“Alcione 50 anos” de volta à Ribalta

Alcione
Alcione - foto: @MarcosHermes

No próximo dia 10 de maio, a cantora estará no palco da Ribalta, com o show “Alcione – 50 Anos”, espetáculo onde relembra alguns dos mais célebres hits da carreira. A artista, que acabou de ser confirmada na programação do Rock In Rio 2024 para apresentação no “Dia Brasil”, será acompanhada pela Banda do Sol. Alcione, inclusive, é uma das solistas no clipe oficial gravado para celebrar o evento.

Quanto ao show da Ribalta, na Barra da Tijuca, RJ, o evento também faz parte da turnê nacional que comemora o seu cinquentenário de carreira. Dentre os hits, além de algumas eventuais surpresas, canções como “Meu ébano”, “Estranha loucura”, “Não deixe o samba morrer”, “Figa de Guiné”, “Entidade” e “Você me vira a cabeça”, dentre tantas outras melodias que o público ama e adora cantar junto.

O show do dia 10/5, na Ribalta, está previsto para iniciar às 22h30m, logo após o espetáculo do cantor e compositor Marco Vivan, e a casa abrirá suas portas ao público às 20h30.

Os ingressos, que já estão disponíveis estarão acessíveis a partir de R$100 reais, e a classificação do espetáculo é de 18 anos.

Compras pela internet (uhuu.com), e bilheterias do Espaço Ribalta (Avenida das Américas, 9650 – Barra da Tijuca).

Atendimento: de segunda a sexta das 10 às 13h, e das 14 às 19h. Em dias de eventos, o horário será das 10h às 01h.

Para resumir uma trajetória tão longeva vale reafirmar que os domínios da Marrom extrapolam fronteiras. A intérprete já se apresentou pelos cinco continentes, em mais de 36 países, nos principais festivais e casas de espetáculos internacionais. Portugal, Espanha, Suíça, Alemanha, Israel, Japão, Angola, França, Moçambique, Inglaterra, Itália, Argentina, Chile, Uruguai, e até mesmo na antiga União Soviética. E isso antes mesmo da Perestroika, da abertura, por países que são hoje a Lituânia, Estônia, Ucrânia e Rússia.

A maranhense, criada ouvindo os grandes cantores da época, nacionais e internacionais, sempre transitou entre os variados gêneros e estilos musicais: samba, jazz, bolero, reggae, canção romântica. E, apesar de ser tratada como sambista, adora gravar e interpretar o que lhe convém e emociona. Não é à toa que conseguiu ultrapassar tantas décadas sempre no topo das paradas, continua sendo amada pelo público e inspirando as novas gerações de intérpretes do cenário nacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui