Início » Festival Memória do Cavaquinho Brasileiro recebe herdeiro musical de Waldir Azevedo, Ronaldinho do Cavaquinho, e o destaque nacional do choro Léo Benon neste domingo

Festival Memória do Cavaquinho Brasileiro recebe herdeiro musical de Waldir Azevedo, Ronaldinho do Cavaquinho, e o destaque nacional do choro Léo Benon neste domingo

Um dos maiores expoentes do gênero no Brasil lança seu novo álbum, ''Choros de Roda'', ao lado do que é considerado pela própria viúva do autor de ''Brasileirinho'' como herdeiro musical do mestre

por Redação
Leo Benon
Idealizado e produzido pelos músicos Pedro Cantalice e Carlos Chaves, o Primeiro Festival Memória do Cavaquinho Brasileiro acontece no Rio trazendo toda a pluralidade artística do cavaquinho solista no Brasil, com apresentações de cavaquinistas de diferentes regiões do país reunindo as mais variadas influências sonoras. O encontro acontece ao longo de todo o mês de setembro, sempre aos domingos, a partir das 11h da manhã, no Centro da Música Carioca Arthur da Távola. O espaço fica localizado na rua Conde de Bonfim, nº 824, na Tijuca (RJ). 
 
Neste domingo, dia 18, o palco do Centro da Música Carioca recebe os dois herdeiros da linguagem do Mestre Waldir Azevedo: Ronaldinho do Cavaquinho (RJ), diretor do Instituto dedicado ao mestre, e o professor da Escola de Música Raphael Rabello, Léo Benon (DF) – que lança, na mesma ocasião, seu novo álbum. O álbum ‘Choros de Roda’ contempla músicas compostas por Léo Benon entre o período de 2013 e 2018. O conjunto regional que acompanha Léo é formado pelos músicos Dudu 7 Cordas (Violão de 7 cordas), Vinícius Magalhães (violão), Nelsinho Serra (cavaquinho) e Júnior Viégas (pandeiro). Conta com as participações especiais de Sérgio Morais (flauta), Fernando César (violão de 7 cordas), Valerinho Xavier (pandeiro) no choro ”Comendo Sagu” (que foi dedicada a estes músicos) e Cacai Nunes (viola brasileira) no ”Chamamé Latinidad”. Das 12 músicas integrantes do álbum Choros de Roda, 10 são inéditas, as músicas ”Comendo Sagu” e ”Choro da Vinda” foram anteriormente lançadas pelos respectivos conjuntos Choro pra Cinco e Fernando César e Regional. A dupla faz uma dobradinha, também, no dia anterior. Eles se apresentam às 17h no Instituto Waldir Azevedo, que fica em Conservatória (conhecida popularmente como a ”cidade das serestas”), no distrito de Valença – sul fluminense.  
 
Encerrando com chave de ouro, no dia 25 de setembro, Henrique Cazes e Rafael Delvaux apresentam diferentes linguagens musicais possíveis no cavaquinho dialogando em plena harmonia. Memória do Cavaquinho Brasileiro é um projeto de pesquisa produzido pelo músico e pesquisador Pedro Cantalice, em 2018, que investiga e compartilha informações sobre a história e memória do cavaquinho no Brasil e seus intérpretes. “Tocar cavaquinho, para mim, é algo que vai além da música. Foi a partir desse instrumento musical que aprendi muito sobre generosidade, força, respeito e potência humana. No mesmo caminho o Festival Memória do Cavaquinho é um reflexo dessas virtudes em quatro dias de evento: um festival de fraternidade e alegria na companhia de artistas amigos de diferentes gerações apresentando uma diversidade de histórias e sonoridades”, conclui Pedro. Formado por um acervo digital/físico composto por gravações raras, entrevistas, fotografias, textos acadêmicos, partituras e métodos de cavaquinho, tem sido referência para músicos e pesquisadores de várias partes do mundo, colaborando com dados preciosos para que novos trabalhos relacionados ao cavaquinho sejam desenvolvidos. 
 
O show de abertura aconteceu no último dia 04/09 com a participação dos geniais: Mestre Siqueira, único integrante vivo da última formação da banda de Pixinguinha e integrante da Velha Guarda da Mangueira com mais de 400 composições próprias, e do multi instrumentista Abel Luiz. 

Nos últimos anos o projeto tem participado de eventos de destaque no âmbito da música popular brasileira, como festivais, palestras e seminários tais como: “Com a Palavra o Usuário” – Arquivo Nacional do Brasil – fevereiro de 2019, I Festival Internacional de Cavaquinho – março de 2021, VI Festival Pixinguinha no Vale – março de 2021, Choro Patrimônio Cultural do Brasil (IPHAN) – maio 2021, Choro Nosso de Cada Dia – julho de 2021, Festival de Choro de Pelotas – novembro de 2021, Exporvisões (Podcast) – Por Uma Memória do Cavaquinho Brasileiro – novembro de 2020 e a 10a edição do Festival Choro da Casa, em Ribeirão Preto – Jul. 2022. Dentre as atividades realizadas podemos citar as publicações dos textos acadêmicos: “Memória do Cavaquinho Brasileiro no Arquivo Nacional” – Revista Acesso Livre n. 11 jan.-jun. 2019 e “Mestre Siqueira, Histórias de um Cavaquinista Brasileiro” Anais do XIII Encontro Regional Sudeste de História Oral: narrativas de (re)existências: corpo-oralidades, antirracismo e educação.
A criação de um Banco de Partituras com peças compostas para o cavaquinho brasileiro; homenagens à cavaquinistas de várias gerações no canal do Youtube; levantamento do repertório dedicado ao instrumento; realização de eventos presenciais como a homenagem ao músico José Carlos Choairy, realizada em maio de 2022 em parceria com o Instituto Waldir Azevedo.

 
* vídeo – Léo Benon (DF) e Regional
 
* vídeo – Mestre Siqueira
https://www.youtube.com/watch?v=7j1w6NJAsZw
 
* Serviço * 
1º Festival Memória do Cavaquinho Brasileiro
 
Local: Centro da Música Carioca Arthur da Távola
End :: Rua Conde de Bonfim, nº 824 | Tijuca (RJ)
 
** PROGRAMAÇÃO **
– 18/09 –> Léo Benon (DF) e Ronaldinho do Cavaquinho | 11h
 
– 25/09 –> Henrique Cazes e Rafael Delvaux | 11h  
 
Ingressos a preços populares: 
R$15 (meia entrada) e R$30 (inteira)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via