‘The Opera Locos’ no Rio de Janeiro

The Opera Locos
The Opera Locos

Fundada na Espanha em 1991, a companhia teatral Yllana se firmou na cena teatral europeia com uma produção extensa, prêmios e turnês que incluíram 44 países, 12 mil apresentações e o incrível total de três milhões de espectadores. Este verdadeiro fenômeno virá ao Brasil pela primeira vez, com a passagem de ‘The Opera Locos’ por São Paulo (2 a 5 de março) e Rio de Janeiro (9 a 12 de março), um de seus espetáculos mais assistidos e aclamados. No palco, cinco atores-cantores conduzem a plateia por uma jornada por trechos de óperas e outros estilos musicais, costurados com uma dramaturgia original, marcada por altas doses de comédia e a melhor tradição do teatro gestual.

A temporada brasileira faz parte do Festival Ópera na Tela, que pretende democratizar a ópera e tornar o gênero mais acessível, com a formação de plateia em primeiro plano. A produção é da Bonfilm e conta com o patrocínio do banco francês Crédit Agricole, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O evento também tem o apoio do Consulado da Espanha no Rio de Janeiro e do grupo hoteleiro Accor.

Sobre ‘The Opera Locos’

‘The Opera Locos’ estreou na Espanha em 2018 e seguiu por uma extensa turnê em que cativou plateias ao redor do mundo com a mistura de teatro, musical, ópera, comédia, mímica e circo. Em cena, cinco atores-cantores se dividem entre diversos personagens, ressaltados por um visual extravagante e uma exímia técnica vocal. O grande ponto de partida é que todos eles só se comunicam, exclusivamente, na linguagem operística. Desta forma, uma série de cenas e situações tão absurdas quanto engraçadas se sucedem no palco.

Conhecidos números de ópera são apresentados em sequência, através de uma elaborada – e hilária – teia dramatúrgica cujos diálogos são substituídos pelas composições. Desta maneira, obras de Mozart, Puccini e Bizet se intercalam, como se uma se completasse com a outra, e até hits do pop das últimas décadas são misturados nessa odisseia musical. É quando números de óperas como ‘Tosca’ e ‘Carmen’ podem aparecer seguidos por um sucesso de Whitney Houston ou um hino pop de Mika.

Um dos destaques da montagem é quando uma verdadeira “masterclass” de canto acontece e o público também é convidado a cantar nesta grande aula de ópera. A interação é o auge de uma experiência catártica entre público e plateia, em um espetáculo que ficou conhecido por enfrentar os preconceitos que a Ópera tem com uma parte do público que a enxerga como um gênero elitista, hermético e entediante.

[blockquote align=”none” author=”Time Out – Espanha”] ‘Sabe aquela sensação de sair do teatro com uma nova vontade de viver? Bem, é exatamente isso que ‘The Opera Locos’ faz. Um espetáculo familiar, para pessoas de todas as idades e classes sociais, uma forma brilhante de entreter, um gancho para se apaixonar pelo bel canto’ [/blockquote]

The Opera Locos

Sobre a Companhia Yllana

Criada em 1991 como uma companhia de teatro de humor gestual, a Yllana diversificou a sua atividade e enveredou por uma série de outros gêneros e estilos do universo teatral e do audiovisual.  O Grupo é conhecido também por administrar alguns espaços teatrais e por projetos culturais na Europa. Atualmente, o grupo é formado por Juan Francisco Ramos, Marcos Ottone, David Ottone, Joseph O’Curneen e Fidel Fernández.

A Yllana produziu cerca de trinta espetáculos teatrais e participou em festivais internacionais de prestígio, nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Canada, na Alemanha e na França. Na Espanha, Yllana fez temporadas teatrais em todas as grandes cidades e recebeu muitos prêmios, entre outros o Prêmio Max de melhor show musical para The Opera Locos.

Desde 1996, a companhia administra o Teatro Alfil, espaço de referência no centro de Madri dedicado à comédia em todas as suas variantes. Em 1994, criou o FIHUM (Festival Internacional de Humor de Madri), festival realizado até 2008 e apresentou em cada edição as melhores propostas internacionais de humor.

Sobre os intérpretes

Diane Fourès (Soprano) – Diane Fourès toca violino desde os três anos de idade, começou em seu primeiro coro como solista aos seis e se tornou membro da Maîtrise des Demoiselles de la Légion d’Honneur assim que entrou na faculdade. Diplomada em canto lírico e depois concertista na École Normale de Musique de Paris, completou a sua formação com aulas de dança clássica, sapateado e dança africana. Ela encarnou a Rainha da Noite na ‘Flauta Mágica’ de Mozart e multiplica colaborações artísticas e prêmios.

Laurent Acaro (Barítono) – Depois de estudar canto no Conservatório Nacional de Música de Paris, Laurent Arcaro ingressou no Studio-Opera de Mannheim na Alemanha, depois partiu para os Estados Unidos para seguir o Young Artist Program dirigido por Placido Domingo na Opéra de Los Angeles. Entre óperas e recitais, sua carreira evolui entre os palcos da França, Alemanha e Estados Unidos.

Florian Laconi (Tenor) – Florian Laconi estudou Arte Dramática antes de iniciar a carreira de cantor. Interpreta regularmente os grandes papéis do repertório do tenor lírico spinto (Carmen, Les Contes d’Hoffmann, Tosca, Pagliacci), sob a direção de maestros como Michel Plasson e Georges Prêtre na maioria dos Teatros Líricos Franceses (Opéra de Paris Bastille, Chorégies d’Orange, Opéra de Marseille), mas também no exterior (Los Angeles, Hong Kong). Em 2013, interpretou ‘La Marseillaise’ por ocasião do desfile militar de 14 de julho na Champs Elysées na presença do Presidente da República François Hollande.

Alberto Frías (contratenor) – Alberto é cantor, ator, autor e diretor. Estudou no Conservatório Teresa Berganza em Madrid e formou-se na Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid com uma licenciatura em Teatro Gestual. Ele desenvolveu seu trabalho em alguns dos palcos mais famosos do mundo na Espanha, na Itália, na Polônia, e esteve sob as ordens de alguns dos mais notáveis encenadores dos últimos tempos (Tomaz Pandur, Bárbara Lluch, Ernesto Caballero, Gustavo Tambascio, Susana Gómez, Juan Echanove, Alberto Velasco, Jose Luis Arellano, Yllana… entre muitos outros) e diretores musicais (Iván López Reynoso, Guillermo García Calvo, José Miguel Pérez Sierra, Manuel Coves, Juan Manuel Alonso, Alfonso Casado, entre outros). Em 2019, juntamente com Eva Marco, criou a companhia ‘SingUs Music’, produtora e promotora de espetáculos que vão desde a música clássica à ópera, teatro e dança.

Mayca Teba (soprano) – O repertório dessa atriz soprano e sevilhana de grande versatilidade vocal e artística vai da Ópera e Zarzuela à Comédia Musical, Jazz ou Rock Sinfónico. Mayca começou sua carreira lírica aos 20 anos no Teatro Maestranza de Sevilha com o produtor Pino Cuccia, cantando Le Nozze di Figaro, Die Rossenkavalier, La Notte di un Nevrastenico e Die Stumme Serenade. Junto com Plácido Domingo protagonizou o espetáculo Antología de la Zarzuela, no The Pearl em Doha, no Qatar. Ela se apresentou na Espanha e no Reino Unido em Rita, Bastian e Bastiana, Cosí fan tutte, Acis e Galatea, Dido e Eneas, Orpheus. Mayca foi solista em shows como Rock at the Opera e Judy Garland Tribute (B. King) Rejoice! (D. del Puerto) Coralson (P. Benitez) We Will Rock You (C.O.P.E) A Nanny Named Mary e Opera en Clave de Jazz (JOSVA).

FICHA TÉCNICA

  • Solistas: Maria Rey Joly, Mayca Teba, Toni Comas, Enrique Sánchez Ramos y Jesús Garcia Gallera
  • Ideia Original: Yllana y Rami Eldar
  • Criação e Direção: Yllana
  • Direção Artística: David Ottone y Joe O’Curneen
  • Direção Musical: Marc Álvarez y Manuel
  • Coreografia: Carlos Chamorro
  • Cenografia: Tatiana De Sarabia, David Ottone y Yeray González
  • Design de Luz: Pedro Pablo Melendo
  • Design de Som: Luis López de Segovia
  • Figurino: Tatiana de Sarabia
  • Maquiagem: Tatiana de Sarabia, Sara Álvarez y ARTMAKERS
  • Assistente de Direção Musical: Javier Carmena Costume assistant
  • Assistente de Figurino: Yeray González
  • Música gravada por: la Orquesta Sinfónica VERUM/Manuel Coves, director musical
  • Costureiro: Maribel Rodriguez RH Costume setting
  • Configuração de Figurino: Davinia Fillol
  • Chapéus: Diana Garcia
  • Fotos e Vídeo: Lighuen De Santos Set construction
  • Construção do Cenário: SCNIK MÓVIL, S.A.

Equipe  Turnê Brasil

  • Produção turnê Brasil: Bonfilm
  • Direção geral: Emmanuelle Boudier, Christian Boudier
  • Direção de Produção: Maria Siman
  • Gerenciamento do projeto: Paula de Oliveira
  • Coordenação administrativa: Luzimar Valentim
  • Assessoria de Imprensa – Pedro Neves
  • Programação Visual e Design Gráfico:  Nathalia Younes
  • Redes Sociais: Gustavo Benatti Rispoli
  • Vídeo: Daniel Lopes
  • Site: New Gosling
  • Assistente produção Rio: Thais Monteiro
  • Assistente produção São Paulo: Fernanda Gama
  • Realização: BomFilm

SERVIÇO

‘THE OPERA LOCOS’
Com a companhia Yllana – direção artística de David Ottone e Joe O’Curneen.

RIO DE JANEIRO

de 9 a 12 de março no Teatro Casa Grande

Horários: quinta, sexta e sábado, às 20h; domingo, às 18h.
Classificação: 12 anos
Duração: 85 minutos
Lotação: 1000 lugares
Valor:   Plateia VIP/Camarote: R$ 160,00 (inteira) / R$ 80,00 (meia) / Plateia Setor 1: R$ 120,00 (inteira) / R$ 60,00 (meia) / Balcão Setor 2: R$ 50,00 (inteira) / R$25,00 (meia).

Contatos: (21) 2511-0800 / contato@teatrocasagrande.com.br
Endereço: Rua Afrânio de Melo Franco, 290 – loja A – Leblon / Rio de Janeiro – RJ
Horário de funcionamento da bilheteria: De Terça a Quinta 12h às 18h; Sextas, Sábados e Domingos das 15h até 30 minutos após o início da última sessão. Em dias de espetáculo durante a semana, a bilheteria abre sempre às 15h.
bilheteria@teatrocasagrande.com.br
Vendas: Eventim
Acessibilidade: 14 assentos para obesos e gestantes; 2 para cadeirante com os respectivos acompanhantes.

Site oficial: http://www.theoperalocos.com.br/

Facebook: @festivaloperanatela

Instagram e YouTube: @operanatela