Atriz e apresentadora Danni Suzuki fala sobre sua paixão pelo surfe, da importância das mulheres no esporte e se encararia onda gigante: ‘Apreensiva’

Dani Suzuki, a boryboder Ivana Brandão e Juliana Knust no Prêmio Brasileiro Ocyan de Ondas Grandes
Dani Suzuki, a boryboder Ivana Brandão e Juliana Knust no Prêmio Brasileiro Ocyan de Ondas Grandes

Com um look azul que lembrava o mar em seus dias mais belos, a atriz Dani Suzuki comandou a apresentação da cerimônia de premiação do Prêmio Brasileiro Ocyan de Ondas Grandes. O evento aconteceu na noite de ontem, no Hotel Be Loft, na Barra da Tijuca, e reuniu importantes nomes do mundo do surfe como Lucas Chumbo, atual Campeão Mundial de Ondas Grandes, Michelle Des Bouillons, top 3 Mundo nas Ondas Gigantes, Kalani Lattanzi, responsável por encarar as maiores ondas já surfadas de Bodysurf no mundo e muitos outros fenômenos do esporte. 

Para a ocasião, Dani escolheu uma calça e um kimono que, segundo ela, também são suas peças queridinhas para ir à praia. “Tenho essa calça e este kimono há muito tempo e uso em várias ocasiões. Esse look é muito adaptável, você abre, coloca o biquíni e vai embora. Eu amo roupas que você pode usar tanto durante o dia, na praia, quanto à noite, em um evento”, avalia.

Danni Suzuki apresentadora do Prêmio Brasileiro Ocyam de Ondas Grandes
Danni Suzuki apresentadora do Prêmio Brasileiro Ocyam de Ondas Grandes

Totalmente à vontade, já que também é adepta do surfe, a atriz encontrou vários amigos no evento e explicou que surfar é um dos seus esportes favoritos. “Eu não consigo ter uma rotina constante de ir à praia, mas eu sou assídua. Sempre que eu posso, eu vou. Porque eu me alimento disso. Eu preciso nem que seja entrar no mar só para remar, sem pegar onda nenhuma. As melhoras conversas e esclarecimentos acontecem com os meus amigos dentro da água. É quase uma meditação quando eu estou sozinha e uma terapia quando estou acompanhada, poque eu entro no mar só para conversar”.

E quando o assunto é a presença feminina no surfe de ondas gigantes, Dani é enfática: “Todos nós, seres humanos, somos movidos a inspirações. A nova geração está aí. Para mim, o surfe não é só um grande esporte que gera atletas, mas um estilo de vida. Ele te muda, mexe com os seus sentimentos, com a sua capacidade de superação, de conquista e de poder. A gente quer ver mais mulheres na água e ondas sendo representadas por ela, definitivamente”.

Só não espere ver a atriz encarando essas ondas desafiadoras. “A Maya Gabeira é uma das minhas melhores amigas. Para mim, ela é a maior referência de mulher no surfe, é a única no Guiness Book (Livro dos Recordes) com a maior onda do mundo, e cada vez que ela entra no mar e toma qualquer vaca, eu choro. Eu entendo o amor e a dedicação dela, mas eu sempre vou ficar apreensiva”, explica a atriz, que tem como lugar favorito para surfar, a Praia de Grumari, no Rio de Janeiro, “360 graus de natureza”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui