Casa do Saber Popular apresenta novidades na edição 2024 do conceituado evento anual Mitos e Ritos da Cultura Popular

Jongo da Serrinha
Jongo da Serrinha
  • Presença de Mestres conceituados de diferentes expressões culturais brasileiras, como Capoeira, Jongo, Samba de Roda e Tambor de Crioula

  • Apresentações e atividades gratuitas realizadas nos dias 13 e 14 de abril, na própria Casa do Saber Popular, em Guaratiba, e nos dias 21 e 28 de abril, no Centro de Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca, espaço que recebe o evento pela primeira vez

Oficinas, rodas e cortejos culturais pelas ruas. A edição 2024 do Mitos e Ritos da Cultura Popular, evento anual organizado pela Casa do Saber Popular, considerado um dos maiores espaços de vivência, valorização e preservação da Cultura Popular Brasileira, traz novidades em sua programação.

Desta vez, serão quatro dias de atividades gratuitas, em dois locais dedicados à Arte, Cultura e Educação, com a presença de renomados representantes de diferentes expressões culturais brasileiras. Entre eles estão a cantora e percussionista Nega Deza do Coco de Roda, os grupos Jongo da Serrinha e Jongo do Pinheiral, a Companhia Mariocas do Tambor de Crioula, e os Mestres de Capoeira: Manoel, Peixe de Caxias, Arerê, Gato e Messias e Marcus Vinícius, conhecido nacionalmente como Mestre Feinho.

Nos dias 13 e 14 de abril, o encontro acontecerá na Casa do Saber Popular, localizada em Guaratiba (Zona Oeste), e nos dias 21 e 28 de abril, será realizado no Centro da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca (Zona Norte), espaço que recebe o evento pela primeira vez.

Ao todo serão oito oficinas com 40 vagas cada uma, destinadas ao público adulto, sendo algumas delas para Portadores de Síndrome de Down. Após as oficinas, haverá rodas culturais com Capoeira Angola e Jongo ou Coco de Roda ou Tambor de Crioula, de acordo com a manifestação cultural apresentada no dia. E, para encerrar, cortejos culturais pelas ruas, com ritmos da Cultura Popular, juntando todos os participantes do evento. A programação completa segue abaixo. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo Whatsapp (21) 99459-4165.

“O evento Mitos e Ritos da Cultura Popular oferece uma oportunidade única para os participantes mergulharem nas raízes da Cultura Brasileira, promovendo o diálogo intercultural e o entendimento mútuo. É um momento de celebração, aprendizado e reflexão, que reforça a importância de preservar e valorizar as tradições que nos tornam quem somos. Além do resgate da Cultura Popular Brasileira, os praticantes das manifestações populares também tem a possibilidade de reconhecer-se nessa história, elevando sua autoestima e seu olhar mais reflexivo a respeito de si, do outro e do mundo”, explica a Doutora em Educação e Psicopedagoga Ana Carolina Rosa, co-fundadora e coordenadora da Casa do Saber Popular.

“A diversidade da Cultura Popular Brasileira pode ser vista e, principalmente, sentida. Nas oficinas de Capoeira, Jongo e Tambor de Crioula, os participantes aprendem com os Mestres, passos, músicas e a história das danças e lutas”, ressalta o idealizador da Casa e também do evento, o renomado Mestre de Capoeira Marcus Vinícius Macul (Mestre Feinho).

Esta iniciativa conta com o apoio do Governo Federal, do Ministério da Cultura, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro @sececrj , através do Edital “Diversidade em Diálogo” da Lei Paulo Gustavo.

EVENTO MITOS E RITOS DA CULTURA POPULAR 2024

Programação completa: 

Dia 13/4 (sábado) – local: Casa do Saber Popular (Rua Foz de Gregório 10, quadra 134, lote 10, Jardim Maravilha, Guaratiba, RJ)

– 14h às 16h – Oficina com Mestre Manoel (Capoeira Angola)

–  16:15 às 18:15 – Oficina com Jongo da Serrinha (Jongo)

– 18:30 às 20h – Roda Cultural com Capoeira Angola e Jongo

 Dia 14/4 (domingo) – local: Casa do Saber Popular

– 14h às 16h – Oficina com Mestre Peixe de Caxias (Capoeira Angola)

–  16:15 às 18:15 – Oficina com Nega Deza (Coco de Roda)

– 18:30 às 20h – Roda Cultural com Capoeira Angola e Coco de Roda

– 20h às 21h – Cortejo Cultural pelas ruas do Jardim Maravilha com Mestre Messias

 Dia 21/4 (domingo) – local: Centro da Música Carioca Artur da Távola (Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca, RJ)

