Rio: Rede Incluir realizará Mega Feirão de Empregos para pessoas com deficiência no dia 12 de abril

Rede Incluir
Rede Incluir
O Feirão de Empregos e Oportunidades da Rede Incluir faz parte do projeto ‘Circuito D’ e desta vez será realizado no Centro Municipal de Referência da Pessoa com Deficiência, em Campo Grande, no dia 12 de Abril, a partir das 10h, na zona oeste do Rio. Uma realização conjunta com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro e do Ministério Público do Trabalho e o Tribunal Regional do Trabalho através da comissão permanente de acessibilidade e inclusão, Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD-Rio) e a Secretaria Municipal de Trabalho e Renda (SMTE-Rio). São mais de 40 empresas participantes e 800 vagas em diversos postos de trabalho.
Segundo o presidente da Rede Incluir, Antoniel Bastos, a média de pessoas atendidas por evento gira em torno de 500, e 40% delas conseguem um emprego “Existe um grande abismo na contratação desses profissionais no mercado. Entre as dificuldades, posso destacar a falta de mobilidade na cidade”, avalia.
Para o Coordenador do Projeto de Inserção de PcDs e Reabilitados do INSS no mercado de trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, Marcelo Freitas: “O ‘Dia D’ é o momento ideal para alavancar as opções de recrutamento das empresas e as oportunidades para os candidatos. Ao mesmo tempo promove a integração das empresas e trabalhadores com os demais atores da inclusão de pessoas com deficiência e reabilitados do INSS na sociedade”.
A Rede Incluir
A Rede Incluir surgiu em 2016 com o objetivo de agregar mais de 100 empresas de médio e grande porte em um Espaço Virtual, através do WhatsApp, para consolidar a 3ª Edição do Dia D da Inclusão Social e Profissional das Pessoas com Deficiência e Reabilitados do INSS.
A Rede faz parte do Instituto Incluir, que foi criado pelo produtor corporativo e social, Antoniel Bastos e o empresário Fabio Oliveira, CEO da TOKKE Gestão de Qualidade de Vida. Eles aderiram ao sonho do auditor fiscal aposentado do antigo Ministério do Trabalho, Joaquim Travassos, em realizar no Rio de Janeiro o Circuito Dia D de Empregabilidade.
Sobre o Circuito Dia D
“O ‘Circuito Dia D’ é um movimento que permite que as pessoas com deficiência e reabilitados do INSS, tenham acesso às oportunidades de emprego dos mais diversos segmentos empresariais no dia da feira. As pessoas com deficiência representam cerca de 15% da população mundial. Apesar de constituírem ‘uma das maiores minorias’, continuam a ser alvo de discriminações diversas, incluindo no acesso ao trabalho digno. Além de oportunizar um ambiente corporativo humanizado e a inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, contribui com a autonomia, o empoderamento e a produtividade do profissional ao exercício da cidadania inclusiva. É dever de todos promover a igualdade de oportunidades e também a valorização do talento e competências das pessoas com deficiência. A feira é o maior movimento de inserção social ao emprego no estado do Rio de Janeiro, desde 2014”, afirma o presidente da Rede Incluir, Antoniel Bastos.
O ‘Circuito Dia D’ (Feira de Empregabilidade da Pessoa com Deficiência e Reabilitados do INSS), tem a missão de disseminar no  mercado de trabalho que os profissionais PcDs são pessoas qualificadas e estão em busca de oportunidades de trabalho. O primeiro grande obstáculo enfrentado pelas pessoas com deficiência dentro dessa seara é o acesso à vaga de emprego, eis que ainda prevalece na nossa sociedade a crença em estereótipos equivocados de que são pessoas doentes, fracas e que não possuem condições de ofertar uma mão de obra qualificada, o que faz com que muitas não sejam contratadas.
A partir daí, criou-se o mito de que não existem profissionais qualificados para as vagas ofertadas e que o ‘PcD’ tem a preferência pelo BPC (Benefício de Prestação Continuada). Uma narrativa capacitista e discriminatória ao universo da pessoa com deficiência. De acordo com dados divulgados pelo IBGE, sete em cada dez pessoas com deficiência encontram-se desempregadas. Pensando em mudar este cenário foi que o Instituto Rede Incluir vem demonstrando, através do ‘Circuito Dia D’, que essas pessoas existem e estão prontas para trabalhar.
Academia Inclusiva
Além disso, a Rede Incluir, vem auxiliando as empresas através da ‘Academia Inclusiva’, um projeto que visa qualificar e contratar que vai tornar assim, a organização mais inclusiva na hora da contratação de profissionais PcDs.
Serviço:
Data: 12–04–2023
Evento: ‘Circuito Dia D’ – Campo Grande
Local: SMPD – Centro Municipal de Referência da Pessoa com Deficiência – Campo Grande
Endereço:Rua professor Carlos Boisson S/N – Campo Grande – RJ
Horário: 9h às 16h
Balanço:
O instituto Rede Incluir, uma organização sem fins lucrativos, se orgulha do sucesso do Feirão de Empregos da Pessoa com Deficiência em Santa Cruz, realizado no dia 23 de março.
“O evento contou com mais de 25 empresas, com seus RHs avançados, passaram pelo evento mais de 270 pessoas, mais de 54 pessoas foram contratadas diretamente no dia, e ainda temos aquelas que foram selecionadas para participarem dos processos internos se seleção das empresas, além dos bancos de oportunidades e desenvolvimento.Nosso desafio é a cada vez mais, disseminar na sociedade que a inclusão da pessoa com deficiência e reabilitados não é uma deficiência somente. Esses profissionais, estão cada vez mais preparados e capacitados. O objetivo da feira é aproximar as empresas desses e os profissionais” explica Antoniel Bastos, presidente da Rede Incluir.
O último Feirão realizado em Santa Cruz foi sucesso de público e contrações.
A feira de empregabilidade, voltada para pessoas com deficiência e reabilitados do INSS, é um divisor inclusivo na sociedade. A Rede Incluir e o VIVA Rio são parceiros desde o ano passado na luta pela inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A nossa participação no Feirão de Santa Cruz, resultou no recolhimento de 67 currículos por nossa equipe para diversas áreas de atuação.
Nosso olhar inclusivo vai além da idade. Resultado disso, foi uma das pessoas a se candidatar às vagas, foi Almir Antônio dos Santos, de 70 anos, que já saiu de lá aprovado para trabalhar em uma unidade básica de saúde administrada pelo VIVA Rio em Guaratiba, segundo o coordenador do programa VIVA Rio Eficiente, Renato Freitas.
Ação:
Ministério do Trabalho e Emprego – Rede Incluir – MPT – SMPD – INSS – SINE– TRT/RJ – Prefeitura de Resende – SMICT – Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo de Resende – Comissão da Pessoa com Deficiência OAB/RJ