Festival no Teatro Cesgranrio destaca a diversidade nas artes

Data:

O Presença Festival está de volta para a terceira edição oficial e traz uma explosão de cultura, música e representatividade para a cidade do Rio de Janeiro. Conhecido pela pluralidade nas artes e cultura, o festival reafirma o compromisso com a diversidade, destacando a potência da comunidade LGBTQIAPN+ e promovendo a inclusão e a igualdade em todas as formas artísticas

Para a abertura oficial do evento, a partir do dia 28 de maio, será realizada uma Mostra de Teatro, apresentada pela Shell e totalmente gratuita, que reúne no Teatro Cesgranrio (RJ), três espetáculos premiadíssimos e importantes para a cena cultural brasileira, com atores e diretores renomados, que trazem olhar diferenciado para temas como inclusão e diversidade. O primeiro deles é “Angu”, que aborda histórias vivenciadas por pessoas negras gays – ou “bixas pretas”, buscando subverter o olhar social fetichista que as objetifica, criminaliza e hiperssexualiza, em meio à celebração da vida. A autoria é do escritor Rodrigo França, que também assume a direção da peça, indicada duas vezes ao 34º Prêmio Shell de Teatro.
 A ideia do espetáculo nasceu da vontade de falar sobre liberdade e sobre as pessoas que só desejam ser felizes, mas são impedidas porque a busca dessa felicidade tem a ver com liberdade de ser o que se é. No elenco, Alexandre Paz e João Mabial se revezam em personagens diversos, como um sargento da Polícia Militar que honra a sua farda, mas tem a sua sexualidade como alvo de piadas; um jovem estudante de enfermagem que se deslumbra com a classe média branca e deseja ser por ela incluído; o sonhador que se envolve numa tarde de amor; o menino encantado com o que dizem do seu tio Gilberto, um homem negro gay que desapareceu no mundo para fazer a sua arte longe da família homofóbica; e Madame Satã,transformista que teve que largar a arte para viver à margem como malandro da Lapa. Também faz uma homenagem ao Les Étoiles, icônica dupla queer negra brasileira que abriu as portas da Europa para a MPB.

“Retratamos pessoas que só desejam ser o que realmente são. Mesmo ficcionais, são vidas expostas colocando as nuances e subjetividades necessárias, para buscar a humanidade. Que Angu nos alimente de reflexões e nos fortaleça de axé”, afirma Rodrigo França, que atualmente participa do programa Sem Censura, da TV Cultura, e dirigiu a série Humor Negro, transmitida na Globoplay e no Multishow.

Angu estará em cartaz na Mostra de Teatro do Presença Festival 2024 nos dias 28 e 29 de maio, às 20h

A segunda peça de destaque no evento é “Meu Corpo Está Aqui”, que parte das experiências pessoais de quatro atrizes e atores PCDs (pessoas com deficiência) para abordar suas descobertas afetivas e sexuais e os obstáculos encontrados nesta jornada. Em cena, o elenco, formado por Bruno Ramos, Haonê Thinar, Juliana Caldas e Pedro Fernandes, fala abertamente sobre relacionamentos, corpos e desejos por meio de depoimentos ficcionalizados pelas artistas cariocas Julia Spadaccini, autora e idealizadora do projeto e também pessoa com deficiência auditiva, e Clara Kutner, que assume a função de diretora. Questionando com ironia e lirismo concepções culturais e históricas a respeito do que é considerado “normal”, o espetáculo celebra estes corpos invisibilizados socialmente e aprofunda as reflexões sobre suas subjetividades.

“Ser uma autora PCD e estar num projeto onde todos em cena também são, é uma vivência de vasta inclusão . Precisamos de PCDs protagonizando filmes, peças, programas de TV e não com a invisibilidade que acomete o corpo com deficiência, seus desejos, amores e sexualidade”, ressalta Julia. “Queremos levantar questões e embaralhar a lógica da eficiência. Para mim, é uma peça desejo-manifesto onde os atores se misturam, se embolam, celebram seus corpos, com algumas histórias tristes, uma dose alta de ironia e muitas perguntas que não temos como responder”, completa Clara, que também já atuou na direção de novelas como Um Lugar ao Sol, da TV Globo.

Meu Corpo está aqui estará em cartaz na Mostra de Teatro do Presença Festival 2024 nos dias 30 e 31 de maio, às 20h.

E, para encerrar o evento, um espetáculo teatral interativo, importantíssimo para a cena cultural carioca, “Dos Nossos para os Nossos”, que resgata e valoriza a identidade da cultura preta brasileira e sua ancestralidade. O trabalho nasceu a partir da esquete teatral de mesmo nome criada pelos artistas e idealizadores do projeto, Êlme e Patrick Congo, que trabalham como atores da peça, ao lado de Leandro Guedes, Leona Kalí, Rafael Rougues e Standin Vanu Rodrigues. Ao ressaltar a cultura preta, a peça também faz referência a grandes personalidades da história. A partir de um jogo cênico com projeções, clipes, músicas e coreografias, o espetáculo se apresenta também como um manifesto antirracista que conta a história desses corpos ancestrais, na figura de dois reis, que questionam sua civilização atual e suas mazelas. “Queremos que as pessoas saiam enaltecidas e empretecidas. Sim, empretecer é preciso. O Brasil é preto”, ressalta o diretor Tiago Ribeiro.

Dos Nossos para os Nossos estará em cartaz na Mostra de Teatro do Presença Festival no dia 01 de junho às 19h e 02 de junho às 18h.

“O Presença cresceu, o festival amadureceu e trouxemos nesta edição um olhar especial de valorização para as sonoridades brasileiras. São artistas que fazem parte da comunidade LGBTQIAPN+ ou que são comprometidas com a nossa causa. O festival cada vez mais valoriza essas camadas que a diversidade tem e o debate é interseccional, com o objetivo dar visibilidade e reconhecimento a mulheres, pessoas da comunidade LGBTQIAPN+, pessoas pretas, PcDs (Pessoas com Deficiências) ou de povos originários através da arte e cultura”, afirma o publicitário e produtor cultural José Menna Barreto, idealizador, diretor artístico e curador do evento.
  ‎ ‌ 
O Presença Festival 2024 é apresentado pelo Ministério da Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Shell. Patrocínio Master: Shell. Patrocínio: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Apoio: Deloitte e ARX Investimentos. Apoio institucional: Centro de Movimento Deborah Colker e Teatro Cesgranrio. Produção: Araucária Agência Cultural. Realização: Maria Angélica Produções, Ministério da Cultura e Governo Federal.

“Um dos pilares para escolha de nossos patrocínios culturais é o projeto englobar diversidade, equidade e inclusão como atributos centrais nas suas ações. O Presença Festival cria espaços de visibilidade para artistas que compõe grupos minoritários, estando alinhados com um dos compromissos da companhia com a sociedade: o de promover um futuro melhor através da arte, acreditando, assim como a Shell, na força da cultura como vetor transformador de realidades”, comenta Alexandra Siqueira, Gerente de Comunicação Externa da Shell Brasil.

A programação da Mostra de Teatro do Presença Festival 2024 começa no dia 28 de maio e vai até o dia 02 de junho, no Teatro Cesgranrio. A entrada será gratuita e os ingressos deverão ser retirados em www. presencafestival.com.br ou na bilheteria do teatro uma hora antes do início de cada apresentação.

Serviço: Mostra de teatro do Presença Festival 2024
Local: Teatro Cesgranrio (Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido)
 Dias 28 e 29 de maio – 20h – Espetáculo “Angu”
Dias 30 e 31 de maio – 20h – Espetáculo “Meu Corpo Está Aqui”
Dia 01 de junho – 19h – Espetáculo “Dos Nossos para os Nossos”
Dia 02 de junho – 18h – Espetáculo “Dos Nossos para os Nossos”

Clayton Nascimento apresenta o aclamado espetáculo “Macacos” gratuitamente no Parque de Ideias

Essa é a última chance de conferir a peça no Rio, que terá duas apresentações na Biblioteca Parque Estadual antes de sair em turnê mundial

Macacos
Macacos – Foto de Julieta Bacchin/Divulgação

O Parque de Ideias, projeto idealizado pelo documentarista  Marcio Debellian (“Fevereiros”), encerra esta temporada com uma série de atrações e atividades culturais gratuitas até 24 de maio, na Biblioteca Parque Estadual do Rio de Janeiro. Marcio Debellian traz duas apresentações da premiada peça “Macacos”, de Clayton Nascimento. Sucesso de público e crítica, o monólogo terá duas apresentações nos dias 21 e 22 de maio, às 17h, no teatro, com capacidade para 195 pessoas. Essa será a última oportunidade de assistir ao espetáculo, que sairá em turnê mundial após as sessões no Rio. O ator e diretor também é o convidado do painel Ilustre Leitor, no dia 20 de maio, às 18h, para falar sobre os dez livros fundamentais em sua formação, sobre sua vida e a criação do espetáculo. 

