Início » “Impossível” Festival Multiplicidade 2022 chega à sua 17ª edição com atrações virtuais e presenciais no Oi Futuro

“Impossível” Festival Multiplicidade 2022 chega à sua 17ª edição com atrações virtuais e presenciais no Oi Futuro

Evento fica em cartaz de fevereiro a abril de 2022, no Oi Futuro, do Rio de Janeiro, trazendo instalações, residências artísticas, debates, videomapping e performances de artistas nacionais e internacionais

por Redação
Maotik

A pandemia suspendeu a realidade e devastou o normal. Deixamos de viver fora e passamos a viver dentro. Depois de quase dois anos de sonhos represados, em sua 17ª edição, o “Impossível” Festival Multiplicidade 2022 retoma as atividades presenciais, sem deixar de lado as experiências remotas. Transitando entre esses dois formatos, o festival apresenta uma programação que abraça instalações, residências artísticas, debates, videomapping e performances, sempre no cruzamento entre tecnologia e múltiplas linguagens artísticas, afeto e técnicas, sons e imagens inusitados. O destaque vai para o artista francês Maotik (Mathieu Le Sourd), um dos grandes nomes das instalações de arte digital, que vai apresentar sua obra interativa “Bloom”, a partir de 16 de fevereiro.

A pré-estreia do Festival Multiplicidade 2022_ANO 17 foi celebrada em 2-2-22, dia de Iemanjá, com “Aruanda”, uma celebração da cultura afro-brasileira conduzida por Pais, Mães e Filhos de Santo de Umbanda e Candomblé com tambores e cantos da Casa de Candomblé Onixêgun, uma geração da Casa de Jongo da Serrinha e convidados, entre eles, Luiz Ângelo da Silva, o Ogan Bangbala, de 102 anos. Mais antigo Ogan do Brasil, ele recebeu, em 2014, em cerimônia em Brasília, o título de Comendador, honraria da Ordem do Mérito Cultural. Bangbala contraiu Covid em 2020, teve 50% de um dos pulmões comprometidos, mas sobreviveu à doença. Ano passado, ele, que é natural de Salvador, foi vacinado na Baixada Fluminense, onde mora há mais de 70 anos.

“A cerimônia foi uma forma de purificar e abrir os caminhos para as atividades dessa edição, após todas as agruras causadas pela pandemia e na esperança de dias melhores. Um Salve a Cultura e um Salve a Iemanjá.”, revela Batman Zavareze, idealizador e co-curador do evento ao lado de Carlos Albuquerque, Nado Leal e Nico Espinoza. Além de uma celebração ao Oi Futuro, espaço vital para a cultura nacional, o evento também foi uma forma de homenagear Roberto Guimarães, Gerente Executivo de Cultura da instituição, que faleceu em 2021.

A programação oficial  começa com a instalação “Bloom”, de Maotik, que vai ocupar a galeria do quarto andar do Oi Futuro, entre os dias 16 de fevereiro até o fim do evento, em 03 de abril.  A obra interativa, que reage ao movimento e aos gestos do público criando imagens plasticamente impactantes, já rodou diversos países do mundo, como França, Suíça e Itália e Egito, e chega ao Brasil pela primeira vez. Construída como uma arquitetura visual e sonora, a instalação tem um alto processo de criação aleatória de forma que cada interação com Bloom é única e inimitável.

A partir de março, o Festival Multiplicidade 2022_ANO 17 vai abrigar o projeto Amplify DAI (Digital Arts Initiative), uma iniciativa do British Council e Oi Futuro, visando as trocas culturais, através de residências entre artistas identificadas como mulheres de várias nacionalidades, em parceria com o MUTEK (Canadá), Arte Lab (Argentina) e SomersetHouse (Reino Unido), e com os festivais brasileiros, Novas Frequências e Amazônia Mapping selecionados juntos ao Multiplicidade. O projeto, que chega ao Brasil pela primeira vez, vai ter o Multiplicidade como um dos parceiros, promovendo as residências artísticas entre duas duplas escolhidas pelo festival:  a artista visual Heather Lander (Reino Unido); a artista sonora Erika Alves (BR); a artista sonora Robin Buckley ou rkss (Reino Unido); e a artista visual VJ Grazzi (BR).

A obra audiovisual inédita resultante desses encontros vai ser exibida virtualmente e replicada no Oi Futuro, junto à apresentação dos resultados das outras parcerias do projeto Amplify DAI. O momento final conta também com um debate sobre o papel feminino na (re)criação artística em um mundo pós pandêmico, com diversas convidadas, entre artistas, produtoras, técnicas e curadoras. O evento será sonorizado pela DJ e produtora Marta Supernova.

Em mais uma cooperação com o Instituto Cultural da Dinamarca, o festival traz a obra audiovisual inédita, “Unite”, do músico dinamarquês Rumpistol. Acompanhado do seu quarteto e do artista visual Marius Nielsen, com sua sonoridade pastoral e seus hipnóticos visuais, Rumpistol propõe um momento de pausa e reflexão sobre a condição humana, após o próprio ter sofrido um “burnout”. O artista, que já tem uma relação afetiva com o festival desde 2015, com emblemáticas passagens no planetário e Parque Lage, passou por um esgotamento mental, que o forçou a ficar em casa em 2019. Quando finalmente se recuperou e preparava-se para lançar o álbum “After the flood”, Rumpistol encontrou o mundo em isolamento por conta da pandemia.

 A ocupação do centro cultural pelo Festival Multiplicidade 2022_ANO 17 vai se estender igualmente ao teatro do prédio no Flamengo, com uma série de “instalações #tbts”, relembrando momentos marcantes da trajetória do evento, como o vinil “Barulho”, a performance “Blind date” de Naná Vasconcelos, na qual ele anteviu o apagão do Brasil, a série MULTIPLICIDADE no Canal Brasil que atingiu mais de 1 milhão de pessoas, os 11 livros editados ao longo desses 17 anos e a desafiadora performance “Máquina – Parte I”, de Gabriela Mureb, realizada em 2017.

Já o térreo do prédio do Oi Futuro vai receber “Sensing knife”, uma experiência de realidade aumentada e espacialização sonora, desenvolvida por artistas-cientistas da Universidade Humboldt – Berlin, e uma apresentação do projeto Nine Earth, em parceria com British Council, desenvolvido para a COP26 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas) para discutir a sustentabilidade dos consumos em diferentes territórios do mundo.

Festival Multiplicidade

O Festival Multiplicidade celebra sua 17ª edição sem interrupções em 2022, com vários marcos alcançados ao longo de sua trajetória. Foram 13 livros publicados e distribuídos nas principais bibliotecas do Brasil e do mundo; um LP lançado em 2018; três dissertações e teses de mestrado e doutorado nas quais o festival foi objeto de pesquisa acadêmica; mais de 900 artistas participantes de 28 países; mais de 400 performances; geração de mais de 10 mil empregos diretos e indiretos;  realização de inúmeros trabalhos socioeducativos através de residências artísticas no Estado do Rio de Janeiro; itinerâncias internacionais levando a marca Brasil para o mundo; 15 apresentações internacionais;  oito prêmios internacionais e nacionais pela excelência de conteúdos;  mais de R$ 15 milhões de investimento direto e um retorno de mídia espontânea de R$ 56 milhões; um alcance de mais de 12 milhões de pessoas nas redes sociais e internet;  uma série de TV no Canal Brasil, atingindo um IBOPE de mais de 1 milhão de pessoas; mais de 120 mil pessoas nos eventos presenciais, além de uma sensibilização imensurável gerada a partir da arte, do convívio social e das poéticas inovadoras criadas pelos artistas, gestores e produtores escalados nestes 17 anos de realizações continuadas.

Saiba mais aqui: www.multiplicidade.com/dossie

O Festival Multiplicidade é viabilizado com o patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e da empresa Oi, através do apoio cultural do Oi Futuro.

Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, atua como um laboratório para cocriação de projetos transformadores nas áreas de Educação e Cultura. Por meio de iniciativas e parcerias em todo o Brasil, estimulamos o potencial dos indivíduos e das redes para a construção de um presente com mais inclusão e diversidade. Há 15 anos, o Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a convergência entre arte contemporânea e tecnologia. O espaço também abriga o Musehum – Museu das Comunicações e Humanidades, com acervo de mais 130 mil peças. Há 18 anos o Oi Futuro gerencia o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. Desde 2003, foram mais de 2.500 projetos culturais apoiados pelo Oi Futuro, que beneficiaram milhões de espectadores.

SERVIÇO

“IMPOSSÍVEL” FESTIVAL MULTIPLICIDADE 2022
Data: 02/02 a 03/04
Local: R. Dois de dezembro, 63 – Flamengo, Rio de Janeiro
Horário: diariamente das 11h às 18h.
Contato: (21) 3131-3060
Preço: Grátis (retirada de ingressos com agendamento pelo Sympla https://www.sympla.com.br/produtor/oifuturo )

Protocolos Sanitários: Venham vacinados (com comprovante completo de vacinação), de máscara e com Axé.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Share via