Início » Um banho de alma na peça Sorriso de Mãe

Um banho de alma na peça Sorriso de Mãe

por Waleria de Carvalho
Sorriso de Mãe

“Vá ao Teatro”. Por causa da pandemia da Covid -19 esse slogan deixou de ser seguido há quase dois anos. Voltar a sentar na plateia teve o gostinho de muita felicidade. Mais ainda:  Uma delícia se deparar com o ator Joelson Medeiros interpretando Cícero na peça “Sorriso de Mãe”, de autoria de Gabriel Chalita e direção de Fernando Philbert, no Teatro dos Quatro, no Shopping da Gávea.  Como o próprio personagem fala, o espetáculo é um “banho de alma”, daquele que todos precisamos em tempos sombrios como os atuais. De forma poética e muito emocionante, principalmente para quem já ficou órfão de mãe, e para aqueles que assim como eu tem a dádiva de ainda terem suas “velhinhas queridas” ao seu lado, a peça é um bálsamo para os corações dos filhos.

Afinal a relação mãe e filho (a) é de uma delicadeza profunda que invade nossas vidas desde o nascimento até a mais tenra idade. Ouvir as histórias que Cícero conta na peça é como se cada um de nós estivéssemos nos transportando para as lembranças que temos de nossas mães e das histórias, sejam alegres ou tristes, que tivemos o prazer de viver com elas.Todas as mães são iguais ou pelo menos parecidas no amar, no falar, repreender e ouvir, que é um grande ato de amor. Como diz Lucinha Araújo só as mães são felizes.   Palmas para o cenário, uma casa simples que tem as nuances de mãe e avó e nos remete à infância.

Gabriel Chalita afirma: “Nós somos seres do afeto. Precisamos de abraço. VNivemos um momento de fragilidade da humanidade, de muito ódio, de demonstração da loucura humana. O ser humano é caótico. Assim, ‘Sorriso de Mãe’, hoje, é muito mais atual do que quando escrevi. Vivemos uma época em que precisamos valorizar as pessoas que estão próximas, experimentar o amor nas diferenças, compreender o que é passageiro na vida e o que é essencial”, diz Gabriel Chalita, que perdeu sua mãe há dois anos.

Assim como Chalita, Fernando Philbert e Joelson Medeiros também viveram situações parecidas com a do protagonista: estiveram ao lado de suas mães em momentos difíceis de despedida.

A peça ficará em cartaz até 3 de abril de 2022, sextas e sábados, às 20h; e aos domingos, às 19h, cumprindo todos os protocolos de segurança. A cenografia é de Natália Lana, os figurinos de Tiago Ribeiro, a iluminação de Vilmar Olos, a trilha sonora de Maíra Freitas e a realização da Mesa2 Produções Artísticas.

TÉCNICA:
Autor: Gabriel Chalita
Direção: Fernando Philbert
Ator: Joelson Medeiros
Cenografia: Natália Lana
Figurino: Tiago Ribeiro
Iluminação: Vilmar Olos
Trilha sonora: Maíra Freitas
Programação visual: Victor Bittow
Costura: Ateliê das Meninas
Cenotécnico: André Salles
Costureira de cenário: Nice Tramontin
Produção executiva: Silvia Rezende
Direção de produção: Roberto Monteiro e Fernando Cardoso
Coordenadora Administrativa: Cenne Gots
Assessoria de imprensa: Mario Camelo
Fotos de divulgação: Nil Caniné
Realização: Mesa2 Produções Artísticas

SERVIÇO: 
SORRISO DE MÃE
Temporada: Até 3 de abril de 2022.
Horários: sexta e sábado, às 20h; e domingo, às 19h.
Local: Teatro dos Quatro
Endereço: Shopping da Gávea, 2 piso – Rua Marquês de São Vicente, 52, Gávea.
Duração: 60 minutos.
Bilheteria oficial: Teatro dos Quatro – De segunda a sábado, das 10h às 22h. Domingos, das 15h às 22h.
Telefone: (21) 2239-1095
Valores: R$60 (inteira) e R$30 (meia-entrada).
402 lugares. Livre.
Ingressos no link: https://bit.ly/3szm0Ff

Modernistas, espetáculo escrito e dirigido por Alexandra Golik, estreia dia 26 de março no Teatro Viradal

Modernistas

Modernistas – Foto de Natalia Angelieri

Dando continuidade à pesquisa sobre fatos históricos de nosso país, que iniciou com o espetáculo História do Brasil, em 2019, a Cia Viradalata estreia a peça Modernistas, sobre a Semana de Arte Moderna de 1922, com texto e direção de Alexandra Golik, no dia 26 de março de 2022 na sede da companhia, o Teatro Viradalata. O elenco é composto por Bebel Ribeiro, Diego Rodda, Joice Jane Teixeira, Marco Barretho e Rennata Airoldi.

A peça faz parte do projeto “Do Caos a Criação – um projeto artístico de sobrevivência”, contemplado pela 37ª Edição do Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo.

Na peça os cinco atores se revezam para dar vida a Anita Malfati, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Mario de Andrade e outros personagens tão importantes para a realização da Semana de Arte Moderna de 1922. Como um elemento de cena imprescindível, as projeções ajudam a apresentar tais personagens e suas obras, possibilitando ao público uma experiência enriquecedora e transformadora.

O cenário e o figurino são assinados por Paula de Paoli e apresenta as simbólicas escadas do Theatro Municipal. As projeções também compõem o cenário e ajudam a ilustrar fatos históricos e seus personagens, contextualizando o momento histórico com clareza de detalhes. A iluminação criada por Fernando Sagas ambienta a entrada e saída dos artistas, ressaltando suas visões de mundo.

Como forma de democratizar o acesso à arte e a cultura, 20% dos ingressos serão distribuídos para escolas e instituições, além da transmissão on-line do espetáculo, podendo ser acessado gratuitamente de qualquer lugar do Brasil e do mundo.

Ficha técnica: 
Texto e Direção: Alexandra Golik
Elenco: Bebel Ribeiro, Diego Rodda, Joice Jane Teixeira, Marco Barretho e Rennata Airoldi
Concepção de cenário: Paula de Paoli
Design Gráfico e Figurino: Paula de Paoli
Criação de Luz: Fernando Sagas
Trilha Incidental: Diego Rodda
Operador de som e vídeo: Danilo Dias
Operador de luz: Fernando Sagas
Produção: Cia Viradalata
Coordenação Projeto: Michelle Gabriel
Fotos: Natalia Angelieri
Assessoria de imprensa: Pombo Correio

Serviço:
Teatro Viradalata
Rua Apinajés, 1387 – Perdizes
De 26 de março a 08 de maio
Sábados 20h30 e domingos às 19h
Ingressos a venda pelo Sympla: R$ 40 e R$ 20

Oficinas Culturais oferecem formações gratuitas em teatro

Foto de Cristiano Prim

Foto de Cristiano Prim

Quem quiser aprender um ofício para gerar renda ou explorar áreas das artes cênicas já tem lugar certo. Em abril, as Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, e gerenciado pela Poiesis, irão promover diversas formações gratuitas em diferentes formatos (presencial, online e híbrido).

Para o público da Zona Norte, a Oficina Cultural Maestro Juan Serrano oferecerá oficinas de Ofício como Geração de Renda, além de formações dentro do Núcleo de Capacitação Artística para Mulheres. Ambos os projetos de economia criativa pretendem estimular o potencial artístico dos participantes para que desenvolvam seus próprios negócios. Confira os destaques nas artes:

Na Oficina Cultural Oswald de Andrade as atividades serão norteadas pelas artes cênicas. Na oficina online Histórias do Corpo, os participantes poderão estudar em quatro encontros sobre a imaginação como invenção de outros corpos e outros mundos; o comportamento e as políticas implícitas nos modos de performar; as relações entre corpo e territórios e as ancestralidades e a ecologia de saberes. As aulas ocorrem de 5 a 14 de abril, das 18h às 20h30. Inscrições até 31 de março.

Para os interessados em explorar a linguagem teatral, a Oficina de Confecção de Máscaras e Adereços Cênicos é a atividade certa. De 4 a 13 de abril, das 14h às 17h, os inscritos terão acesso às múltiplas técnicas para estimular a criação e a materiais para a criação de máscaras e adereços. Os participantes terão uma linguagem específica definida pela direção de arte do Projeto Didática da Encenação – “A Morta”, da Oficina Cultural, como fio condutor na confecção de adereços e máscaras. Inscrições até 31 de março.

As crianças também terão espaço na Juan Serrano. No dia 14 de abril será realizada a atividade presencial Contação de Histórias com Criação Artística. A atividade ocorre no mês em que se celebra o Dia Internacional do Livro Infantil (02/04), Dia Nacional do Livro Infantil (18/04) e o Dia Mundial do Livro (23/04). Desta forma, a Cia Contando com Encanto irá unir a literatura com a criação artística ao apresentar uma história para que o público crie livremente objetos baseados nela. Os materiais serão fornecidos gratuitamente no dia. É possível se inscrever até 11 de abril.

Outra oficina presencial em que vale a pena se inscrever é Teatro de Animação (Construção & Manipulação), que também ocorre a partir do projeto Didática da Encenação. A formação aborda o processo de construção e manipulação dos bonecos e objetos manipuláveis da montagem do texto teatral “A Morta” de Oswald de Andrade. Inscrições até 31 de março, sendo que as aulas vão de 4 a 14 de abril.

Com inscrições até 11 de abril, a atividade Mãos de Todos os Tempos – Laboratório de Criação Bolero de Ravel propõe aos participantes um mergulho no Bolero de Ravel para a criação de um experimento cênico que transforma um solo de dança numa peça para ser dançada em coletivo. Os encontros serão de 18 a 27 de abril, das 10h às 14h, na unidade.

Agenda especial

No dia 16 de abril, sábado, às 15h, a Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe o espetáculo Big Big Bang Boom! do Núcleo Arte e Ciência no Palco. A peça apresenta a história de duas partículas, Big e Bang, que encontram a menina Maria. Juntos, eles irão construir mini carros alegóricos dos momentos significativos da Astronomia. Texto, direção e cenografia são de Carlos Palma, enquanto a composição musical e preparação vocal são de Tato Fischer. A atividade é livre e sem necessidade de inscrição.

Para entrada nos prédios das Oficinas Culturais é obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra Covid-19, com duas doses ou dose única, de acordo com o decreto nº 60.989, da PMSP. Em razão do avanço da pandemia, algumas atividades podem ser alteradas ou canceladas. Antes de ir, entre em contato com a unidade. Para conferir a programação completa, acesse o site das Oficinas Culturais.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COM CRIAÇÃO ARTÍSTICA
Coordenação: Cia Contando com Encanto
14/4 – Quinta-feira
Turma da MANHÃ: das 8h30 às 10h30
Turma da TARDE: das 13h30 às 15h30
Faixa Etária: maiores de 7 anos
Inscrições: até 11/4 | Aqui.
Seleção: Por ordem de Inscrição
Vagas: 40 (Sendo 20 vagas em cada período) | Presencial na Oficina Cultural.
Local: Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo.

OC Oswald de Andrade

OFICINA ONLINE: HISTÓRIAS DO CORPO

Coordenação: Ivana Menna Barreto
5 a 14/4 – terças-feiras e quintas-feiras – das 18h às 20h30
Indicação: maiores de 16 anos
Inscrição: Até 31/03 | Aqui.
Vagas: 20
Plataforma: Zoom

MÃOS DE TODOS OS TEMPOS – LABORATÓRIO DE CRIAÇÃO BOLERO DE RAVEL
Coordenação: Mauricio Florez
18 a 27/4 – segundas, terças e quartas-feiras – das 10h às 14h
Apresentações dias 27 e 28/4 – quarta-feira e quinta-feira às 19h
Indicação: maiores de 18 anos
Inscrição: até 11/04 | Aqui.
Seleção: Análise de currículo
Vagas: 20

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

OFICINA DE CONFECÇÃO DE MÁSCARAS E ADEREÇOS CÊNICOS
Coordenação: Márcio Vinícius
4 a 13/4 – segundas, terças e quartas-feiras – das 14h às 17h
Indicação: maiores de 18 anos
Inscrições: Até 31/3 | Aqui.
Vagas: 15, sendo: 10 vagas para o público geral. 5 vagas para os participantes do elenco da peça.
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

OFICINA DE TEATRO DE ANIMAÇÃO (CONSTRUÇÃO & MANIPULAÇÃO)
Coordenação: Paulo Sokobauno
4 a 14/4 – das 14h às 17h, sendo:
1ª semana – segunda, quarta e sexta-feira
2ª semana – segunda, quarta e quinta-feira
Indicação: maiores de 18 anos
Inscrições: Até 31/3 | Aqui.
Seleção: Análise de currículo.
Vagas: 15, sendo: 10 vagas para o público geral. 5 vagas para os participantes do elenco da peça.
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP.

ESPETÁCULO: BIG BIG BANG BOOM!
Núcleo Arte e Ciência no Palco
16/4 – Sábado – 15h às 16h
Público: Interessados em geral.
Classificação: Livre
Duração do espetáculo: 60 minutos.
Local da apresentação: Área de convivência da OCOA.
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano
Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo
Telefone: (11) 3994-3362 | Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.
Para visitar a Oficina, agende antecipadamente pelo WhatsApp (11) 3971-3640.
No site Oficinas Culturais, o público encontra informações sobre as medidas sanitárias para combater a proliferação de Covid-19;
Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes e barras de segurança no sanitário
Programação gratuita. Para conferir a programação completa acesse o site do programa Oficinas Culturais.
Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3222-2662 | Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira das 10h às 21h00, aos sábados das 11h às 18h.

Grupos artísticos que precisam ocupar espaços para ensaios devem agendar antecipadamente por e-mail informado no site da Oficina. No site Oficinas Culturais, o público encontra informações sobre as medidas sanitárias para combater a proliferação de Covid-19;
Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes.

Produção do espetáculo Maria Thereza e Dener recebe convidados para debater sobre o Golpe de 1964

Maria Thereza e Dener

Maria Thereza e Dener (foto: Priscila Prade)

No dia 31 de março, quinta-feira, elenco e direção do espetáculo Maria Thereza e Dener, que está em cartaz no Teatro Eva Herz, recebe convidados para um bate-papo sobre a data que marca o Golpe Militar de 1964. A jornalista Mônica Dallari, a cineasta Susanna Lira, o vereador Eduardo Suplicy e o filósofo, poeta, escritor e presidente do Instituto João Goulart e presidente do PCdoB-DF João Vicente Goulart vão conversar sobre o tema O que o golpe mudou em NOSSAS vidas? com mediação do jornalista Don Ernesto. O debate acontece após a sessão.

O espetáculo Maria Thereza e Dener trata sobre a trajetória da célebre primeira-dama Maria Thereza Goulart, esposa do ex-presidente João Goulart (1919-1976), e sua amizade com o famoso estilista Dener Pamplona de Abreu. Dirigida por Ricardo Grasson, com idealização da atriz Angela Dippe, que divide a cena com Thiago Carreira, a adaptação teatral de José Eduardo Vendramini é livremente inspirada no livro de Wagner William Uma Mulher Vestida De Silêncio – A Biografia De Maria Thereza Goulart (Editora Record, 2019). As apresentações acontecem às quartas e quintas-feiras, às 20h, até 28 de abril.

O jornalista Wagner William conseguiu reunir relatos inéditos sobre a vida pessoal da primeira-dama a partir do acesso ao diário dela e de uma longa série de entrevistas feitas em 11 anos com a biografada e centenas de familiares, antigos funcionários, amigos e inimigos políticos. Esses fatos pessoais se misturam ao nefasto cenário político estabelecido no Brasil durante a época da Ditadura Civil-Militar (1964-1985), acompanhado por Maria Thereza durante o exílio da família no Uruguai.

“A maneira como o Wagner conta essa história é muito leve e envolvente. O fato de ser uma biografia feminina também me chamou muita atenção. A ideia de um recorte ficcional juntando Maria thereza e Dener me pareceu uma maneira interessante de colocar esta história no palco e falar de moda, imprensa, fofocas, amizade e saudade, tendo como fundo esse momento histórico tão dramático”, conta a atriz Angela Dippe, sobre como teve a ideia de levar a obra para o palco.

