Início » O espetáculo “Renoir – A beleza permanece”, que estreia dia 7 de outubro no Teatro do Masp, reflete sobre talento, beleza, valores morais e a cultura do cancelamento no universo artístico

O espetáculo “Renoir – A beleza permanece”, que estreia dia 7 de outubro no Teatro do Masp, reflete sobre talento, beleza, valores morais e a cultura do cancelamento no universo artístico

por Sarah Santana
Fotos: Renato Mangolin

O espetáculo “Renoir – A beleza permanece”, que estreia dia 7 de outubro no Teatro do Masp, reflete sobre talento, beleza, valores morais e a cultura do cancelamento no universo artístico. A montagem tem curta temporada, até 16 de outubro, com sessões de quinta a sábado, às 20h, e aos domingos, às 18h. O espetáculo é apresentado pelo Ministério do Turismo com patrocínio da Lavoro Agro.

Com texto de Rogério Corrêa, direção de Isaac Bernat e idealização e produção de Jenny Mezencio, a peça é uma ficção inspirada na vida e na obra do Auguste Renoir (1841-1919), um dos mais importantes pintores do impressionismo francês.

Um dos principais integrantes do movimento impressionista, ao lado de Claude Monet e Edgar Degas, Renoir é autor de mais de 4 mil obras, que ficaram conhecidas pelo otimismo, pelas cores vibrantes, e pela celebração do prazer. Paradoxalmente à alegria de seus quadros, o artista enfrentou grandes obstáculos na carreira, como dificuldades financeiras e uma artrite progressiva nas últimas décadas de vida. Também sofreu críticas mais recentes por objetificar o corpo das mulheres e por atitudes machistas ao longo da vida. Em 2015, foi criado o movimento Renoir Sucks at Painting (Renoir Pinta Mal, em tradução livre), que pedia a retirada de pinturas do francês dos museus. “Além de contar a vida de Renoir, a peça discute a validade de se tentar compreender uma figura do passado. Através do grande mestre da pintura, exploramos a validade de se continuar a admirar a obra de um artista que tenha cometido atos moralmente condenáveis de acordo com nossos valores atuais”, explica o autor Rogério Corrêa, que escreveu o texto a partir de extensa pesquisa sobre o tema em livros e palestras.

Fotos: Renato Mangolin

A história começa com uma palestra da curadora de arte Lúcia Cohen, com o tema “Renoir, a beleza permanece?”. Ao conhecer Dereck Jameson, um ativista americano, líder do movimento “Renoir Não Sabe Pintar”, ela é convidada para um debate em uma emissora de rádio sensacionalista sobre a importância do pintor impressionista. Ao mesmo tempo, a personagem tem conversas imaginárias e questionadoras com o mestre da pintura. No elenco, estão Isio Ghelman (Renoir, Renoir Criança e radialista), Clara Santhana, que vive Lúcia, Lise Trehot (modelo e amante de Renoir) e Berthe Morrisot (pintora e amiga de Renoir) e Izak Dahora, que interpreta Dereck Jameson, o pai de Renoir, o chefe de Renoir criança e o pintor Basille.

A beleza de uma obra de arte é mesmo eterna? Ou pode ser definida pelo seu tempo? Como julgar um artista do passado com os valores do presente?

SERVIÇO:
Renoir _ A beleza permanece
Temporada: De 07 a 16 de outubro de 2022
Teatro do Masp – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand: Av. Paulista, 1.578 – São Paulo, SP.
Telefone: (11) 3149-5959
Dias e horários: de quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 18h.
Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada)
Lotação: 344 lugares.
Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos
Funcionamento da bilheteria: De terça a domingo, das 10h às 18h.
Vendas online: https://masp.byinti.com/#/event/renoir-a-beleza-permanece

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via