Início » Independência ou sorte?

Independência ou sorte?

Ciclo de palestras discute o protagonismo de grupos que sofreram apagamento no processo de independência do Brasil

por Redação

A independência do Brasil foi um processo longo e complexo, um evento que não apenas começou ou terminou no dia 7 de setembro de 1822, mas que se arrastou por muitos anos antes e depois da data histórica.

Hoje, 200 anos após esse acontecimento, a Graviola Produções se propõe a mostrar a narrativa de uma maneira diferente, promovendo discussões com foco nos grupos que sofreram apagamento histórico. “Existiu um processo de independência que poucos conhecem e que deixam marcas severas no Brasil que vivemos hoje. Falar sobre grupos que foram invisibilizados e sua fundamental importância na emancipação do Brasil é também possibilitar um espaço para um debate mais justo”, afirma a coordenadora do projeto, Marjory Rocha.

Há quase 10 anos no mercado, a Graviola Produções já realizou grandes projetos com a Prefeitura do Rio de Janeiro, Shell, Multishow, Telecine, Laboratório Roche, NET, SporTV, entre outras empresas. “A Graviola Produções identificou a necessidade de abordar o tema do bicentenário da independência, já que a data é importante no cenário histórico e cultural brasileiro. Mas queríamos ir além, não gostaríamos de fazer mais do mesmo e falar sobre o assunto como está nos livros de história”, relata Giulia Fiorani, responsável pela curadoria da iniciativa.

Premiado em um edital da Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, em comemoração ao Bicentenário da Independência, o projeto é divido em dois dias e terá cinco mesas de debate com diferentes temas. Professores, pesquisadores, influenciadores e ativistas fazem parte das discussões, que vão trazer temas como a desigualdades de gênero, raça e classes no processo de independência do País.

Realizado na Biblioteca Parque Estadual (BPE), no centro do Rio de Janeiro, o ciclo de palestras deve receber quase 500 pessoas nas duas datas. Além disso, terá transmissão simultânea pelas redes sociais (@graviolaproducoes). “A internet democratizou a informação e é uma ferramenta importante para ampliar o acesso e a discussão”, menciona Marjory.

O evento é gratuito e não é necessária inscrição prévia, o lugar será garantido por ordem de chegada. Como o auditório onde acontecerão os debates é sujeito a lotação, é importante chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência.

SERVIÇO
200 anos: o protagonismo popular na Independência do Brasil
Biblioteca Parque Estadual (BPE) – Av. Pres. Vargas, 1261 – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Ciclo de palestras
Primeiro dia – quinta-feira (29/09/22)
10h – Mesa 1: Heróis, Lutas e Acontecimento: A narrativa que a história do Brasil ainda não conta
14h – Mesa 2: Movimentos que precederam o 7 de setembro: Os pedidos de separação de Portugal e lideranças pretas
16h – Mesa 3: A história da nação e dos grandes homens: A desigualdade de gênero na narrativa

Segundo dia – quinta-feira (20/10/2022)
14h – Mesa 4: A elite que tupinizou o próprio nome pela independência: O lugar do povo indígena e suas apropriações
16h – Mesa 5: Independência para quem? O diálogo de gênero, raça e classe no pós-independência

Realização: Graviola Produções
Patrocínio: Governo do Estado do Rio de Janeiro

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via