Início » Preta de Ébano

Preta de Ébano

por Redação
PRETA DE ÉBANO

A PEÇA ESTÁ COM TUDO E É PARA TODOS. CIRCULA POR VÁRIOS BAIRROS CARIOCAS E ESTREIA NO YOUTUBE

Empoderamento feminino é protagonista no livro que virou espetáculo infantojuvenil e agora chega a Madureira, Bangu, Realengo, Pavuna e Santa Teresa com sessões gratuitas

A princesa continua linda, mas os seus poderes… Quanta diferença! Ela agora não espera ser salva por príncipe nenhum e usa seus conhecimentos para defender e libertar seu povo. Essa princesa empoderada – intelectual, social e politicamente – é “Preta de Ébano”, que dá título ao livro (à venda no site www.zucca.com.br) de Gisela de Castro, transformado em peça. Com Luíza Loroza como a personagem narradora, direção de Natália Balbino e trilha sonora de Maíra Freitas, o espetáculo vai circular com sessões gratuitas pelas lonas, arenas, centros culturais e teatros do Rio de Janeiro com recursos obtidos do Edital Foca – Fomento à Cultura Carioca, da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC).

“Minha perspectiva foi pelo viés de uma princesa com questões feministas, uma princesa independente, que não se fiasse na mágica, em príncipe encantado, que não fosse como a Bela Adormecida que passa a história passivamente, esperando que algo aconteça. Preta de Ébano é uma protagonista com curiosidade científica!”, revela a autora.

A peça – que estreou no ano passado e já foi encenada nos teatros Glaucio Gill, em Copacabana, e Armando Gonzaga, em Marechal Hermes – fará dez apresentações em equipamentos culturais do município, a partir do dia 25 de março (sexta-feira), com sessão na Areninha Carioca Hermeto Pascoal, às 11h, em Bangu.

O roteiro tem mais nove sessões já programadas para abril: dias 2 e 3 (sábado e domingo), às 16h, no Teatro Municipal Ruth de Souza, que fica no Parque das Ruínas, em Santa Teresa; dia 7 (quinta-feira), às 16h, Muhcab, Museu da História e Cultura Afro-Brasileira, na Gamboa; dia 8 (sexta-feira), às 11h, na Areninha Carioca Gilberto Gil, em Realengo; dia 8 (sexta-feira), às 16h, no Muhcab, Museu da História e Cultura Afro-Brasileira, na Gamboa; dia 10 (domingo), às 11h, na Arena Fernando Torres no Parque Madureira; e no dia 12 (terça-feira), às 10h, na Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna; dia 13 (quarta-feira), às 14h, Lona Cultural Terra, em Guadalupe e no dia 14(quinta-feira), 16h, na Arena Carioca Chacrinha, em Pedra de Guaratiba.

Além dessas sessões presenciais, “Preta de Ébano” vai estrear on-line no dia 2 de abril (sábado), inaugurando o canal da Zucca Books no YouTube, onde vai ficar disponível gratuitamente. O livro continua à venda pelas redes sociais da Zucca (@zuccaproducoes).

“PRETA DE ÉBANO”, O LIVRO

Preta de Ébano é muito mais do que uma princesa. Com suas perguntas, ela será capaz de salvar a si e ao seu reino, mas não fará isso sozinha, vai contar com o poder da orientação ancestral das Três Senhoras. Juntas, vão pesquisar a magia das ervas, do tempo e do mistério. E como diz um ditado africano: “Quando não souberes para onde ir, olha para trás e sabe ao menos de onde vens.”

“O livro tem a missão de dialogar com o público infantojuvenil para colaborar com a formação de uma geração que reconheça e entenda a igualdade de gênero, o respeito à ciência, e lute contra o racismo”, almeja a autora, que encontrou o parceiro ideal para elaborar a publicação: o ilustrador Jefferson Batista – nascido em Carpina, Pernambuco, cidade muito conhecida pela tradição do maracatu rural –, que aceitou de cara a tarefa de ilustrar o livro, utilizando cenários construídos com algodão, arame, isopor, papel, madeira e tecidos. “Dá pra criar coisas com esses materiais que todo mundo tem em casa”, explica o artista.

