Início » Orquestra Petrobras Sinfônica abre a Temporada 2022 da Sala Cecília Meireles, dias 11 e 12 de março

Orquestra Petrobras Sinfônica abre a Temporada 2022 da Sala Cecília Meireles, dias 11 e 12 de março

Com regência do maestro Isaac Karabtchevsky, concertos têm programa dedicado a obras de César Guerra-Peixe

por Redação
Orquestra Petrobrás Sinfônica

Orquestra Petrobras Sinfônica inaugura a Temporada 2022 da Sala Cecília Meireles, um espaço FUNARJ, na sexta-feira, dia 11 de março, às 19h, sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsky, tendo como solista Ricardo Amado (violino), com transmissão ao vivo pelo YouTube da Sala.  No programa, estão três obras de César Guerra-Peixe (1914-1993). No concerto de sábado, dia 12 de março, a Sala Cecília Meireles estreia seu novo horário, 16h. A Temporada 2022 da Sala Cecília Meireles tem o patrocínio da Petrobras e da Vale.

Compositor, arranjador, regente, violinista, professor, pesquisador, César Guerra-Peixe é um dos maiores nomes da música em nosso país. Autor de uma obra variada, que passa por diferentes fases criativas e reflete os debates acerca da música brasileira, marcou presença também como autor de trilhas para filmes e de arranjos para diversos discos de compositores da música popular. Com um olhar extremamente crítico, tanto de sua obra quanto a tudo o que acontecia ao seu redor, participou dos movimentos culturais mais importantes de sua época.

O maestro Isaac Karabtchevsky fala a respeito do repertório e do compositor homenageado: “Guerra-Peixe foi o consagrado compositor escolhido pela Sala Cecília Meirelles e seu diretor, João Guilherme Ripper, para a inauguração da Temporada 2022. A efeméride reúne algumas de suas obras mais consagradas como o ‘Museu da Inconfidência’, composta em 1972. A obra retrata uma visita ao referido museu, em Ouro Preto, e tem quatro partes, todas ligadas à Inconfidência Mineira ou ao Brasil colonial. Sua experiência como violinista foi essencial na elaboração do ‘Concertino para violino e orquestra de câmara’, também de 1972. Ela reflete uma fase estritamente nacionalista que evoca uma visão plural da riqueza cultural do país. Esse concertino terá como solista o excelente Ricardo Amado, spalla da Orquestra Petrobras Sinfônica. Faz parte do concerto ‘Quatro Maracatus de Capiba’, obra para orquestra de cordas escrita em 1979”, detalha o maestro.

Serviço:

Orquestra Petrobras Sinfônica

11 de março (sábado), às 19h

12 de março (domingo), às 16h

Local: Sala Cecília Meireles – Rua da Lapa, 47. Tels.: 2332-9223/9224

Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)

Vendas online: https://bileto.sympla.com.br/event/71631/d/127244

Capacidade: 670 lugares. Classificação indicativa: livre.

Série Orquestras

Orquestra Petrobras Sinfônica

Isaac Karabtchevsky, regente

Ricardo Amado, violino

PROGRAMA:

César Guerra-Peixe (1914-1993)

Quatro maracatus de Capiba, para orquestra de cordas

I. É de tororó | Allegretto moderato

II. Navio da costa | Andante

III. Vira a moenda | Moderato

IV. Cadê os guerreiros | Allegretto

Concertino, para violino e orquestra de câmara

I. Allegro comodo

II. Andantino

III. Allegro un poco vivo

Museu da inconfidência

I. Entrada | Andante

II. Cadeira de arruar | Allegro moderato

III. Panteão dos inconfidentes | Larghetto

IV.Restos de um reinado negro | Vivace

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via