Início » Espetáculo “A jornada de um Herói” tem suas últimas apresentações da temporada no Teatro Chica Xavier

Espetáculo “A jornada de um Herói” tem suas últimas apresentações da temporada no Teatro Chica Xavier

por Redação
A jornada de um Herói

O Teatro Chica Xavier, no espaço cultural Terreiro Contemporâneo, está sendo tomado pela reestreia de “A jornada de um herói”. O espetáculo, que emocionou o público, em junho, com apresentações na 12ª edição do Festival de Teatro Universitário (FESTU), está de volta aos palcos elucidando as mazelas que rondam a população negra como o desemprego, racismo estrutural e a desigualdade social. Últimas apresentações da temporada, até 9 de outubro, sextas e sábados 20h e domingos 19h.

Na contagem regressiva, o diretor Alexandre O. Gomes, está otimista para a próxima temporada. “O sistema em que vivemos nos afasta e também afasta algumas pessoas do nosso trabalho, como os críticos e curadores. É sabido que, na maioria das vezes, esses dão preferência a trabalhos mais elitistas. Queremos mostrar que um trabalho nascido na periferia com protagonismo preto e favelado tem conteúdo e qualidade artística como qualquer outro trabalho nascido na Zona Sul do Rio de Janeiro”, ressaltou.

Idealizada por um projeto da Escola Fábrica de Atores & Materiais Artísticos, a peça narra o cotidiano de José, negro, pobre e semianalfabeto, que ao ser dispensado de uma fábrica de carvão ao questionar a diminuição do seu tempo de almoço, que passa de dez para cinco minutos, vai em busca dos direitos como o Fundo de Proteção e Garantia ao Trabalhador Desempregado, como única opção de sustento de sua família.

“Queremos mostrar que um trabalho nascido na periferia com protagonismo preto e favelado tem conteúdo e qualidade artística como qualquer outro trabalho nascido na Zona Sul”, ressalta o diretor Alexandre O. Gomes

Premiado na 10ª edição do FESTU, em 2010, nas categorias Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Texto Original, Melhor Cenografia, Melhor Iluminação e Melhor Esquete, o projeto teve início durante a pandemia de Covid-19, quando os estudantes do Laboratório de Estudo e Criação do Movimento, terceiro módulo da Escola Fábrica dos Atores & Materiais Artísticos, desenvolveram cenas curtas para serem apresentadas no mês de junho – de forma online – numa mostra chamada “Solos Reflexivos”. Dentre as cenas estava “A jornada de um herói” que, de cara, mostrava ao grupo a necessidade de ganhar ainda mais espaço pela relevância das narrativas.

Esse espetáculo conta com incentivo do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através do Edital Retomada Cultural RJ2.

Com um texto provocativo, o espetáculo reforça a importância de equidade, inclusão e diversidade na sociedade. “A direção de A jornada de um herói é um trabalho aberto e compartilhado em equipe. Nossa função é ser facilitador das possibilidades expressivas para a contação de uma história que seja capaz de se relacionar o tempo todo com o seu público, buscamos incluir a plateia e estabelecer uma relação de afeto, troca, generosidade e empatia”, pontua Alexandre.

Para o diretor, é fundamental que os negros sejam enxergados e vistos como pertencentes de todos os espaços. “Queremos construir um trabalho democrático que alcance a todos. Esperamos atingir um público ainda maior, mas acima de tudo, estabelecer com este público uma interação capaz de provocar a reflexão sobre desigualdade social, racismo estrutural, território e representatividade”, afirmou.

Sinopse: 

Após ser demitido de uma fábrica de carvão ao questionar a diminuição do seu tempo de almoço, que passa de dez para cinco minutos, ele vai atrás do seu Fundo de Proteção e Garantia ao Trabalhador Desempregado, como única opção de sustento de sua família. Tal como os heróis de Homero, José enfrenta monstros e diversos outros perigos ressignificados nas dificuldades cotidianas de um homem negro, pobre, semianalfabeto e desempregado, marcando uma verdadeira epopeia urbana em que os percalços de um ônibus cheio, uma fila quilométrica e um gerente de banco esnobe, escancaram, na resistência de José, o seu heroísmo.

SERVIÇO 

Local: Teatro Chica Xavier

Endereço: Espaço Cultural Terreiro Contemporâneo – Rua Carlos de Carvalho, 53, Centro, Rio de Janeiro – RJ. Próximo a praça da Cruz Vermelha.

Data: de 23 setembro a 9 de outubro, sextas e sábados 20h e domingos 19h.

Classificação: 12 anos

Ingressos: R$ 30 inteira, R$ 15 meia

PROGRAMAÇÃO:

07/10 Sexta – 20h

08/10 Sábado – 20h

09/10 Domingo – 19h

Ficha Técnica:

  • Direção: Alexandre o. Gomes
  • Direção de Movimento: Alexandre o. Gomes
  • Atuação: Mateus Amorim
  • Texto: Mateus Amorim
  • Cenografia: Alessandra Fernandes
  • Desenhos: Jean Carvalho
  • Figurino: Alessandra Fernandes
  • Iluminação: Alexandre o. Gomes
  • Operação de luz: Amanda Sibanto
  • Contrarregra: Karen Menezes
  • Preparação Vocal: Jane Celeste
  • Preparação Musical: Adilson Muniz
  • Trilha sonora original: Mateus Amorim
  • Assessoria de imprensa: Monteiro Assessoria / Laís Monteiro
  • Designer Gráfico: Samuel Santiago
  • Direção de Produção: Alexandre Gomes
  • Assistente de produção: Thiago Morellato
  • Produtora executiva: Alessandra Fernandes
  • Realização: Cia Atores da Fábrica & Escola Fábrica dos Atores

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via