Início » Debatendo a ética na política, estreia no Sesc Copacabana o texto espanhol inédito “Dignidade”

Debatendo a ética na política, estreia no Sesc Copacabana o texto espanhol inédito “Dignidade”

Escrito por Ignasi Vidal e dirigido por Daniel Dias da Silva, espetáculo realiza um mergulho nas entranhas da política, revelando detalhes de seus bastidores enquanto confronta uma antiga amizade e seus ideais individuais

por Redação

Num ano em que a política teve lugar de protagonismo nos debates sociais como poucas vezes visto, o espetáculo “Dignidade” realiza sua estreia dia 25 de novembro, às 20h, no Teatro de Arena do Sesc Copacabana. Contemplado no Edital de Cultura Sesc RJ Pulsar, o texto do espanhol Ignasi Vidal interpretado por Thelmo Fernandes e Claudio Gabriel sob a direção de Daniel Dias da Silva endossa a análise tendo a ética como centro da discussão, remetendo a reflexões profundas, necessárias em nossa sociedade extremamente individualista e polarizada. A cena mostra a relação de dois amigos, figuras públicas, que através de um diálogo preciso e arrebatador nos apresenta um tópico que, mais do que nunca, precisa ser discutido nos dias de hoje: o limite tênue entre o certo e o errado, e até onde deve ir a ambição se confrontada com limites éticos inexoráveis.

Sozinhos em uma sala na sede de um importante partido político (que poderia ser qualquer um), às vésperas da convenção que decidirá o nome que vai concorrer à presidência nas próximas eleições, dois personagens se encontram: Francisco (Thelmo), líder do partido, promissor político, símbolo de mudança para o país e o seu braço direito, Alex (Claudio). Depois de anos caminhando juntos, eles finalmente estão prestes a chegar ao mais alto cargo do país. Mas o que parece ser um descontraído encontro entre velhos amigos, pouco a pouco vai-se revelando um tenso jogo cheio de surpresas e segredos, que põe em xeque a relação de amizade e parceria de tantos anos, expondo diferentes pontos de vista e dilemas éticos.

“Li o texto em plena pandemia e fiquei impressionado por ele ser pertinente e atual. Sem perder de vista os momentos de riso e de comédia, o espetáculo deseja colocar o público numa posição de espectador privilegiado, uma testemunha dos bastidores da política, daquilo que acontece longe dos holofotes e das câmeras, mas que afeta a todos nós. E, também, lembrar da nossa responsabilidade enquanto cidadãos, questionando cada espectador sobre qual posição ele quer estar neste jogo: como uma mera peça que vai sendo movimentada ou como aquele que está no comando dos rumos do país e que contribui de forma ativa para o destino da sociedade?”, provoca o diretor Daniel Dias da Silva.

Num cenário onde as relações duvidosas e espúrias do submundo da política ficam cada vez mais transparentes, trair princípios e provocar ressentimentos que destroem são algumas questões apontadas no texto. A ideia do projeto é, portanto, mostrar ao espectador um reflexo claro de nossa sociedade e a relação contaminada e, na maior parte, nociva entre o interesse público e o pessoal atropelando os limites éticos e morais. Em paralelo, a montagem ainda marca a celebração de 30 anos de carreira e amizade de Thelmo Fernandes e Claudio Gabriel, que se conhecerem ainda estudantes de teatro na E.T.E.T. Martins Pena.

“A peça discute, de forma brilhante, a ética e responsabilidades no mundo político e na amizade através de diálogos precisos e certeiros. Além disso, é um texto que complementa meu desejo de comemorar meus 30 anos de carreira com espetáculos que apresentem ao público, principalmente, um espaço de reflexão. Uma condição fundamental neste espetáculo seria ter um parceiro de cena com quem não existisse absolutamente nenhum melindre de investigação na elaboração deste jogo, um parceiro que se desnudasse completamente de qualquer vaidade e que se jogasse. Alguém com quem eu possuísse uma química perfeita, precisa e uma extensa amizade. Essa cara tinha que ser o Claudinho”, pontua Thelmo.

Para Claudio, a alegria e a competência que contagiam os ensaios estarão refletidas no palco, na forma de uma obra contundente, como ele acredita que o bom teatro deve ser. “O texto não poderia chegar em hora mais oportuna, quando, no Brasil, a política vem sendo discutida ferozmente nos últimos anos. Estrearemos depois de uma das mais importantes eleições de todos os tempos, onde a democracia esteve em jogo contra as garras do fascismo. É só agradecer ao universo pela oportunidade deste encontro com Thelmo. Nosso jogo cênico se ampara na empatia do outro, nossas angústias naturais da criação encontram o afago da amizade mútua. E nos divertimos muito também, claro, apesar do tema espinhoso”, adianta.

Com a missão de estruturar e colocar de pé o espetáculo, a produtora Renata Blasi realiza o desejo de retornar aos palcos num projeto com Thelmo. “Ele é meu parceiro de vida há 19 anos. Ele, ator com 30 anos de carreira, e eu produtora há 23… Durante esse período, realizamos poucos trabalhos juntos e existia a vontade de idealizarmos outros projetos onde eu produzisse, ele atuasse e os dois realizassem. Ficamos perplexos como havia ‘caído no nosso colo’ o texto que queríamos falar, principalmente pelo momento em que estávamos vivendo. Aceitamos o convite do Daniel e, para nossa alegria, fomos contemplados pelo Edital de Cultura Sesc RJ Pulsar. Realizar esse projeto é um presente para nós, e esperamos que seja também para o público”, finaliza a produtora.

SERVIÇO:

  • Temporada: 25 de novembro a 18 de dezembro
  • Dias da semana: Quinta-feira a domingo
  • Horário: 20h
  • Ingressos: R$ 7,50 (associado do Sesc), R$ 15 (meia-entrada), R$ 30 (inteira)
  • Local: Teatro de Arena do Sesc Copacabana
  • Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana / Rio de Janeiro
  • Informações: (21) 2547-0156
  • Bilheteria – Horário de funcionamento:
  • Terça a sexta – de 9h às 20h; Sábados, domingos e feriados – de 13h às 20h
  • Classificação Indicativa: 12 anos
  • Duração: 90 minutos

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA:

  • Texto: Ignasi Vidal
  • Tradução e Direção: Daniel Dias da Silva
  • Elenco: Thelmo Fernandes e Claudio Gabriel
  • Idealização: Daniel Dias da Silva, Renata Blasi e Thelmo Fernandes
  • Diretor Assistente: Sávio Moll
  • Figurino: Victor Guedes
  • Cenografia: Natália Lana
  • Iluminação: Vilmar Olos
  • Trilha Sonora: Daniel Dias da Silva
  • Projeto Gráfico: Raquel Alvarenga
  • Fotografia: Rafael Blasi – Vida Longa Audiovisual
  • Vídeos: Vida Longa Audiovisual
  • Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria – Gisele Machado & Bruno Morais
  • Gestão de Redes Sociais: Ana Lobo
  • Assistência de Produção: Julia de Aquino
  • Produção Executiva: Juliana Trimer
  • Direção de Produção: Renata Blasi e Ana Paula Abreu
  • Produção: Diálogo da Arte Produções Culturais
  • Realização: Blasi & Fernandes Produções Artísticas
  • Diálogo da Arte Produções Culturais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via