivo principal aprofundar a participação dos docentes no processo de inserção de mais tecnologia na prática pedagógica. Durante o programa EDP nas Escolas, os profissionais receberam uma formação no Khan Academy Experts e estimularam as crianças para a utilização de tecnologia durante a aula, a realização de pesquisas usando o tablet, além da promoção de ações inovadoras no dia a dia, como organizar uma feira de ciências ou produção de maquetes. Os professores que mais se engajaram ao longo do programa são os vencedores e vão receber um notebook cada um.

Na categoria Escolas, o prêmio avaliou a proporcionalidade da quantidade de professores em cada instituição em relação ao seu engajamento com a tecnologia usada em aula. Após a realização de pesquisa e avaliação, três escolas foram vencedoras e serão contempladas com melhorias de infraestrutura, no valor de até R$ 90 mil para a 1ª colocada, R$ 60 mil para a 2ª colocada, e 50 mil para a 3ª colocada.

Para Vivian Schaeffer, coordenadora do projeto, a sensação é de dever cumprido. “Ao longo do ano, tivemos o grande desafio de entrar nas escolas participantes do projeto, em comunidades ribeirinhas, de centros urbanos, quilombolas e rurais, com a entrega dos tablets e capacitação dos professores. Percebemos que nosso trabalho sempre tem a evoluir e a contribuir. Queremos melhorar a educação por meio de capacitação e tecnologia”, finaliza.

“Com o EDP nas Escolas buscamos dar apoio para a conectividade dos alunos, engajar e conscientizar a comunidade sobre a urgência da energia renovável. Queremos também promover a qualificação dos professores e possibilitar melhorias nas escolas. Todas essas iniciativas fazem parte da atuação da EDP para uma transição energética justa”, Marcela Garcia de Almeida, gestora do Instituto EDP.

O prêmio é parte do Programa EDP nas Escolas, que visa promover a inclusão digital em escolas públicas de todo o país por meio da capacitação de professores, da doação de tablets e da disponibilização de material e conteúdo digital a ser trabalhado em sala de aula. Desenvolvido pela EDP em parceria com o Instituto Mpumalanga, o programa está alinhado à agenda 2030 da ONU, que estabelece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem atingidos nos próximos sete anos. Com o EDP nas Escolas, a empresa colabora para as metas dos ODS 1 (erradicação da pobreza), 4 (educação de qualidade), 10 (redução das desigualdades) e 11 (cidades e comunidades sustentáveis).

Além da premiação, também fazem parte do programa os projetos Realidade Virtual e Inclusão Digital. Em 2023, participam do programa 51 escolas públicas nas regiões onde a EDP atua: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

Veja a lista dos vencedores do PRÊMIO EDP NAS ESCOLAS 2023:

CATEGORIA ESTUDANTES

AEE (Atendimento Educacional Especializado)

EM Adão Ferreira De Souza – Porto Grande – AP

Profª Lindaiane Raposo Alves

35 alunos

EJA (Educação de Jovens e Adultos)

EMEF Nossa Sra das Dores – Tramandaí – RS

Profª Denise Aparecida Mann Bertoli

27 alunos

1º ANO

EM Francisco Ribeiro – Peixe – TO

Profª Izabel Maria Nogueira Netta

25 alunos

2º ANO

EMEB Nurimar Martins Hiar – Ferraz de Vasconcelos – SP

Profª Renata Valim

24 alunos

3º ANO

EM Francisco Garcia – Lajes – RN

Profª Jane Meire Trajano Alves

15 alunos

4º ANO

EMEF Jorge Enéas Sperb – Tramandaí – RS

Profª Liliane Cristina de Souza

23 alunos

5º ANO

EM Santo André – Aparecida de Goiânia – GO

Prof Thiago Venâncio Camargo Borges

30 alunos

6º ANO

EM Alexandre Câmara – Parazinho – RN

Prof Paulo Henrique Bezerra

16 alunos

7º ANO

EMEF Nossa Senhora das Dores – Tramandaí – RS

Profª Viviane Arnold Ignácio dos Santos

30 alunos

8º ANO

EM Alexandre Câmara – Parazinho – RN

Prof Aldo Alves De Melo

15 Alunos

9º ANO

EM Alexandre Câmara – Parazinho – RN

Prof Alison Sullivan de Sousa Alves

8 alunos

CATEGORIA PROFESSORES

1º Lugar – Profª Debora Regina da Silva – EMEF JORGE ENÉAS SPERB – Tramandaí – RS

2º Lugar – Profª Juliana Martins de Assis – EM ALEXANDRE CÂMARA – Parazinho – RN

3º Lugar – Profª Viviane Arnhold I. dos Santos – EMEF NOSSA SENHORA DAS DORES – Tramandaí – RS

CATEGORIA ESCOLAS

1º Lugar EMEF Nossa Senhora das Dores – Tramandaí – RS

2º Lugar EMEF Jorge Enéas Sperb – Tramandaí – RS

3º Lugar Grupo Escolar Severino Barbosa – Areial – PB

Instituto MPUMALANGA

É uma organização da sociedade civil que atua desde 2007 nas áreas de direitos humanos; educação; arte; cultura; gastronomia; comunicação e meio ambiente por meio de cursos, pesquisas, atendimento direto de crianças, jovens e adultos e formação de professores de redes públicas com a metodologia Viva com Arte, com ações presenciais e em ambiente virtual.

https://www.mpumalanga.com.br/

EDP no Brasil

Presente em 29 mercados, o Grupo EDP está no Brasil há mais de 27 anos com R$ 41 bilhões em ativos no país, caracterizando esta como a segunda maior operação do grupo no mundo. A companhia conta com mais de 12 mil colaboradores diretos e terceirizados no Brasil e atua nos segmentos de geração, distribuição, transmissão e comercialização de energia, além do desenvolvimento, construção e manutenção de ativos eólicos e solares. A empresa oferece soluções de energia voltadas ao mercado B2B, por meio da geração solar centralizada e distribuída, e da comercialização de energia no mercado livre. Pioneira, a EDP foi a primeira empresa a produzir hidrogênio verde na América Latina. Em 2023, foi eleita pelo quarto ano consecutivo a empresa mais inovadora do setor elétrico pelo ranking Valor Inovação, do jornal Valor Econômico, e é referência em ESG, ocupando, em 2021 e 2022, o primeiro lugar do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, no qual permaneceu por 17 anos.

Você pode gostar

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceito Leia mais

Share via