A Trama 
A bela e sincera amizade entre Maria Thereza e Dener é usada em cena como um artifício para que o público possa revisitar
historicamente a política brasileira desse período turbulento e pensar em suas consequências para o país até hoje.

A jovem esposa do presidente João Goulart precisa de um costureiro-estilista de grande nível. E ele, atrevido, logo se oferece para o cargo. Além de costureiro particular, Dener se torna conselheiro e preparador de Maria Thereza para a vida social obrigatória e digna da jovem primeira-dama mais bonita do mundo, frequentemente comparada a Jacqueline Kennedy.

Ao longo dos anos, Maria Thereza revela grandes mudanças: de jovem despreparada para a vida política brasileira a esposa participativa e influente do presidente João Goulart, que está em vias de ser deposto e vê a renúncia como a única forma para não haver tumulto, violência, guerra civil e derramamento de sangue no país.

“Ao colocar dois atores em cena, pretendi não só fazer alguma síntese possível daquele extenso período, como também elogiar a lealdade e a amizade entre duas figuras ímpares da história do nosso país. Ela, nossa primeira-dama mais bonita, que evoluiu da ingenuidade própria da juventude para o duro amadurecimento trazido pelo longo exílio; ele, talentosíssimo criador da moda brasileira, grande nome nacional e internacional, consumido precocemente por seu enorme brilho pessoal”, revela o autor José Eduardo Vendramini.

Ainda de acordo com o dramaturgo, a peça também trata de temas como “a amizade incondicional, a lealdade entre pessoas afins, a peculiaridade da política nacional e latino-americana na década de 1960, da qual ainda somos herdeiros”.

“Trazer para os palcos a história de Maria Thereza e Dener não é só narrar um lindo e marcante encontro, entre a ex-primeira-dama do Brasil e seu estilista, mas sim, contar a profunda e verdadeira amizade que havia entre os dois. Por meio de um recorte cênico, um estúdio/atelier moderno e arrojado, dois atores que se encontram para dar vida a estes personagens, recriaremos através dos objetos, dos figurinos, da iluminação e sonoplastia, a atmosfera dos anos 60”, acrescenta o diretor Ricardo Grasson sobre a encenação.

Ficha Técnica: 

Texto: José Eduardo Vendramini. Livremente inspirado no livro “Uma Mulher Vestida de Silêncio”, de Wagner William.
Direção: Ricardo Grasson. Com Angela Dippe e Thiago Carreira. Cenografia: Ricardo Grasson. Desenho de Som: Chuck Hipolitho e Thiago Guerra. Desenho de luz: Gabriele Souza. Figurinos e adereços: Rosângela Ribeiro. Visagismo: Dicko Lorenzo. Assistente de Direção: Heitor Garcia. Buckup. Maquiagem e Camarim: Edgar Cardoso Comunicação Visual: Lucas Sancho. Cenotécnico: Rafael Boese. Produção: NOSSO Cultural e Maria Flores Produções Culturais. Direção de produção: Ricardo Grasson. Produção Executiva: Heitor Garcia e Carol Centeno. Assistente de produção: Bruno Fidalgo. Operação de Som: Chuck Hipolitho. Operação de Luz: Jorge Leal. Assessoria de Imprensa: Adriana Balsanelli. Fotos: Priscila Prade. Idealização: Angela Dippe.

Serviço:

Bate-papo O que o golpe mudou em NOSSAS vidas?

Com Mônica Dallari, Susanna Lira, Eduardo Suplicy e João Vicente Goulart.
Mediação Don Ernesto.
Horário: 21h15 (após a sessão do espetáculo).
Ingresso: grátis.
Espetáculo MARIA THEREZA E DENER

Temporada: Quartas e quintas, às 20h. Até 28 de abril.
Classificação: 12 anos.
Duração: 70 minutos.
Ingressos: R$50 e R$25.
Vendas Sympla.com.br

Teatro Eva Herz – Livraria Cultura do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073, Cerqueira César, 168 lugares.
Bilheteria aberta somente nos dias de espetáculo, duas horas antes da atração.

Artigos relacionados

1 comentário

Deixe um comentário

Share via