Casa Museu Eva Klabin apresenta técnicas de restauro e segredos por trás das obras de arte com oficina imersiva para toda a família a partir de 16 de março

Edson Motta Junior., coordenador do Ateliê de Restauro e professor da UFRJ
Edson Motta Junior., coordenador do Ateliê de Restauro e professor da UFRJ (Foto:Divulgação)

A Casa Museu Eva Klabin vai receber o Ateliê de Restauro e a Oficina de Restauro a partir do dia 16 de março, de quarta a sábado, das 14h às 18h. Conhecida pela extensa coleção de arte, a Casa Museu terá cinco obras restauradas pelo especialista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro Edson Motta Junior. O público vai assistir ao processo e às técnicas de retoques e limpeza empregadas para devolver a autenticidade aos quadros dentro de um estúdio de vidro localizado no jardim do Museu.

Também será ministrada uma Oficina de Restauro pelo Programa de Educação da Casa, em que o público será convidado a restaurar réplicas de obras de arte, utilizando as técnicas aprendidas. Ambas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

No dia 16 de março, haverá um bate-papo entre o professor Edson Motta Junior, o museólogo Diogo Maia e a restauradora Marcia Rizzo, para marcar a abertura das atividades. Será realizada uma análise química dos pigmentos e dos aglutinantes usados para colorir as obras para encontrar tons de cores semelhantes aos originais, devolvendo a intenção original do artista. Edson explica que no processo de restauro é possível encontrar elementos escondidos nas obras por restaurações passadas, como no quadro “São Jerônimo Penitente”, pintado por José Ribera, restaurado em 2002 pelo próprio professor. Ao remover a camada de tinta do restauro anterior, Edson descobriu que havia um crânio encoberto por um tecido vermelho pintado posteriormente. Um “antes e depois” da obra será exibido para o público durante o evento, evidenciando a importância do restauro, que pode revelar partes escondidas da obra original.

Edson explica que é comum encontrar outros restauros executados anteriormente: “quando você abre uma obra, você está tirando 200 ou 300 anos de restaurações antigas. Ao remover as camadas de tintas para limpar, o antigo verniz sai e confere um caráter de ‘limpeza excessiva’ à obra. Uma técnica é o escurecimento do óleo novo para harmonizar com o óleo anterior da tela, que foi escurecido pelo tempo.”

Conheça as obras que serão restauradas

Ao longo de três meses, será realizada a recuperação de cinco pinturas do acervo: Netuno e Anfitrite, de Hendrik Van Balen (c. 1575-1632); Galateia na beira do Rio, de Gabriel Metsu (c. 1629 – 1667); O Rapto de Europa, de Luca Giordano (c. 1675-1760); Apolo e Dafne, de Louis Silvestre (c. 1675-1760) e Cena Campestre, de Philips Wouverman (c. 1619-1668).

Oficina de Restauro 

Além do Ateliê, a Casa Museu Eva Klabin vai oferecer uma Oficina de Restauro com simulações de procedimentos técnicos de restauração, incentivando o aprendizado prático e lúdico. Durante a oficina, os participantes serão convidados a remover camadas de substâncias, teias de aranha falsas e restos de argila, que serão aplicados nas réplicas das obras da Casa Museu, simulando o trabalho real de um restaurador. O objetivo é proporcionar as experiências que os profissionais têm nos processos de restauração e conservação de obras de arte. A Oficina será aos sábados e domingos, das 15h às 16h até o dia 31 de março. A ação faz parte do projeto da Casa de oferecer uma oficina gratuita por mês. 

SERVIÇO:
Ateliê de restauro:
Dia: De quarta-feira a sábado, das 14h às 18h, a partir do dia 16 de março,
Local: Casa Museu Eva Klabin (Av. Epitácio Pessoa, 2480 – Lagoa)
Entrada gratuita
Classificação livre

Oficina de Restauro:

Dia: Sábados e domingos, das 15h às 16h
Local: Casa Museu Eva Klabin (Av. Epitácio Pessoa, 2480 – Lagoa)
Entrada gratuita
Classificação livre

Casa Museu Eva Klabin

Uma das primeiras residências da Lagoa Rodrigo de Freitas, a Casa Museu Eva Klabin reúne mais de duas mil obras que cobrem um arco de tempo de cinco mil anos, desde o Antigo Egito (3000 a.c.) ao impressionismo, passando pelas mais diferentes civilizações. A coleção abrange pinturas, esculturas, mobiliário e objetos de arte decorativa e está em exposição permanente e aberta ao público na residência em que a colecionadora viveu por mais de 30 anos. A Casa oferece programação cultural variada, que inclui, além das visitas ao acervo, exposições temporárias de artistas contemporâneos, oficinas, cursos e conferências para adultos e crianças. Enquanto referência no calendário cultural do Rio de Janeiro, a programação musical conta com a série Concertos de Eva, com os Concertinhos de Eva, dedicados ao público infantil, e com os shows de Nova MPB no jardim. Espaço de troca de ideias e aprendizados no presente, a Casa Museu mantém um diálogo constante com o passado e encontra sua originalidade na combinação entre o clássico e o contemporâneo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui