Início » Tim Rescala comemora 60 anos com concerto na Sala Cecília Meireles

Tim Rescala comemora 60 anos com concerto na Sala Cecília Meireles

Em 3 de dezembro, Tim Rescala rege a Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, com repertório que engloba sua trajetória, incluindo obras compostas para concerto, cinema, teatro e televisão

por Redação

Compositor, arranjador, orquestrador, pianista, regente, produtor, diretor musical, ator e apresentador, Tim Rescala é um artista com atuação multifacetada. Para comemorar seus 60 anos de vida, completados no ano passado, o maestro carioca sobe ao palco da Sala Cecília Meireles no dia 3 de dezembro, às 19h, para comandar a Orquestra Sinfônica Nacional da UFF – que também completou seis décadas de existência em 2021. O repertório do concerto “Tim Rescala e Orquestra Nacional da UFF – 60 anos” faz um apanhado dos 45 anos de carreira do compositor, incluindo música de concerto, para cinema, teatro e TV.

A apresentação estava originalmente programada para 2021, mas foi adiada em virtude da pandemia. “Fazer esse concerto com a Orquestra Sinfônica Nacional da UFF é muito emblemático para mim, porque é um conjunto que se dedica, principalmente, à música brasileira”, diz Tim. O repertório faz um panorama da carreira do artista, abarcando estilos e gêneros variados.

Na abertura, a obra “Fanfarrona”, uma fanfarra encomendada pela Sala Cecília Meireles na ocasião dos 40 anos de aniversário do espaço, em 2005. “Chamei de ‘Fanfarrona’ porque tem um caráter bem-humorado, citando vários trechos de obras com uma intenção cômica.”

O concerto segue com as músicas de abertura “Blim-Blem-Blom” e “A Música do Planeta Terra”, representado o trabalho consolidado que Tim desenvolve para crianças tanto no teatro, com musicais e óperas, quanto na rádio. Há dez anos no ar na Rádio MEC FM, o programa “Blim-Blem-Blom” mostra a música clássica para o público infantil. Desde o ano passado, o programa apresenta “A Música do Planeta Terra”, série dramatúrgica que visita os grandes nomes da música de concerto ao longo dos séculos. Ambas as obras terão participação especial da soprano Doriana Mendes.

Na sequência, a estreia da obra sinfônica “Bipolar”, mesclando música tonal e atonal. “É uma brincadeira na qual eu junto dois gêneros, tentando resultar num terceiro”, conta Tim.

Parcela importante da carreira do artista, as músicas compostas para cinema e TV também estão presentes no repertório. Tim antecipa duas músicas (a abertura e o encerramento) do documentário inédito “Nelson Pereira dos Santos – Uma Vida de Cinema”, dirigido por Aída Marques e Ivelise Ferreira. Depois, é a vez da suíte orquestral da trilha sonora do filme “Pluft, o Fantasminha”, dirigido por Rosane Svartman. No encerramento, Tim apresenta um trabalho recente, uma suíte da música composta para a minissérie “Independências” (TV Cultura), de Luiz Fernando Carvalho, diretor com quem Tim fez diversos trabalhos no audiovisual.

Como o teatro não poderia ficar de fora, Tim selecionou para o bis um recorte do seu trabalho nas artes cênicas: uma versão sinfônica de uma das canções do musical “Um Trem Chamado Desejo”, do grupo mineiro Galpão. “Poder reunir um repertório tão diverso nesse concerto me deixa muito feliz, ainda mais sendo na Sala Cecília Meireles e com a Orquestra Nacional da UFF, com amigos e músicos tão importantes na minha carreira”, celebra Tim.

Tim Rescala – Estudou na Escola de Música da UFRJ e na Escola de Música Villa-Lobos. Com Hans-Joachim Koellreutter, estudou composição, contraponto e arranjo. Licenciou-se em música pela UNI-RIO. Autor de óperas, musicais, música de câmera e eletroacústica. Compositor e diretor musical de várias peças de teatro. É um dos mais premiados compositores brasileiros, tendo recebido diversos prêmios Mambembe, Shell, Coca-Cola, APTR e CBTIJ. Escreve e apresenta “Blim-blem-blom” na rádio MEC FM desde 2011. Faz música para cinema, exposições e TV, tendo trabalhado para a TV Globo por 30 anos. Seus trabalhos mais recentes em TV tiveram muita repercussão: as novelas “Meu pedacinho de chão” e “Velho Chico” e a minissérie “Dois Irmãos”, todas com direção de Luiz Fernando Carvalho.

Em 2019, lançou a Classical Tracks (http://classicaltracks.com.br) uma livraria digital de música clássica voltada para o mercado audiovisual. Em 2021, compôs a ópera “O Engenheiro”, ambientada no dia da Proclamação da República; e criou as canções do musical “Pinóquio” (com a Cia PeQuod). Em novembro de 2022, vai estrear a ópera “O Auto da Compadecida”, sob encomenda da Orquestra Ouro Preto; e a ópera infantil “O Boi e o Burro no Caminho de Belém”, criada a partir da obra de Maria Clara Machado e direção de Cacá Mourthé. No cinema, fez a trilha sonora do filme “Pluft, O Fantasminha”, com direção de Rosane Svartman Na TV, fez a música da minissérie “Independências” (TV Cultura), com direção de Luiz Fernando Carvalho.

Mais informações: www.timrescala.com.br | @timrescala (Instagram)

Tim Rescala e Orquestra Nacional da UFF – 60 anos

Regência: Tim Rescala
Doriana Mendes, soprano
Carla Rizzi, contralto
Zé Rescala, tenor
Santiago Vilalba, barítono
Maria Teresa Madeira, piano e cravo

Programa

Fanfarrona

Abertura Blim-blem-blom

Abertura A música do Planeta Terra
Doriana Mendes, soprano

Bipolar (estreia absoluta)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via