Com 2.500 ingressos para a temporada no Rio de Janeiro esgotados em 36 horas e vencedora dos prêmios Shell 2023 e da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), ‘Macacos’ é  escrita, dirigida e interpretada por Clayton e faz uma reflexão sobre o racismo estrutural, o genocídio negro e preconceitos mascarados presentes desde o Brasil colônia (1500) até hoje. O espetáculo ganhou elogios de atrizes como Fernanda Montenegro, Marieta Severo, Regina Casé e Lilia Cabral. Os ingressos poderão ser retirados via Sympla ou 1 hora antes do evento, assim como sua participação no “Ilustre Leitor”. 

“Sempre buscamos montar uma programação que continue reverberando após os eventos. Por isso, chamamos Clayton não apenas para fazer a peça “Macacos”, mas também para indicar 10 livros que influenciaram sua criação e que podem servir de referência e inspiração para o público. Por essa razão, também convidamos a Dra. Clea Ferreira para dialogar com educadores e pensar em práticas antirracistas em sala de aula a partir da peça. A biblioteca é um espaço que permite esse tipo de integração entre as atividades e a busca por um efeito multiplicador.”, diz Marcio Debellian.

A professora baiana Cléa Ferreira dialoga com educadores sobre como recursos pedagógicos podem ajudá-los de forma prática a trabalharem diversas obras artísticas com crianças e jovens,  em referência a ‘Macacos’.  A oficina “Por um novo sentir-pensar-fazer as relações raciais na escola” acontecerá nos dias 21 e 22 de maio, das 14h às 16h30. Cléa Ferreira é doutora em educação pela PUC-Rio e mestre em educação pela USP com foco na formação de professores e relações étnico-raciais. Hoje, atua como consultora e formadora em organizações públicas, privadas e do terceiro setor. Os ingressos poderão ser retirados via Sympla ou 1 hora antes do evento. 

Além disso, o projeto continua no propósito de ampliar cursos gratuitos para diversos públicos e oferece o programa Decola Jovem: Mulheres Empreendedoras, em parceria com o Instituto BAT Brasil e Besouro Agência de Fomento Social. De 20 a 24 de maio, de 14h às 17h. No curso, mulheres a partir de 18 anos e que têm vontade de tirar seu sonho de negócio do papel, serão capacitadas e têm a chance de receber uma logomarca personalizada para o seu negócio, o certificado de capacitação e um acompanhamento especializado por meio de consultoria on-line durante 3 meses. As inscrições serão abertas em breve aqui

A atriz e diretora teatral Ana Kfouri retorna ao Parque de Ideias nos dias  20, 22 e 24 de maio, das 10h às 14h, com a oficina Atuação para o audiovisual. Além de comandar um bate-papo sobre o curta-metragem “Devaneios”, produzido por alunos do projeto no dia 24, às 14h. As inscrições de ambas serão abertas em breve aqui.

A aula magna de roteiro com o professor e roteirista Lucas Paraizo  teve ingressos esgotados em sua última participação no projeto e está de volta no dia 21 de maio, das 14h às 17h.  Os ingressos poderão ser retirados via Sympla ou 1 hora antes do evento. 

Sobre o Parque de Ideias

O Parque de Ideias é idealizado pelo documentarista Marcio Debellian (“Fevereiros”) e tem como objetivo levar programação cultural e educativa às bibliotecas públicas da cidade. Os eventos incluem shows, cursos em parceria com a PUC-Rio, oficinas literárias, exibições de filmes, palestras e encontros com artistas e criadores.

Nos últimos meses, o projeto recebeu artistas como Adriana Calcanhotto, Gilberto Gil, Lenine, Zélia Duncan, Elisa Lucinda, Gregório Duvivier, Conceição Evaristo e ofereceu mais de 500 horas de aula em cursos e oficinas, criando um público cativo e interessado na programação. Mais de 7.800 pessoas participaram de todas as atividades oferecidas pelo Parque de Ideias entre 2022 e 2023.

O Parque de Ideias é uma realização da Debê Produções com patrocínio do Instituto BAT Brasil e apoio institucional da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO – OFICINAS DO PARQUE DE IDEIAS

PRO-GRA-MIX: FORMAÇÃO EM TÉCNICO DE SOM

  • 13, 14, 15, 16, 20, 21, 22 e 23 de maio, das 9h às 13h
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

ATUAÇÃO PARA O AUDIOVISUAL COM ANA KFOURI

  • 20, 22 e 24 de maio, das 10h às 14h
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

POR UM NOVO SENTIR-PENSAR-FAZER AS RELAÇÕES RACIAIS NA ESCOLA COM CLÉA FERREIRA

  • 21 e 22 de maio, das 14h às 16h30
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

BATE-PAPO ILUSTRE LEITOR – CLAYTON NASCIMENTO

  • 20 de maio, às 18h
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Faixa-etária: 18 anos
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

CURSO DECOLA JOVEM – MULHERES EMPREENDEDORAS

  • 20, 21 , 22, 23 e 24 de maio, das 14h às 17h
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Faixa-etária: 18 anos
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

AULA MAGNA – ROTEIRO – LUCAS PARAIZO

  • 21 de maio, das 14h às 17h
  • Local: Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Faixa-etária: 18 anos
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

TEATRO – ‘MACACOS’

  • 21 e 22 de maio, às 17h
  • Teatro: Alcione Araújo – Biblioteca Parque Estadual – Av. Pres. Vargas, 1261, Centro
  • Capacidade: 195 pessoas
  • Faixa-etária: 18 anos
  • Ingressos: Grátis. Para participar é necessário preencher o formulário.

Os prazeres de Heitor, o mestre sala da Pequena África

Espetáculo com a Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades

Heitor dos Prazeres
Heitor dos Prazeres – foto: Mauricio Hora

O espetáculo inédito “OS PRAZERES DE HEITOR, o mestre sala da Pequena África” apresenta ao público um importante nome da cultura popular brasileira: Heitor dos Prazeres (1898-1966), cantor, compositor, instrumentista e pintor brasileiro que viveu na zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, então capital federal. O espetáculo acontece na Praça da Harmonia, sede de Arte Pública Carioca, no dia 25 de maio às 17hs. Neste Teatro Musicado o elenco é formado pelos artistas brincantes sobre pernas de pau e músicos da Grande Companhia Brasileira de Mystérios e Novidades.

Nascido na Cidade Nova cunhou o nome “África em miniatura” para designar o território da Praça XI à Pedra do Sal. Frequentador assíduo da Casa de Tia Ciata conviveu com Donga, João da Baiana, Pixinguinha, Sinhô, Paulo da Portela entre outros. Era um bamba no meio dos bambas.     

A partir do desfile dos “Pândegos da África”, como nos carnavais, suas músicas e parceiros – João da Baiana, Tia Ciata, Donga, Caninha, Pixinguinha são trazidas entre cenas e textos que marcam este multiartista e exaltam a rua, o lugar do povo. “Este povo que sou eu, O homem do povo”.

FICHA TÉCNICA

  • Dramaturgia e direção: Ligia Veiga
  • Preparação Corporal: Marilia Felippe
  • Figurino: Caetana Dias
  • Assistente geral: Milla Costa
  • Registros: Rafael Rodrigues
  • Realização e Produção: Cia de Mystérios

Elenco:

  • Tia Ciata – Caetana Dias
  • Heitor dos Prazeres – Heglan Moura
  • João da Baiana – Pedro Lima (voz e pandeiro
  • Donga – Dicoklen Brito
  • Tia Carmen de Xibuca – Verônica Gomes
  • Caninha – Carlos Santo
  • Pierre Verger – Thiagô Queiroz (sax e flauta)
  • Chiquinha Gonzaga – Lelena Anhaia (voz, violão e banjo)

E as pastoras de Heitor:

  • Renata Neves (voz e violino)
  • Negadezza (voz e percussões)
  • Marilia Felippe (voz)
  • Cris Cotrim (voz e cavaquinho)
  • João do Rio (narrador) – Ligia Veiga

Galpão Cine Horto abre editar para o Festival Cenas Curtas

Em 2024, o Cenas Curtas completa 25 anos; desde então, já apresentou mais de 450 trabalhos com a presença de milhares de artistas e coletivos de teatro de todo o Brasil 

Rota de fuga
Rota de fuga

O Galpão Cine Horto abre inscrições para o tradicional Festival Cenas Curtas, que este ano completa 25 anos. O evento, realizado anualmente pelo Galpão Cine Horto, segue com o objetivo de fomentar e provocar a pesquisa de criação teatral, reunir artistas e proporcionar ao público acesso a uma diversidade maior de gêneros teatrais. Neste ano, o edital está dividido em três categorias: Cenas de Palco, Cenas de Rua e Rolês. O regulamento completo está divulgado no site do Galpão Cine Horto (https://galpaocinehorto.com.br/), e as inscrições podem ser feitas até o dia 14 de julho de 2024.

As cenas de palco são cenas de até 15 minutos de duração, que se apresentarão no Teatro Wanda Fernandes, em caráter competitivo. As cenas de rua, que retornam nesta edição comemorativa, são cenas de até 15 minutos de duração, a serem apresentadas ao ar livre nos arredores do Galpão Cine Horto, sem caráter competitivo. Já os Rolês, categoria que já se tornou tradicional dentro do Festival Cenas Curtas, apresenta a possibilidade de uma experimentação mais livre, fora das linhas do palco de teatro, e que expande para outras linguagens da arte, como as artes visuais, a música, a dança, a performance e a intervenção urbana. 

O resultado das cenas selecionadas será divulgado no dia 25 de julho de 2024, no site do Galpão Cine Horto. As participantes receberão cachê para integrar a mostra e, dentro da programação, também será realizada a mostra Cena Espetáculo, com premiação de R$ 10 mil, concedida por uma comissão de seleção do Festival, para que se transforme num espetáculo.

Para Chico Pelúcio, diretor do Galpão Cine Horto, “são 25 anos de história de um dos festivais de teatro que mais fomentou, apoiou e incentivou produções investigativas no sudeste do País. O Festival Cenas Curtas é o encontro teatral que mais forma grupos, incentiva novos espetáculos, acolhe a pesquisa e, por isso, é o que mais influencia e afeta positivamente o teatro da capital mineira”, reafirma.

O Galpão Cine Horto conta com apresentação da Cemig, patrocínio do Instituto Unimed-BH e apoio da Usiminas. A manutenção do centro cultural e de suas atividades é realizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Seleção das cenas 

Serão selecionados 22 trabalhos, nas categorias: 

– Cenas de Palco: 16 (dezesseis) cenas, a serem apresentadas com presença de público no Teatro Wanda Fernandes, nos moldes já tradicionais do Festival Cenas Curtas;

– Cenas de Rua: 3 (três) cenas, a serem apresentadas com presença de público em rua ou praça pública, dentro da programação do Festival Cenas Curtas;

– Rolês: 4 (quatro) rolês inéditos, a serem apresentados durante a programação do Festival em horários alternativos. Essa categoria traz a experimentação mais livre, fora das linhas do palco de teatro, e se expande para outras linguagens da arte, como as artes visuais, a música, a dança, a performance e a intervenção urbana na programação.

Sobre o Festival Curtas do Galpão Cine Horto

Desde o ano 2000, o Festival Cenas Curtas tem como missão estimular a criatividade, promover a reunião de artistas, descobrir novos talentos e proporcionar ao público ampla gama de linguagens teatrais. A seleção das cenas é realizada por membros do Grupo Galpão, do Galpão Cine Horto e por especialistas convidados, priorizando o trabalho de pesquisa e investigação teatral presente nas propostas.

Cada cena selecionada, com duração máxima de 15 minutos, recebe apoio para sua montagem. Durante os dias do Festival, o público presente tem a oportunidade de escolher as melhores cenas de cada noite, que serão novamente apresentadas durante a Temporada das Mais Votadas no Galpão Cine Horto. O Festival Cenas Curtas é reconhecido como eficiente polo de estímulo criativo para artistas de Belo Horizonte e de outros estados do Brasil.

Serviço:

Edital Festival Cenas Curtas do Galpão Cine Horto – 25 anos 

Inscrições até 14 de julho de 2024

Edital disponível em: galpaocinehorto.com.br 

Formulário de inscrição: https://forms.gle/5W4wr9Tkmi8VAb7SA

 

 

Últimas notícias

Leia também

Talvez você goste
Relacionada

Andreá Mantezuma apresenta o show “Mineirices”

Cantar e contar a história da música de Minas...

“Querido Evan Hansen” chega ao Brasil com temporadas no Rio de Janeiro e São Paulo

Colecionando fãs ao redor do mundo, o fenômeno “Querido Evan...

Heloisa Périssé em curta temporada no Theatro Municipal de Niterói

Heloisa Périssé faz uma curta temporada com a sua...
Compartilhe
Send this to a friend