Início » Restaurante do Museu do Amanhã reabre com os sabores da cozinha brasileira amazônica

Restaurante do Museu do Amanhã reabre com os sabores da cozinha brasileira amazônica

por Redação
O Mix Tapajônico, composto por bolinhos de piracuí, peixe empanado na farinha dágua e dadinhos de tapioca, é um dos pratos do menu

A partir de 15 de abril, o premiado Chef Saulo Jennings comandará o restaurante do Museu do Amanhã, que ficou fechado durante a pandemia. A Casa do Saulo trará os sabores da cozinha brasileira amazônica para o Rio de Janeiro, às margens da Baía de Guanabara. Com outras três unidades, sendo duas em Belém e uma em Santarém, o espaço foi eleito em 2018 e 2019 o melhor restaurante da região norte pela Revista Prazeres da Mesa.

O Chef Saulo Jennings reuniu a sua experiência na gastronomia da região Norte com a sua brasilidade para criar um menu especial que traz os mais diversos ingredientes presentes na culinária do país. Arroz de pato, feijoqueca, creme de cupuaçu e isca de pirarucu estão entre os pratos da nova casa, que convidam o público a fazer um passeio pelas regiões do Brasil por meio do paladar.

“Este ano, o Museu do Amanhã recebe duas exposições com foco na Amazônia e a chegada do Chef Saulo Jennings reforça esta conexão entre o Rio e a Região Amazônica. A expertise de Saulo vai proporcionar ao nosso público uma experiência única de gastronomia. Buscamos trazer programações, iniciativas e conexões que destaquem as riquezas de todas as regiões do país para que os visitantes das mais variadas localidades possam conhecê-las e apreciá-las”, conta Maria Garibaldi, Diretora Executiva do Museu do Amanhã.

Com experiências amazônicas garantidas por quem vivencia a floresta diariamente, o Chef Saulo Jennings é pautado pelo manejo sustentável dos insumos. A Casa do Saulo respeita e reverencia as tradições, aplicando os saberes ribeirinhos e dos povos tradicionais para promover uma cultura alimentar tipicamente brasileira. Entre os ingredientes que marcam a assinatura do Chef e da Casa do Saulo, a unidade do Museu do Amanhã deve contar com uma seleção de peixes típicos da Amazônia como pescada amarela, filhote, pirarucu e tambaqui.

Para tornar a experiência completa, o visitante pode conhecer a exposição “Fruturos – Tempos Amazônicos”, que fica em cartaz no Museu do Amanhã até 12 de junho, trazendo a grandeza, a biodiversidade e o conhecimento presentes no maior bioma tropical do mundo. Já a partir de julho, o Museu receberá a mostra “Amazônia”, do renomado fotógrafo Sebastião Salgado, que revela o resultado de sete anos de experiências e expedições fotográficas pela Amazônia brasileira.

Serviço

  • Restaurante Casa do Saulo
  • Local: Museu do Amanhã
  • Endereço.: Praça Mauá, 1 – Centro
  • Horário de funcionamento: Terça à domingo, 12h às 18h.

Chef Saulo Jennings

Caboco do Tapajós orgulhoso de ser filho da costureira e do eletricista, dos 3 irmãos que tem, marido da Analice e pai da Luísa, do Paulinho e do Davi. Marc Saulo Simões Jennings.

De paladar exigente aprendido com o pai.

Que cozinhava por hobby enquanto trabalhava para multinacionais. Que larga o mundo corporativo e vai dar aulas de kitesurf e percebe que o lanche caprichado fazia mais sucesso que elas e lá em 2009 abre a Casa do Saulo. Valorizando produtores locais e cozinhando com muito amor, começa a trilhar um reconhecimento nacional.

Hoje a Casa do Saulo é mais que um restaurante, é uma plataforma. Com restaurantes, restaurantes-escola, barcos, bangalôs de selva, auditórios e centro de distribuição, Onde pensamos sustentabilidade, estimulamos as trocas de informações entre chefs e as comunidades, além entregar experiências amazônicas que você pode provar, sentir e se envolver com a floresta.

Em 2017, representando o título de Belém Cidade Criativa da Gastronomia. Chegando no prêmio Prazeres da Mesa 2018 como o melhor restaurante do Norte, repetindo em 2019. Assinando cardápios no Tordesilhas e Mani, além de um dos maiores Reveillons do Brasil, o VAI TAPAJÓS. Participando em eventos diversos como Fartura, Brasa na Mesa, Fuegos, Mesa e tantos outros. Sem esquecer de ser Caboco do Tapajós.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Não estou interessado em compartilhar. Clique aqui para voltar para o conteúdo!
This window will automatically close in 10 seconds
Share via