Início » Roda de conversa sobre Supremacismo branco é destaque no Museu Judaico

Roda de conversa sobre Supremacismo branco é destaque no Museu Judaico

por Rafael Gomes

Cenário de tensões políticas e sociais torna necessário e urgente aprofundamento da questão

No próximo sábado, 10, às 16h, o Instituto Brasil-Israel, o Museu Judaico de São Paulo e a Casa Sueli Carneiro promovem a roda de conversa “Ameaças do Supremacismo branco ontem e hoje”. O debate faz parte do ciclo “Judeidade e Negritude” e tem como objetivo trocar conhecimento e dar luz aos crescentes casos de neonazismo no Brasil, além das tensões políticas e sociais presentes atualmente no país.

Participam da mesa Luciana Alves, mestra em educação, Pró-reitora adjunta de Assuntos Estudantis na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), autora do livro “Ser Branco” e consultora em Educação para as Relações Étnico-raciais no Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT); e Lia Schucman, doutora em Psicologia Social, professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisadora de Psicologia e Relações étnico-raciais e autora dos livros “Entre o Encardido, o Branco e o Branquíssimo: Branquitude, Hierarquia”, “Poder na Cidade de São Paulo?” e “Famílias Interraciais: tensões entre cor e amor”.

“Nesta mesa, pretendemos pensar a supremacia como predomínio, hegemonia e primazia de poder, além de tratar sobre a construção desta supremacia branca a partir da nossa estrutura socioeconômica, cultural, jurídica, principalmente no atual cenário político”, diz Lia.

O evento, que é presencial, gratuito e aberto ao público, acontece na sede do Museu Judaico de São Paulo ( Rua Martinho Prado, 128, Bela Vista).

A série Judeidade e Negritude conta com a colaboração dos editores Ricardo Teperman e Fernando Baldraia para promover rodas de conversas acerca das aproximações e tensões relacionadas à judeidade e à negritude, passando pela pesquisa de alianças e clivagens históricas entre os dois grupos, intersecções entre as duas identidades e reflexões de interesse comum nos campos da arte, da cultura, da antropologia, da psicanálise, entre outros.

Serviço

Conversa “Ameaças do Supremacismo branco ontem e hoje”

Dia 10 de setembro, 16h

Museu Judaico de São Paulo — Rua Martinho Prado, 128, Bela Vista

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via