– 14h às 16h – Oficina com Mestre Arerê (Capoeira Angola)

–  16:15 às 18:15 – Oficina com Companhia Mariocas (Tambor de Crioula)

– 18:30 às 20h – Roda Cultural com Capoeira Angola e Tambor de Crioula

Dia 28/4 (domingo) – local: Centro da Música Carioca Artur da Távola

– 14h às 16h – Oficina com Mestre Gato (Capoeira)

–  16:15 às 18:15 – Oficina com Jongo de Pinheiral (Jongo)

– 18:30 às 20h – Roda Cultural com Capoeira Angola e Jongo

– 20h às 21h – Cortejo Cultural pelas ruas da Tijuca com Mestre Messias

Inscrições e informações pelo whatsapp: (21) 99459-4165

A Casa do Saber Popular 

Localizada em Guaratiba, na comunidade Jardim Maravilha, que vem a ser o maior loteamento da América Latina, a Casa do Saber Popular é um espaço de vivência, valorização e preservação da Cultura Popular Brasileira, em suas diversas manifestações. Resgata as influências africanas na cultura e na história do povo brasileiro, valoriza os (as) Mestres (as), promovendo a troca de conhecimentos e destaca a importância de uma Cultura de Paz, através da boa prática de expressões culturais brasileiras como Capoeira, Jongo, Samba de Roda, Maracatu, Coco de Roda.

Fundada em 2015, pelo Mestre Marcus Vinícius, de 44 anos, conhecido nacionalmente como Mestre Feinho, conceituado Mestre do Coletivo Ondas do Mar de Capoeira Angola, e sua mulher, Ana Carolina Rosa, de 40 anos, renomada psicopedagoga e Doutora em Educação, que atua na Escola Parque, de ensino construtivista, a Casa do Saber Popular oferece uma série de atividades gratuitas para crianças, jovens e adultos como aulas de capoeira, danças, percussão, canto e confecção de instrumentos; oficinas, encontros, eventos e rodas culturais, com o objetivo de disseminar os saberes populares, proporcionando a troca de conhecimentos e  a implantação de uma Cultura de Paz, através da boa prática de expressões culturais brasileiras como Capoeira, Jongo, Samba de Roda, Maracatu, Coco de Roda. É uma iniciativa que funciona sem apoios empresariais ou governamentais, apenas com a ajuda de parceiros para a manutenção das suas atividades.

Durante o Mitos e Ritos da Cultura Popular, a Casa do Saber Popular cumpre ainda mais sua missão de ser um espaço inclusivo e dinâmico, onde o conhecimento é compartilhado e as vozes da Cultura Popular encontram um eco, fortalecendo os laços entre passado, presente e futuro, tornando a Casa Viva e transformando-a em um ponto de encontro para estudiosos, artistas, comunidades locais e todos aqueles interessados em mergulhar nas profundezas das narrativas e práticas que definem a Cultura Popular Brasileira.

Ana Carolina Rosa

Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Ana Carolina Rosa, 40 anos, é pedagoga, professora, brincante e pesquisadora da Cultura Popular, atuando também como psicopedagoga e orientadora pedagógica na Escola Parque (RJ). Co-fundadora e coordenadora da Casa do Saber Popular, também é professora de Capoeira no Coletivo Ondas do Mar de Capoeira Angola e já produziu diversos eventos culturais, envolvendo música popular brasileira. Também já participou como percussionista, acompanhando Mestres da Cultura Popular.

Mestre Marcus Vinícius (Mestre Feinho) 

Idealizador e diretor da Casa do Saber Popular, Marcus Vinicius Macul é Mestre de Capoeira desde 1996 e ficou conhecido como Mestre Marcus Vinícius ou Mestre Feinho. Formado em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (UCB), pós-graduado em Abordagem Transdisciplinar Holística pela UNIPAZ- RJ, neuropsicopedagogo, psicanalista em formação, é também percussionista, pesquisador de diversas expressões culturais brasileiras e fundador do grupo Sopro de Gaia e do Coletivo Ondas do Mar de Capoeira Angola. Em sua trajetória, desenvolveu um projeto chamado Cultura Popular para a Paz, apresentado em diferentes espaços com públicos de diversas faixas etárias, criou a orquestra “Ritmo Ancestral Brasileira”, fruto de suas pesquisas na área de música popular, e organizou mais de 30 eventos ligados à cultura, reunindo mestres e grupos culturais brasileiros. Também participou de eventos internacionais junto a mestres expoentes de diferentes expressões, produziu materiais escritos e audiovisuais, além da gravação de 15 CDs, contribuindo para a preservação da memória cultural de nosso país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui