Início » Quase metade da produção agrícola latino-americana é desperdiçada

Quase metade da produção agrícola latino-americana é desperdiçada

por Rafael Gomes

Ações de segurança alimentar, combate à fome, legislação específica do setor e intercâmbio de projetos bem sucedidos serão pauta do ‘Encontro Latino-Americano de Gestores de Centrais de Abastecimento’

De acordo com o presidente da Federação Latino-Americana de Mercados de Abastecimento (Flama), Arturo Martinez, 40% de toda produção agrícola latino-americana é desperdiçada e vai parar no lixo. Esse e outros temas serão debatidos no Encontro Latino-Americano de Gestores de Centrais de Abastecimento, entre os dias 15 e 19 de agosto, nas cidades de Montevideo, no Uruguai, e Buenos Aires, na Argentina. A organização é da Flama e da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen).

“Queremos contribuir com políticas públicas que envolvam toda a cadeia produtiva, desde os produtores até os comerciantes finais. Os pontos mais importantes a serem desenvolvidos pelo setor são boas práticas comerciais; governança; perdas e desperdícios; e combate à fome”, destaca o presidente da Flama, Arturo Martinez.

Delegação Brasileira

O estado do Rio de Janeiro será representado pela presidente da Ceasa/RJ, Bianca de Carvalho. A comitiva brasileira terá ainda representantes da Abracen, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), da Ceasa/Paraná, Ceasa/Ceará, Ceasa/Sergipe, dirigentes de sindicatos, empresários e outros públicos de interesse.

“Esse encontro atualiza os principais temas do setor, aprofunda as discussões e aumenta o nível do debate. Possibilita contato com novas perspectivas, inovações e trocas de experiências. Podemos também avançar nas soluções para os gargalos do abastecimento, identificados no dia a dia de cada um”, avalia a presidente da Ceasa/RJ, Bianca de Carvalho.

Experiências latino-americanas

O evento será todo dedicado ao intercâmbio de conhecimentos entre os representantes do setor de abastecimento de países da América Latina, em especial Brasil, Uruguai, Argentina, Peru e México.

Haverá painéis voltados a essa troca com apresentações da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento; da Unidade Agroalimentar Metropolitana de Montevideo; do Mercado Municipal de Lima, no Peru; da Junta Provincial de Mercados Atacadistas de Frutas e Hortaliças de Buenos Aires; do Mercado Provincial e Gastronômico de Buenos Aires; e de representantes do México.

A abertura oficial do ‘Encontro Latino-Americano de Gestores de Centrais de Abastecimento’ vai ocorrer na quarta-feira, dia 17 de agosto, às 10 horas, no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) da Província de Buenos Aires.

Na ocasião, o ministro do MDA, Javier Rodrígues, vai apresentar as ações do Ministério. Haverá ainda intervenções do prefeito de Berazategui, cidade da Grande Buenos Aires, Juan José Mussi, e dos representantes da Federação Latino-Americana de Mercados de Abastecimento (Flama) e da União Mundial de Mercados.

Conferências diversas

Ainda durante a tarde, a representante argentina da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, na sigla em Inglês), Cecilia Llabres, fará palestra sobre exportação de alimentos.

Já o vice-presidente da Federação Latino-Americana de Mercados de Abastecimento, Raúl Giboudot, vai falar sobre empresas exportadoras e importadoras. Na sequência, o painel Produção de Frutas, Hortaliças e Abastecimento de Cidades contará com quatro exposições: a do presidente da Câmara Argentina de Atividade Hortifrutícola (CAAF na sigla em Espanhol), Néstor Lombardi; de Manuel Martín, da CAAF, falando sobre calendário de frutas e verduras da estação; e de Ariel Monzón, consultor de redução de perdas e resíduos.

O responsável de Políticas e Sistemas Alimentares da FAO-Argentina, João Intini, fecha a mesa com fala sobre insegurança alimentar no país e alta no preço dos alimentos. O governador da Província de Buenos Aires, Axel Kicillof, fará o encerramento das apresentações do dia 17.

Estudos tecnológicos

A delegação brasileira vai visitar a Estação Experimental Gorina, do Ministério do Desenvolvimento Agrário. O equipamento busca contribuir para o desenvolvimento sustentável do setor de horticultura e agroalimentar de Buenos Aires.

A função da Gorina é gerar, adaptar e transferir tecnologias competitivas, ambientalmente produtivas e economicamente sustentáveis, pensando na diversificação dos sistemas agroalimentares e fortalecendo o desenvolvimento socioeconômico.

Visitas técnicas

Os representantes da comitiva brasileira vão conhecer a Unidade Agroalimentar Metropolitana de Montevideo (UAM), no Uruguai, a primeira plataforma logística de comercialização de alimentos por atacado no país. O anfitrião será o presidente da UAM, Daniel Garín, que vai falar sobre o parque logístico. O espaço conta com 600 empresas instaladas e completou um ano de funcionamento em fevereiro.

Nesse período comercializou 360 mil toneladas de hortifrutigranjeiros. O Conselho de Administração da UAM vai fazer um tour, no dia 16 de agosto, pelas instalações da central logística, com 950 mil metros quadrados. Eles vão percorrer os armazéns do Mercado de Frutas e Hortaliças, a Área de Atividades Logísticas, a Zona de Atividades Complementares e o Mercado Multiusos.

Já na Argentina, a visita técnica será ao Mercado Central de Buenos Aires. Outros centros comerciais também serão visitados, entre eles, o Mercado Frutícola de Avellaneda, cidade da Região Metropolitana de Buenos Aires, e os Mercados Atacadistas da Grande Buenos Aires. 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via