Início » Indignação, questionamentos e reflexões no setor da Cultura

Indignação, questionamentos e reflexões no setor da Cultura

por Redação
Eleonora Santa Rosa

Consultora, gestora e estrategista cultural, Eleonora Santa Rosa, ex-secretária de Cultura de Minas e ex-diretora-executiva do MAR (Museu de Arte do Rio), está lançando, no Rio de Janeiro, no Alalaô Kiosk, no arpoador, no próximo dia 15/03, terça-feira, dois livros que prometem instigar o setor de cultura, onde ela milita há 38 anos.

Solilóquio

Solilóquio

Em seu livro “Cultura!”, Eleonora apresenta quase 60 textos publicados em sua coluna na revista eletrônica Dom Total, que pertence à Escola Superior Dom Helder Câmara e Escola de Engenharia (EMGE) mas também em jornais de circulação nacional na forma de artigos de opinião ou mesmo em sites de referência do setor cultural. Eleonora apresenta seu livro em um momento crucial para o setor,  como estímulo ao debate e colaboração na busca de alternativas contemporâneas, não só aos desafios antigos e recorrentes, mas aos que se impõem  com a nova conformação pós Covid: “É  preciso assumir riscos inerentes ao que é inusual, estranho e inovador. Não será do óbvio, do obsoleto, do anacrônico que encontraremos novos caminhos”, afirma a autora.. 

Já Solilóquio é uma continuação de seu livro “Interstício” – que foi lançado em 2017 – reunindo desta vez quase 200 textos publicados sobre temas correlatos à cultura entre 2017 e 2021 também na Dom Total. Nestes textos, Eleonora discute temas sociais, políticos e culturais, além de embates e discussões que marcaram o Basil no período em que foram escritos.

“A cultura é bem básico, é bem essencial. Um país que entende a força da sua cultura é um país livre. O mundo contemporâneo não permitirá isso que estamos assistindo ainda no estágio da barbárie. Se quisermos nos consolidar como nação, temos que dar a devida importância à educação e à cultura”, defende a mineira Eleonora, que desde o ano passado é moradora do bairro da urca, no Rio.

“Cultura é o que temos de melhor. É o nosso legado civilizacional. Cultura é verbo e é verba. Para que ele se expanda, é preciso de dotação orçamentária. Cultura é estrutural, é estratégico”, emenda.

Cultura!

Cultura!

No prefácio de “Cultura!”, a jornalista Maria Arlete Gonçalves, que criou e administrou o Centro Cultural Oi Futuro, no Rio, saúda o lançamento: “É um livro que vem, também, para provocar novos posicionamentos e reflexões sobre o que fazer diante desse abismo que vem sendo engendrado e construído passo a passo e que se tornou ainda mais sombrio e devastador com a chegada da Era Covid”. 

Já no prefácio de “Solilóquio”, Eduardo de Jesus, professor do departamento de Comunicação Social da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, destaca a relevância de se discutir cultura nos dias de hoje: “Os temas de cultura e de sua gestão seguem sua centralidade nas crônicas em um espectro amplo, mas sempre focado na dimensão libertadora da cultura e em sua função social, política e econômica”.

Em sua gestão no MAR uma de suas realizações foi levar a FLUP – Festa Literária das Periferias – para as dependências do Museu de Arte do Rio. “ O MAR jamais seria indiferente, contrário ou insensível à FLUP. Nesta parceria estratégica, o museu, que tem atuado na zona portuária e em outros territórios com um alentado e ousado programa de atividades de formação, mobilização, sensibilização, provocação, extensão desenvolvidos por sua Escola do Olhar, não só abraça, mas assume em sua face mais resiliente, a FLUP”, finaliza Eleonora.

No Rio, os livros “Solilóquio” (R$ 70,00) e “Cultura!” ( R$ 50,00) podem se encontrados nas lojas da Livraria da Travessa.

Serviço
Lançamento de Solilóquio e Cultura!
Alalaô Kiosk, Praia do Arpoador, ao lado da estátua de Tom Jobim
Dia 15/03, terça-feira, das 18h às 21h

Eleonora Santa Rosa

Ex-Secretária de Estado de Cultura de Minas Gerais, durante seus três anos e meio de gestão implantou um processo de reestruturação e redimensionamento da Pasta, sem precedentes, com reflexos em todo o Sistema de Cultura do Estado e nas regiões de Minas Gerais, tendo atuado também, em parte desse período, como vice-presidente do Fórum Nacional dos Secretários de Estado da Cultura.

Foi diretora-executiva do Museu de Arte do Rio de Janeiro – MAR entre 2017 e 2019, período no qual o Museu ganhou o prêmio ABERJE 2019 (Regional Rio de Janeiro e Espírito Santo) na categoria Imprensa/Influenciadores com a exposição O Rio Do Samba: Resistência E Reinvenção e também o Prêmio Faz Diferença promovido pelo O Globo na categoria Artes Visuais.

Fundadora do Santa Rosa Bureau Cultural, em 1998, uma das mais conceituadas agências de desenvolvimento de projetos culturais estratégicos do país, concebeu, coordenou, geriu e/ou planejou inúmeros projetos de repercussão no cenário nacional. Integrou, vários conselhos, dentre eles, o Conselho Científico do Instituto de Estudos Avançados e Transdisciplinares da Universidade Federal de Minas Gerais (IEAT/UFMG) e participa do Conselho da Coleção Mineiriana da Fundação João Pinheiro. 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via