Casa Rodante - Ana Gallardo

Arquitetura e feminismos. Sem princípio nem fim

Organizada pelo Instituto Cervantes, exposição com arquitetas, urbanistas e artistas ocupa o Instituto de Arquitetos do Brasil até fevereiro de 2024

por Redação

Depois de ser exibida em Porto Alegre e Brasília, a exposição “Arquitetura e feminismos. Sem princípio nem fim”, organizada pelo Instituto Cervantes, chega ao Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no Rio de Janeiro. A abertura acontece no dia 6 de dezembro, com projetos de urbanismo, design e arquitetura apresentados sob uma perspectiva feminista. A curadoria de Semíramis González traz obras das criadoras espanholas e latino-americanas Ana Gallardo, Costa Badía, Julia Galán, Col-lectiu Punt 6, Colectivo offmothers, e os projetos “Women’s New European Bauhaus” – coordenado por Inés Sánchez de Madariaga -, “Madrid ciudad de las mujeres”, de Marián López Fdz. Cao e “Musas de vanguardia”, de Mara Sánchez Llorens e Luciana Levinton. Arquitetas, urbanistas e artistas, todas elas percorreram um longo caminho para reivindicar espaços feministas em edifícios e ruas, dando prioridade a outras formas de construir o mundo.

Baseada nas palavras da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, a proposta está comprometida com essa concepção “sem começo nem fim”, entendendo a arquitetura, o planejamento urbano e a criação como uma possibilidade múltipla, contínua, interseccional e sem hierarquias patriarcais.

Segundo Semíramis González, “esta exposição apresenta projetos que trabalham no eixo feminista e interseccional, desde a nova configuração das cidades com uma perspectiva de gênero, até o transporte urbano, a genealogia das mulheres arquitetas do passado ou a realidade das mulheres artistas em suas vidas, em seus espaços e nas ruas. Isso nos aproxima de algo tão comum quanto os lugares que habitamos, levando em conta o ponto de vista daqueles que tradicionalmente têm sido ignorados e propondo alternativas mais feministas”.

Antes, haverá uma performance com a Colab La Perereka (um coletivo transfeminista), e um colóquio com a participação da curadora, Semíramis González, e uma das artistas, Mara Sánchez, que vêm para o Brasil especialmente para a ocasião, com tradução simultânea, tendo Marcela Abla, presidente do IAB, como moderadora.

Exposição “Arquitetura e feminismos. Sem princípio nem fim”,

Performance, colóquio e coquetel a partir das 18h
Moderação do colóquio: Marcela Abla, presidente do IAB.
Participantes: Curadora Semíramis González e artista Mara Sánchez.

A curadora

Semíramis González (Gijón, 1988) é curadora independente e gestora cultural especialista em questões de gênero, que se encarregou de selecionar as obras de várias artistas e coletivos de artistas contemporâneos, destacando a ideia de que a arquitetura e o feminismo são dois eixos para habitar os espaços de forma mais sustentável, igualitária e justa.

Perfomance

Colab La Perereka, um coletivo transfeminista carioca apresenta a performance “A cidade que mora em mim” (“La ciudad que habita en mí”), uma ação site especific dirigida pela artista, pesquisadora e jornalista espanhola Laura Corcuera, criada especialmente para a mostra com três artistas feministas cariocas. Esta ação artística busca contribuir para a expansão de formas poéticas de ativismo político e social.

Título: “A cidade que mora em mim”

Direção: Laura Corcuera.

Artistas participantes:  Marta Moura, Muca Vellasco e Clarice Rito.

Serviço:

Exposição “Arquitetura e feminismos. Sem princípio nem fim”

  • Abertura: dia 6 de dezembro de 2023, a partir das 18h
  • Visitação: de 7 de dezembro de 2023 a 10 de fevereiro de 2024
  • Local: Instituto de Arquitetos do Brasil
  • Endereço: Rua do Pinheiro, 10, Flamengo – Rio de Janeiro
  • Funcionamento: de segunda a sexta, das 13h às 20h.

Você pode gostar

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceito Leia mais

Share via