Moacyr Luz estreia turnê de 45 anos de carreira no Rio de Janeiro

Moacyr Luz
Moacyr Luz - Foto: Marluci Martins

Em comemoração aos 45 anos de carreira, Moacyr Luz sairá em turnê pelas principais capitais do país, começando pelo Rio de Janeiro, dia 03/04 no Espaço EcoVilla Ri Happy. Ao lado do jornalista Leonardo Lichote, o comandante do Samba do Trabalhador vai cantar e contar histórias de vida e de palco, com convidados especiais. O show celebra ainda o aniversário de Moa, que completa 66 anos dia 05/04!

As primeiras lições de violão observando o mestre Hélio Delmiro em sua casa no Méier. A emoção de ver pela primeira vez uma música sua em uma novela — “Coração do Agreste”, hit da trilha de “Tieta do Agreste”. Seus versos e melodias embalando desfiles de escolas como Paraíso do Tuiuti e Mangueira. Suas canções nas vozes de Maria Bethânia, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e muitos outros grandes da música brasileira. O Samba do Trabalhador transformando as segundas-feiras do Rio no Clube Renascença, no Andaraí.

Essas e outras cenas marcam os 45 anos de carreira de Moacyr Luz, celebrados num show intimista em que o compositor conta histórias de sua vida e lembra canções fundamentais nessa trajetória. Ao lado do amigo Leonardo Lichote, que conduz a conversa, o artista faz um passeio pelos bastidores de seu ofício de criar músicas que caem na boca do povo; homenageia Aldir Blanc e outros parceiros; lança seu olhar de cronista sobre a cidade e os personagens que cruzaram seu caminho; faz rir com sua verve de contador de casos; e emociona ao rememorar alegrias e desafios que a vida lhe apresentou. A ideia é que o show saia em turnê pelas principais capitais do Brasil.

Em meio às falas, o show “Moacyr Luz — 45 anos de carreira” costura um repertório que inclui canções de diferentes momentos de sua trajetória. Estão lá, entre outras: “Zuela de Oxum” (parceria com Martinho da Vila), “Vida da minha vida” (com Sereno), “Coração do Agreste” e “Anjo da Velha Guarda” (ambas com Aldir), “Cabô meu pai” (com Aldir e Luiz Carlos da Vila) e “Saudades da Guanabara” (com Aldir e Paulo César Pinheiro).

Na parte musical, Moacyr tem a companhia de instrumentistas que são seus companheiros de longa data. No violão sete cordas, está Carlinhos Sete Cordas. Colega de Samba do Trabalhador e neto do lendário compositor imperiano Silas de Oliveira, o percussionista Junior de Oliveira sustenta a batucada. Outro percussionista convocado para reforçar o time é o Leozinho Rodrigues, um craque do samba, também da banda de Jorge Aragão. A estreia, no Rio, terá a participação de convidados que fazem parte dessa história de 45 anos.

O cenário do show inclui projeções de fotos do arquivo pessoal do artista, ilustrando as histórias contadas e músicas cantadas. Imagens como a casa onde morou com Delmiro; o Bar da Dona Maria, na Muda, quartel-general de sua amizade com Aldir Blanc; o Clube Renascença, casa do Samba do Trabalhador. Durante o show, o telão exibe também o trailer do documentário sobre Moacyr que a diretora Tarsilla Alves prepara para a estreia ainda em 2024.

Dono de uma trajetória longa e frutífera, Moacyr atribui os 45 anos de caminhada bem sucedida ao esforço constante de quem incansavelmente compõe, comanda rodas de samba, produz discos e grava. Tudo isso sem perder a natureza de figura das ruas, que inclui momentos como seu tradicional churrasquinho na Praia do Flamengo ou o período em que ele teve uma barraca na feira da Muda apenas para reunir amigos.

— A vida de um artista é feita de sorte e trabalho. A minha foi só de trabalho — define o compositor. — Cada palmo de conquista foi com muito suor, muita entrega. Procurei sempre olhar pra frente. Tudo que teve de bom, logo depois eu seguia em frente como se nada tivesse acontecido. Gravei com Maria Bethânia, Zeca Pagodinho, Gilberto Gil, Beth Carvalho, Leila Pinheiro, Martinho da Vila… Gravações vividas no limite da felicidade. Mas no dia seguinte continuava porque a estrada é muito longa.

Aos 45 anos de carreira, Moacyr se vê ainda na música como um garoto, construindo novas histórias e canções diariamente:

— Às vezes me surpreendo quando sou identificado por alguém da classe como um grande compositor — diz. — Porque continuo como se tivesse 18 anos, procurando uma música que vai alegrar meu coração, vai respeitar minha tradição e vai trazer felicidade pras pessoas que escutam.

Ficha Técnica:

  • Release – Leonardo Lichote
  • Assessoria de Imprensa – Lupa Comunicação
  • Direção de Produção – Jacqueline Marttins

Serviço:

Show Moacyr Luz – 45 anos de carreira

  • Data: 03 de abril de 2024, às 20h
  • Local: Espaço EcoVilla Ri Happy, dentro do Parque Jardim Botânico
  • Valor: R$50 (meia)
  • Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008 Loja

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui