Garota FM Books relança dois livros para homenagear Rita Lee em maio

Livros Rita Lee - Garota FM Books

Uma homenagem em dose dupla para Rita Lee chegará nas livrarias em maio, e a celebração acontecerá na quinta-feira, dia 09 de maio, a partir das 18h, no Sebo Baratos da Ribeiro (Rua Dezenove de Fevereiro, 90, Botafogo). Lá, uma festa para comemorar o legado de Rita Lee – no dia em que fará um ano de sua partida – vai marcar o relançamento do Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock, de Henrique Bartsch com prefácios de Pedro Alexandre Sanches (2006) e Mel Lisboa (2024), e do Discobiografia Mutante, de Chris Fuscaldo com texto de orelha assinado por Charles Gavin. No evento, além da presença da autora e diretora da Garota FM Books e das filhas de Henrique – Júlia e Bárbara Bartsch – haverá discotecagem só com músicas de Rita Lee comandada pela DJ Yasmin Lisboa.

Lançado pela Panda Books em 2006, Rita Lee Mora ao Lado – Uma Biografia Alucinada da Rainha do Rock não é visto nas lojas desde o falecimento de seu autor, em 2011. Henrique Bartsch não teve a chance de ver o sucesso da história quando ela foi adaptada para o musical “Rita Lee Mora ao Lado”, que estreou em 2014 com Mel Lisboa no papel de Rita. Engenheiro e músico de Ribeirão Preto (SP), “Bart” – como era chamado por Rita Lee – escreveu a biografia da cantora e compositora usando a ficção como recurso. A história da Rainha do Rock é narrada por Bárbara Farniente, uma vizinha invejosa. No texto que escreveu para a orelha do livro, Rita disse que, caso virasse filme, ela gostaria de interpretar Bárbara. Em sua “Autobiografia”, a cantora escreveu que Rita Lee Mora ao Lado é a sua melhor “biografia-lixo”. Coisas de Rita…

Bart deixou quatro filhos, uma guitarra e um baixo construídos por Cláudio César Dias Baptista (chamado “quarto Mutante” por ser quem criava os instrumentos usados pela banda de Rita Lee nos anos 60 e 70). Hoje os instrumentos estão com um de seus filhos, Caetano Bartsch, músico como ele. A reedição do livro é uma iniciativa de Bárbara Bartsch, filha caçula de Bart, que na pandemia descobriu as trocas de e-mails que o pai tinha com Chris Fuscaldo, na época jornalista e aspirante a biógrafa dos Mutantes.

“Bárbara encontrou um texto em que eu falava das trocas de e-mails que eu tinha com o pai dela e me procurou. Fiquei muito emocionada e achei que era um sinal, pois eu vivia falando que era uma pena esse livro ter sumido das lojas depois que Bart nos deixou”, conta Chris Fuscaldo, diretora da Garota FM Books.

No mesmo mês de maio, a editora também vai lançar a terceira edição do Discobiografia Mutante, livro de Chris Fuscaldo que deu origem à Garota FM Books, em 2018. Premiado em 2019 com o troféu Livros Musicais no Prêmio Profissionais da Música, Discobiografia Mutante estreou em versão bilíngue e foi lançado também nos Estados Unidos e vendido em vários países do mundo, até mesmo no Japão e na Rússia. Também esgotado e encontrado hoje apenas em marketplaces digitais – a um preço alto por estar sendo produzido sob demanda – esta edição chega às lojas apenas com textos em português, o que torna o livro mais acessível.

Ambos os projetos visam celebrar a vida e a obra de Rita Lee e chegam ao mercado dando oportunidade a quem não conseguiu comprá-los na época de seu lançamento.

O AUTOR

Henrique Bartsch era engenheiro civil, mas adotou a música como profissão desde os 15 anos. Tocou teclados e guitarra no grupo Nós, de Ribeirão Preto (SP), onde nasceu em 1951 e residiu com sua família até a sua morte. Foi compositor, publicou contos, artigos e textos culturais em diversas revistas e jornais de circulação nacional e em livros independentes. Colaborou com Carlos Calado na feitura do livro A Divina Comédia dos Mutantes (1996), em que tem narrado seu primeiro encontro com o grupo, quando comprou a famosa Guitarra de Ouro, que aprece nas capas do discos Mutantes (1969) e Tropicália ou Panis Et Circencis (1968). Essa história também foi citada no livro Discobiografia Mutante (2018), de Chris Fuscaldo, com quem trocou muitas histórias sobre Rita e Mutantes por e-mail.

Com a palavra, Rita Lee, no capítulo “Bioficção” de Uma Autobiografia:

“No auge do boom da internet, recebo um e-mail engraçado e muito bem escrito de um cara de Ribeirão Preto, Henrique Bartsch, se apresentando como fã-viúvo dos Mutas que passou a dar valor à minha carreira solo. Papo vai, papo vem, Bart, como eu o chamava, perguntou se poderia escrever uma biografia-ficção minha misturando fatos reais com o mundo de sua fantasia. Como nunca proibi biografias (salvo uma cujo português era tipo “nós vai nós vem”), dei carta branca. Meses depois, recebi uma cópia, adorei e carimbei meu aval no livro Rita Lee mora ao lado. Bart não viveu para ver seu livro virar uma peça de teatro em 2014 com sucesso de público, com Mel Lisboa interpretando a rita lee melhor do que ela mesma, só que bem mais bonita. (…) Sei que nenhum dos ex-membros dos Mamutes considera tal livro merecedor de crédito, portanto o escolho como nossa melhor biografia-lixo”.

SERVIÇO

  • Festa para Rita Lee, com lançamento dos livros:
  • “Rita Lee Mora ao Lado – Uma biografia alucinada da Rainha do Rock”
  • “Discobiografia Mutante”
  • Quinta-feira, 09 de maio
  • Das 18h às 21h
  • Sebo Baratos da Ribeiro (Rua Dezenove de Fevereiro, 90, Botafogo  / RJ)
  • Entrada gratuita

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui