Erich Eichner lança “Contos de Aduana”, primeira obra literária de ficção/horror, e exibe filme com Carmo Dalla Vecchia na Mostra 26 Anos Cavideo, dia 5 no Estação Net Rio

“Contos de Aduana” é o título do primeiro livro de Erich Eichner, reunindo quatro contos inéditos, que carregam em si a mesma visão niilista e obscura de suas letras e poesias mais marcantes. É a estreia na literatura do artista que ganhou projeção como vocalista da banda Maldita, onde compôs mais de 100 músicas, gravou seis álbuns, abriu os shows do Marilyn Manson no Brasil , se apresentou em 15 países e lança o primeiro

volume de uma proposta de trilogia que marca sua incursão no mercado literário unindo dois diferentes gêneros: a ficção e o terror.

Erich sempre foi um leitor ávido e sua paixão pelos livros de terror vem desde a infância quando comprou o seu primeiro livro e leu até o final uma antologia que tinha os clássicos  Frankenstein (Mary Shelley), Drácula (Bram Stoker) e O Médico e o Monstro (Robert Louis). Mas quando Clive Barker apareceu em sua vida com a franquia de Hellraiser, ali foi o estopim para o autor mergulhar de cabeça no universo sombrio do horror. “Passei a frequentar livrarias atrás de tudo que poderia encontrar”, relembra o autor. A partir dessas referências, Erich em cada conto Erich desenvolve personagens que foram inspirados em pessoas reais e transitam por ambientes com uma atmosfera musical.

Temas como transtornos afetivos, rejeição e sexualidade, que sempre foram abordados em suas letras com a banda, estão presentes no livro publicado pela Ilustre Editora.

Gestado durante o período da pandemia de Covid-19 o livro traz ideias perigosas que assolaram o mundo e ressalta uma forma muito pessoal de anarquismo ao refletir a fadiga moral e o esgotamento da esperança. Os contos “Vermelho”, “Aprendendo a Voar”, “O Brechó” e “A Infiltração” são genuínos em sua maneira de refletirem a incerteza destes tempos polarizados em que vivemos.

A cada página, Erich expõe sua admiração por gigantes da música como Leonard Cohen, David Bowie, The Doors e The Cure, que inspiram a trilha sonora dos personagens solitários engolfados pelo assombro de um mundo em ruptura, enquanto mestres do terror como os diretores Stephen King (“O Iluminado”); Dario Argento (“Inferno”); Gaspar Noé (“Climax”),Tobe Hooper (“Poltergeist”), Wes Craven (“A Hora do Pesadelo”) também exercem influência direta na escrita.

PEDAÇOS 

A convite de Cavi Borges, que já dirigiu videoclipes musicais de Erich, o curta-metragem “Pedaços”, de Erich Eichner e Pedro Punk, será exibido dentro da “Mostra 26 Anos Cavideo”, que acontece de 3 a 9 de agosto no Estação Net Rio. Tendo como locação lugares clássicos da Zona Sul, como a Praia de Ipanema e o Baixo Gávea, o filme produzido pelo Studio Contra foi feito com recursos próprios e finalizado em 2015. No papel principal, o elenco conta com o ator Carmo Dalla Vecchia, e a trilha sonora foi produzida por  Scott Puttesky, mais conhecido como Daisy Berkowitz, guitarrista de Marilyn Manson. SINOPSE | A história apresenta Ricardo (Carmo), artista plástico de sucesso que vê a vida pessoal entrar em crise após a morte de sua mulher. Incapaz de superar a perda, ele parte para a criação de uma instalação feita com corpos humanos.

Esta é uma noite imperdível para os amantes do horror e para todos aqueles que desejam embarcar em uma jornada cheia de arrepios proporcionada pela mente artística de Erich em seu primeiro livro.

SERVIÇO

  • Lançamento 
  • Livro Contos de Aduana | @contosdeaduana
  • Valor: R$30 no dia do evento
  • Data: Sábado dia 5 de agosto
  • Horário: 19h às 21h30
  • Exibição do Filme Pedaços” 
  • Horário: 21h na Mostra 26 Anos Cavideo
  • Estação NET Rio – Rua Voluntários da Pátria 35 | Botafogo | RJ
  • Entrada: R$14
  • Informações: 21. 2226-1986
  • Assessoria de Imprensa: Binômio Comunicação