Início » Espetáculo premiado, “Galápagos” realiza últimas apresentações da temporada popular carioca

Espetáculo premiado, “Galápagos” realiza últimas apresentações da temporada popular carioca

Vencedora do Prêmio Shell 2014 de Melhor Texto, peça contemplada no Edital FUNARJ de Circulação Teatral 2022 realiza uma apresentação gratuita e outras a R$ 5, além de duas oficinas gratuitas de roteiro, em teatros do subúrbio

por Redação
Galápagos.

Oito anos depois de ser encenado pela primeira vez e cinco anos depois de sua última apresentação, o espetáculo “Galápagos” finaliza sua temporada popular, oferecendo ainda oficina gratuita de dramaturgia ministrada por Renata Mizrahi, autora do texto. Contemplado no Edital FUNARJ de Circulação Teatral 2022, o projeto Galápagos Circulação Rio 2022 se apresenta entre os dias 09 e 11 de dezembro no Teatro Armando Gonzaga, em Marechal Hermes. Visando o desenvolvimento da economia criativa, estímulo à formação de plateia e a democratização da cultura fluminense, a montagem indicada e premiada que ficou três anos seguidos em cartaz realiza, com esta última, passagem popular por três teatros da periferia carioca.

Dirigida por Isabel Cavalcanti e encenada por Paulo Giannini e Kadu Garcia, que produzem a montagem pela Saravá Cacilda Produções, a dramaturgia de “Galápagos” propõe uma discussão sobre o homem que está no limite entre romper com padrões de comportamento para resgatar sua mais íntima individualidade, ou permanecer com a sensação de pertencimento social, saciando apenas o ponto de vista do outro. Durante sucessivos encontros em um bar, dois homens com estilos de vida completamente diferentes reconhecem ter algo em comum: um abismo entre o que são e o que representam ser. Carlos, um artista plástico renomado, e Vander, um funcionário de uma multinacional, travam um duelo cômico e emocionante com suas verdades.

“Como produtores, remontar este espetáculo do nosso repertório é proporcionar o acesso a novos espectadores e o reencontro com os que já assistiram e desejam revê-lo. Como atores, revisitar personagens é ter a oportunidade de ampliar a criação e de fazer novas descobertas, sem necessidade de adaptações na dramaturgia ou na encenação, mas comprometidos com o caráter orgânico e vivo que atravessa a cena. E mediante essa divergência tão radical, essa polarização que vivemos hoje, que já impede um diálogo, reencenar ‘Galápagos’ é fazer refletir que, diante da divergência e diferença, podemos encontrar algo comum com o outro”, pondera Kadu Garcia.

O que poderiam vidas tão diferentes, que parecem obrigadas a driblar todo o tipo de obstáculo para poderem se encontrar, desejar em comum? É nesta explícita diferença que o espetáculo cria empatia com o público. Com uma boa dosagem de humor e alguma angústia e solidão, ‘Galápagos’ faz o espectador se sentir mais dentro da situação. Tão envolvido que talvez se pergunte, cada um a seu modo, se tem ou é um pouco de Carlos e Vander, personagens da trama. E este é o melhor dos diálogos do teatro com o seu público, aquele que faz com que cada espectador seja capaz de se repensar a partir de cada personagem.

E poder apresentar a montagem tantos anos depois de sua estreia em outras áreas da cidade é motivo de alegria pra Kadu e Paulo. “Estamos levando a peça nestes três teatros de resistência, que carregam desde o nome figuras importantíssimas da cultura nacional e que possuem profissionais que cuidam e promovem movimento nestes espaços. É muito importante para nós, que somos artistas e professores atuando em vários territórios da cidade do Rio de Janeiro, e faz muito sentido sair do eixo Centro-Zona Sul e poder levar este texto que falam sobre a sociedade, sobre a gente, sobre o país, a novos territórios”, considera Paulo.

“Galápagos” foi contemplado pelo Prêmio Funarte Myriam Muniz 2013 e selecionado pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca 2013. Em 2015, integrou a programação do Festival Sesc de Inverno e o Circuito Sesc de Artes Cênicas, e realizou duas temporadas: no Teatro da UFF, em Niterói, e uma segunda temporada no Rio de Janeiro, no Teatro Gláucio Gil. O espetáculo recebeu cinco indicações a prêmios: Melhor Texto e Melhor Iluminação pelo Prêmio Shell (2014); Melhor Texto e Melhor Direção pelo Prêmio CESGRANRIO de Teatro (2014), e Melhor Texto pelo Prêmio APTR (2015).

SERVIÇO:

GALÁPAGOS CIRCULAÇÃO RIO 2022

09, 10 e 11 de dezembro

Sexta e sábado, às 20h /Domingo, às 19h

– Sessão com intérprete de libras: sábado, 10/12 –

Teatro Armando Gonzaga

Av. Gen. Osvaldo Cordeiro de Farias, 511 – Marechal Hermes

Apresentações “Galápagos”

Ingressos – R$ 5 (inteira) / R$ 2,50 (meia-entrada)

Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: 14 anos

Oficina Prática de Dramaturgia com Renata Mizrahi

Dia 09 de dezembro – de 10h às 14h

Classificação indicativa – 17 anos

FICHA TÉCNICA:

  • Direção – Isabel Cavalcanti
  • Texto – Renata Mizrahi
  • Elenco – Paulo Giannini e Kadu Garcia
  • Cenografia – Aurora dos Campos
  • Iluminação – Renato Machado
  • Figurino – Bruno Perlatto
  • Trilha Original – Felipe Storino
  • Voz da Cantora – Simone Mazzer
  • Design Gráfico – Roberta de Freitas e Jaqueline Sampin
  • Fotos – Dalton Valério e Débora 70
  • Libras – JDL Traduções
  • Assistente de Produção – Nino Batista
  • Gestão de Mídias Sociais – Lucas Linhares
  • Assessoria de Imprensa – Marrom Glacê Assessoria
  • Direção de Produção – Paulo Giannini e Kadu Garcia
  • Realização – Saravá Cacilda Projetos Culturais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via