Início » Em busca de um parto humanizado, cada vez mais gestantes procuram por Doula

Em busca de um parto humanizado, cada vez mais gestantes procuram por Doula

Se engana quem pensa que parto humanizado é aquele na água, na banheira, em casa, sem médico. Parto humanizado é aquele parto respeitoso e tem a ver com a assistência que será dada

por Redação

“O parto humanizado nada mais é do que resgatar a capacidade dos nossos corpos, que “nos foi tirada”, deixando o protagonismo da mulher de lado, em prol da comodidade dos médicos”, afirma a Doula Thayna Menezes.

Segundo a doula, é justamente preconizar o respeito pelas vontades da mãe, pela autonomia dela, dando a ela seu papel de protagonista do parto. Muita gente tem medo do parto humanizado achando que ele é feito de qualquer jeito e baseado em achismos. Mas é justamente ao contrário. Nada é feito sem respaldo técnico ou colocando a mãe e o bebê em risco desnecessário. Não existe humanização sem segurança. O parto humanizado não é um tipo de parto nem um modelo determinado a um lugar (porque ele pode acontecer em qualquer lugar inclusive), ele tem a ver com a assistência que será dada, deixando que a mulher assuma seu protagonismo, respeitando esse processo natural e fisiológico e a equipe estará ali assistindo e só intervindo quando realmente for necessário, se for necessário. Essa assistência respeita a fisiologia, de forma segura onde se sabe a hora em que ultrapassar o limite pode tornar arriscado.

Ainda de acordo com Thayna, quando se fala que quer o parto normal, mas não precisa ser humanizado, na verdade essa pessoa (sem saber) está dizendo que aceita uma assistência cheia de intervenções desnecessárias (ou seja, condutas excessivas e perigosas com o intuito de apressar aquele parto, que pode trazer consequências graves tanto para mãe quanto para o bebê) e até mesmo violência obstétrica e violências neonatais também. É importante entender que o parto humanizado pode sim ter intervenção, mas desde que ela seja realmente necessária. Então não é só o parto natural que é humanizado, o parto normal também pode e deve ser humanizado. Parto humanizado nada mais é que respeito! Tem a ver com segurança e respeito tanto para a mãe como para bebê.” Diz Thayna Menezes, Doula.

A Doula, é um “item” indispensável do enxoval, para quem deseja um parto humanizado.

A palavra Doula, vem do grego “mulher que serve”. Servir no sentido de estar entregue.

A Doula é uma profissional especializada no cuidado da mulher (emocional e físico) durante a gestação, parto e pós parto. Capacitada para realizar acompanhamento do período gravídico-puerperal com a gestante, passando para a mulher e seu acompanhante todas as informações para que ela consiga um parto positivo e respeitoso. Ainda durante a gestação, utiliza ferramentas terapêuticas para superar ansiedades, medos e/ou histórias, que de alguma forma possam interferir no momento do parto. E durante o parto, presta suporte emocional e física, ajudando a mulher a passar pela sensação de dor, com métodos naturais como aromaterapia, exercícios, massagens, etc.

Após o parto, auxilia nos cuidados com o recém-nascido, cuidados com a mulher no pós-parto, amamentação, aspectos emocionais e todas as transformações envolvidas nesses momentos.

Esses são os resultados de uma revisão sistemática do grupo Cochrane sobre a assistência da Doula:

– Reduz em 50% as taxas de cesárea
– Reduz os pedidos e o uso de analgesia
– Reduz a duração do trabalho de parto
– Reduz o uso de ocitocina, o uso de fórceps
– Redução no número de bebês com APGAR baixo
– Aumento de sucesso na amamentação
– Melhora/Satisfação na experiência de parto
– Benefícios emocionais e psicológicos para mãe e bebê

“O maior objetivo da Doula é que a mulher tenha de fato uma experiência profunda, transformadora e mais positiva possível. Que ela seja respeitada e vista como a real protagonista do parto.”, diz, Thayna Menezes.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via