Gisela de Castro – autora

Gisela de Castro nasceu em Santa Teresa, no Rio de Janeiro-RJ. É multiartista, produtora, sócia e diretora artística da Editora Zucca Books e da Zucca Produções, desde 2003. Licenciada em Ciências Biológicas pela UFRJ, estudou Metodologia do Ensino na Unicamp e agora é mestranda em Mídias Criativas na ECO/UFRJ. É autora contratada da Agência Riff, inaugurada em 1991, que representa grandes nomes da literatura brasileira e as principais editoras no Brasil e em Portugal. Recebeu prêmios como atriz e escritora, como o 1º lugar no concurso internacional de literatura da União brasileira de Escritores – RJ e foi finalista do Prêmio Jabuti 2020, na categoria Juvenil pelo livro “Um voo sobre as capitais brasileiras” (2019). Em 2017, lançou “A asa da borboleta e outras sutilezas”, com ilustrações de Anna Bella Geiger. Em 2021 lançou dois livros: “A curiosidade matou o gato?”, com ilustrações de Luci Vilanova, e “Leon”, em parceria com Guto Lins. “Preta de Ébano”, lançamento da Zucca Books em 2021, virou peça homônima com várias temporadas previstas em modos presencial e virtual.

“PRETA DE ÉBANO” – A PEÇA

Luiza Loroza é a narradora da saga da princesa negra. A atriz está atenta à responsabilidade de dialogar com o público infantojuvenil e feliz em poder colaborar para formar uma geração que reconheça a igualdade de gênero, sem preconceito racial e com respeito à ciência. No espetáculo, ela está sozinha em cena, mas sabe que representa várias mulheres negras: mães, filhas, professoras, sábias, cientistas, heroínas.

A diretora Natália Balbino lembra que a história de Preta de Ébano ainda faz mais um paralelo com a situação que estamos vivendo agora. A princesa se isola com as sábias para encontrar – por meio dos saberes ancestrais sobre o poder de cura das plantas – a salvação para os problemas do reino. Exatamente como os pesquisadores debruçados sobre a ciência para produzir vacinas capazes de vencer a Covid-19. “E ainda temos, aqui no Brasil, a Dra. Jaqueline Goes de Jesus, que sequenciou o coronavírus”, observa Natália, destacando a biomédica baiana, de 31 anos, coordenadora da equipe que sequenciou o genoma do vírus em 48 horas, tempo recorde em relação a outros países.

 Ao lado de Luiza Loroza e Natália Balbino, temos o terceiro vértice da pirâmide, a terceira sábia: Maíra Freitas, compositora, pianista e cantora, que fez a trilha sonora original do espetáculo.

Natália Balbino – diretora

Natália Balbino é bacharel em Artes Cênicas pela PUC-Rio. Nascida na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, desenvolve desde a graduação uma pesquisa sobre a representação de pessoas negras e faveladas no audiovisual.

Como atriz, faz parte do elenco principal do filme “Medusa” de Anita Rocha da Silveira, que fez sua estreia em Cannes em 2021 e foi premiado como Melhor Filme no Festival do Rio. Natália também atua como “A Sagitariana” na WebSérie “Zodíaca”, uma produção Hysteria – Conspiração Filmes. Além de algumas peças publicitárias, Natália atua como “Yasmin” na série “Fim de Comédia” com direção de Jéssica Queiroz, ainda para ser lançada pelo CineBrasil TV.

Como roteirista, colaborou com Malhação Transformação de Priscila Steinman e Márcia Prates na Rede Globo. Participou da sala de conteúdo “Narrativas Negras” chefiada por Marton Olympio na VIS Américas, divisão brasileira da ViacomCBS/MTV. Atualmente, participa do desenvolvimento da bíblia e do piloto da série “Escola de quebrada”, sitcom original Kondzilla e Paramount Plus.

Maíra Freitas – diretora musical e compositora da trilha sonora

Maíra Freitas é pianista de sólida formação clássica, vinda de família de músicos, que partiu para a carreira de cantora, arranjadora e compositora a partir de seu primeiro CD solo em 2011, pela gravadora Biscoito Fino. “Maíra Freitas” teve produção de sua irmã Mart’nália e participação de seu pai, Martinho da Vila. Maíra lançou-se nos mercados nacional e internacional e passou a fazer shows e turnês. Em 2012, fez participação no DVD “Duas Faces – Ao Vivo na Mangueira”, de Alcione, cantando a música “Basta de clamares inocência” (Cartola), acompanhada pela Orquestra da Mangueira. Em 2013, fez a direção musical, os arranjos, e atuou como cantora e pianista, ao lado de sua irmã Mart’nália, no álbum “Carnavalança – Carnaval para Crianças”, lançado pela Biscoito Fino. O disco conta com participações de grandes nomes da música brasileira,  como Chico Buarque, Maria Rita, Martinho da Vila, Luiz Melodia, Paula Lima, Moyseis Marques e Evandro Mesquita.

Luiza Loroza, atriz

Atriz, poeta, cantora, produtora e diretora. Formada em nível médio, desde 2015, pela Escola de Atores Wolf Maya e graduanda em Artes Cênicas – Bacharelado em Atuação Cênica pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Em 2021, iniciou a carreira musical com o lançamento de “Pureza”, música composta por ela e seu pai, Sérgio Loroza. Atuou no espetáculo “Melhor faz tranças do mundo” e assina a direção, ao lado de Cris Moura, do espetáculo “O pequeno herói preto”. Em maio deste ano, lançou seu primeiro single como cantora. Durante os primeiros meses da pandemia, integrou o experimento cênico “Sarau possível”, realizou lives-show e performances pelo Instagram e criou cinco obras de videoarte do projeto “Black Dadaism” e do projeto “Casa 32”, dirigido por Dora Freind. Estreou no espetáculo “Jacksons do Pandeiro – o Musical”, da Barca dos Corações Partidos, com direção de Duda Maia, em temporada on-line e para a TV, no Canal Bis.

Ficha técnica do espetáculo

texto e idealização

GISELA DE CASTRO

direção e movimentação cênica
NATÁLIA BALBINO
atuação e canto

LUIZA LOROZA

atriz stand in
LUELLEM DE CASTRO
direção musical e trilha sonora original

MAÍRA FREITAS

mixagem e masterização da trilha sonora
DANIELA PASTORE
operação de som

MARCO RIBAS

direção de arte e design

FLÁVIO SOUZA

iluminação
LUIZ OLIVA
intérprete de libras

JADSON ABRAÃO

Produção de vídeo
CAROLINE LOPEZ e ANTONIO NERI – ZIGGY FILMES
Fotos
SABRINA PAZ
direção de produção
ALINE CARROCINO – ALCE PRODUÇÕES
produção executiva

MARCELO AOUILA

IGOR VELOSO

coordenação de produção

JULIO ZUCCA

PAULA SANDRONI

mídia social

À JULIANA COMUNICAÇÃO & BRANDING

assessoria de comunicação e realização

SHEILA GOMES

Serviço

Espetáculos gratuitos

ESTREIA

25 de março (sexta-feira), 11h – Areninha Carioca Hermeto Paschoal (Lona de Bangu)

Endereço: Praça Primeiro de Maio, s/nº – Bangu – Telefone: (21)3463-4945

2 de abril (sábado) – Estreia da peça, inaugurando o canal “Zucca Books & +” no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCbGIqHgpLQaYVK2LXw_9pOQ

2 de abril (sábado), 16h – Teatro Municipal Ruth de Souza – Parque das Ruínas

Endereço: Rua Murtinho Nobre 169 – Santa Teresa – Telefone:(21)2224-3922

3 de abril (domingo), 16h – Teatro Municipal Ruth de Souza – Parque das Ruínas

Endereço: Rua Murtinho Nobre 169 – Santa Teresa –  Telefone:(21)2224-3922

 

7 de abril (quinta feira), 16h – MUHCAB – Museu da História e Cultura Afro-Brasileira

Endereço: Rua Pedro Ernesto, 80 – Gamboa –Telefone (21) 2233-7754

8 de abril (sexta-feira), 11h – Areninha Carioca Gilberto Gil – Realengo – Endereço: Avenida Marechal Fontenelle 5000 – Realengo – Telefone:(21)3462-0774

 

8 de abril (sexta feira), 16h – MUHCAB – Museu da História e Cultura Afro-Brasileira

Endereço: Rua Pedro Ernesto, 80 – Gamboa –Telefone (21) 2233-7754

10 de abril (domingo), 11h – Arena Carioca Fernando Torres – Madureira

Endereço: Rua Bernardino de Andrade, 200 – Madureira –  Telefone:(21)3495-3078

12 de abril (terça-feira), 10h – Arena Jovelina Pérola Negra – Pavuna

Endereço: Praça Ênio, s/n° – Pavuna – Telefone:(21)2886-3889

 

13 de abril (quarta-feira), 14h – Lona Cultural Terra – Guadalupe.

Endereço: Rua Marcos de Macedo, s/nº – Guadalupe – Telefone: (21)3018-4203

14 de abril (quinta-feira), 16h – Arena Carioca Chacrinha – Pedra de Guaratiba

Endereço: R. Soldado Eliseu Hipólito, s /nº- Pedra de Guaratiba –  Telefone:(21) 3404-7980

Venda de livros

Livros à venda pelo site www.zucca.com.br, pelo e-mail zuccabooks@gmail.com e pelo Instagram da autora: @decastrogisela.

Valor do livro:  R$ 26

40 páginas

ISBN 9786599338922

Editora Zucca Books

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via