Início » IAB aceita primeira transexual como membra permanente desde sua fundação em 1843

IAB aceita primeira transexual como membra permanente desde sua fundação em 1843

por Rafael Gomes
IAB aceita primeira transexual como membra permanente
Em cerimônia realizada nesta sexta-feira(18), no Plenário do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), no  Rio de Janeiro, durante o evento “políticas públicas e direitos LGBTQIA+” que também foi transmitido pelo  pelo Youtube, aconteceu a filiação da advogada transexual Maria Eduarda Aguiar. Ela é a primeira mulher trans aceita nos quadros da instituição de Direito mais antiga do país, que precedeu a Ordem dos Advogados do Brasil.

O Advogado Nélio Georgini, membro permanente da Comissão de Direitos Humanos do IAB levou ao conhecimento da presidente nacional Rita Cortez, e ao presidente da Comissão de Direitos Humanos do IAB, Carlos Alberto Schlesinger e o vice Marcos Luiz Oliveira de Souza a trajetória de sucesso da Dra. Maria Eduarda Aguiar, inclusive, participou no Supremo Tribunal Federal do processo que criminaliza a homofobia no Brasil.

Maria Eduarda Aguiar

Maria Eduarda Aguiar

“Eu acho extremamente importante, porque é uma instituição centenária. Que quando foi fundada, com todos aqueles homens daquelas época, na época não tínhamos mulheres advogadas, depois as mulheres cis foram entrando.E hoje o IAB se abre também para que uma mulher trans possa fazer parte do seu quadro. Que a gente possa gerar inclusão no meio jurídico com uma mulher trans dentro do IAB”, comemorou Maria Eduarda.

A advogada ainda ressalta que é um reconhecimento que as coisas estão mudando, estão melhorando. “Travestis e transexuais  têm uma imensa dificuldade de estar cursando ensino médio e ensino fundamental por conta da transfobia institucional, estrutural e social que a gente vive. Pela dificuldade de uma mulher trans de conseguir uma vaga no mercado de trabalho é grande, simplesmente trabalhar e exercer sua cidadania. Pela dificuldade que é para estar retificando seu nome civil”, completa.

Aguiar foi uma das advogadas que defendeu a criminalização da LGBTfobia no STF, seu ativismo e oratória diante dos Ministros do Supremo fez história.

“A batalha que a gente travou no STF, em 2018, pela retificação civil de pessoas trans. A batalha que a gente travou em 2019, pela criminalização da LGBTFobia. Então hoje para mim é um momento histórico, para mim é um momento que o IAB se encontra com ele mesmo. Que ele revê todas essas questões sociais e passa a cumprir, assim como a OAB, a função social de zelar pela Constituição, cumprindo a Constituição, incluindo todas as pessoas. Pois na Constituição temos uma gama de direitos fundamentais, inclusive o direito da não-discriminazação, o direito da inclusão, da dignidade da pessoa humana”, conclui.

A fala da nova membro do IAB, antes do evento e anúncio realizado na última sexta-feira(28), destaca a importância da inclusão.

“Então a IAB com esse evento, ele não promove apenas um evento, mas ele promove uma equidade na sociedade e dá um recado social que a cidadania trans veio para ficar e nós estaremos ocupando os espaços, para mostrar que nós, pessoas trans, somos capazes de estarmos onde quisermos e onde pudermos ficar, como qualquer cidadão nesse país. Nós temos direitos de estar nos espaços e estaremos ocupando para levarmos mais informações, para produzir realmente conhecimento acadêmico e científico, e para lutarmos por uma sociedade mais justa, mais igualitária  e mais fraterna para as pessoas trans” encerrou.

Confira a nota oficial do IAB

A presidente do Grupo Pela Vidda, Maria Eduarda Aguiar, assinou a ficha de filiação para se tornar a primeira advogada trans nos quadros do IAB. “Farei de tudo para representar bem a comunidade LGBTI+ no Instituto”, afirmou a advogada, nesta sexta-feira (18/2), no plenário histórico, onde foi realizado o evento híbrido sobre Mês da visibilidade trans – representatividade importa, transmitido pelo canal TVIAB no YouTube e aberto pela presidente nacional, Rita Cortez.

“São necessárias políticas públicas que atendam e protejam a diversidade sexual”, afirmou a presidente, que destacou a criação recente da Comissão de Direito e Políticas Públicas do IAB.
Saiba mais sobre o evento no site do IAB

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via