Editora Sapoti lança ‘Um Porto para o Mar’ na livraria Janela do Jardim Botânico

Um Porto para o Mar

Não faltam livros para contar a história do Rio de Janeiro, mas “Um Porto para o Mar” (Editora Sapoti), chega para relatar a importância dos diversos portos, ancoradouros e trapiches da Baía de Guanabara nos acontecimentos históricos da cidade e do próprio país.  O lançamento do livro será dia 29 de abril, segunda-feira, a partir das 19h, na Livraria Janela do Jardim Botânico, e contará com um bate-papo entre a curadora do projeto, Daniela Chindler, a museóloga Mariana Rigoli e a historiadora Luciene Carris.

Escrito por Daniela Chindler junto com Flavia Rocha Gil Cardoso e Mariana Rigoli e revisão histórica de Rodrigo Lauriano, “Um Porto para o Mar”, promove uma viagem no tempo para conhecer a história do Rio de Janeiro através da sua região portuária.

“No século XXI temos a oportunidade de voltar ao passado para recontar e conhecer personagens que formaram a cidade do Rio de Janeiro, como Tia Ciata, Augusto Malta, João do Rio, André Rebouças e outros.”, conta Daniela, idealizadora do projeto.

A obra é pontuada pelas ilustrações de Camilo Martins. Ele se inspirou em antigos mapas e nas linhas dos primeiros cartógrafos nos continentes americanos. A partir daí foi modernizando os traços conforme o livro evoluía. “Assim como a relação do homem com o mar, as ilustrações são repletas de colagens, texturas e maresia”, afirma Camilo, que tem um trabalho de pesquisa sobre religiões de matrizes africanas.

Dividido por séculos, o livro leva os leitores, ao longo de suas 104 páginas, a um passeio através do tempo e dos territórios históricos da região portuária e do centro do Rio. Aqui viveram os povos Tamoio, Tupiniquim e Temiminó, num espaço por onde se fundou uma cidade colonial, cenário de violências e horrores da escravidão. Também foi o lugar onde nasceu o samba, que recebeu imigrantes e proveu trabalho e lazer para milhares de pessoas de muitas gerações.

Ao longo dos capítulos, a obra mostra o aparecimento do carnaval – na época conhecido como entrudo -, a transferência da “cabeça do Estado do Brasil” da Bahia de Todos os Santos para o Rio de Janeiro; o crescimento do porto da Baía de Guanabara, a inauguração do cais do Valongo, em 1774, a chegada da Família Real e as mudanças na cidade, promovidas pelo Prefeito Francisco Pereira Passos, incluindo a inauguração oficial do Porto do Rio de Janeiro, em 20 de julho de 1910.

 “Um Porto para o Mar” encerra sua viagem em 2024, mostrando uma nova transformação na cidade. Se no século XX a região do centro deu as costas para o horizonte marítimo, o século XXI vai reunir outra vez a cidade e o mar. O cais do Valongo torna-se um sítio arqueológico importante para retratar os hábitos da humanidade na época em que esteve aberto. O viaduto da Perimetral é demolido e se torna um marco para a reurbanização da área: um reencontro com a zona portuária, a Baía de Guanabara e a história.

“O livro aborda, de forma lúdica porém informativa, as transformações da cidade ao longo da sua existência”, conclui Luciene Carris.

O projeto é realizado por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura da cidade do Rio de Janeiro (Lei do ISS) patrocinado pela Praticagem do Estado do Rio de Janeiro e produzido pela MaisArte Marketing Cultural.

Sobre a Sapoti

A Sapoti Projetos Culturais é uma produtora de conteúdo na área de educação não-formal, que acredita que o conhecimento pode ser construído de forma criativa. Livros, espetáculos, exposições, ações educativas em museus e animação são alguns dos formatos que a empresa escolheu para contar histórias.

Serviço:

Um Porto para o Mar
Curadoria: Autores: Daniela Chindler,Flavia Rocha,Gil Cardoso e Mariana Rigoli
Ilustrações: Camilo Martins
Editora Sapoti
104 páginas
Preço: R$ 35

Lançamento:
Dia 29 de abril, segunda-feira
A partir das 19h 
Livraria Janela Jardim Botânico
Rua Maria Angélica, 171

À frente da Sapoti está a produtora Daniela Chindler, com mais de 35 anos de experiência na área cultural e autora de dezenas de livros.  No ano passado ela lançou os títulos “Cientistas Brasileiros”. Seu livro “Bibliotecas do mundo” recebeu, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), o Prêmio Malba Tahan de Melhor Livro Informativo 2012 e o selo “Altamente recomendável para crianças”. É autora das visitas teatralizadas da Academia Brasileira de Letras, elaboradas para o centenário ABL, que ficaram 15 anos em cartaz e outros projetos que contam a história de igrejas, prédios centenários e bibliotecas da cidade do Rio de Janeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui